O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2022-03-24T23:33:08-03:00
Larissa Vitória
Larissa Vitória
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pelo portal SpaceMoney e pelo departamento de imprensa do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT).
BALANÇO

Ainda sem Intermédica no balanço, lucro líquido da Hapvida (HAPV3) cai 36% em 2021 e fica em R$ 500 milhões

No começo deste mês, as duas empresas revelaram ao mercado as estimativas de ganhos de sinergia a partir da combinação dos negócios.

23 de março de 2022
18:32 - atualizado às 23:33
foto de prédio da Hapvida (HAPV3)
Prédio da Hapvida - Imagem: Divulgação

Com a temporada de balanços cada vez mais movimentada, é difícil para o investidor dividir sua atenção entre todas as empresas brasileiras do dia. Nesta quarta-feira (23), porém, um nome se destaca entre a dezena de companhias que divulgam os resultados hoje: a Hapvida Intermédica (HAPV3).

A gigante mundial entre as provedoras de saúde, que ganhou o nome composto após a megafusão com a NotreDame Intermédica, registrou lucro líquido de R$ 500 milhões em 2021, queda de 36,3% na comparação com o ano anterior.

No quarto trimestre, porém, o indicador saltou 112,4% em relação ao mesmo período de 2020 e foi a R$ 200,2 milhões. Já a receita líquida teve alta mais tímida, de 14,3%, para R$ 2,6 bilhões.

O Ebitda (Lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização, na sigla em inglês) recuou 10%, na mesma base de comparação, para R$ 388,4 milhões. A queda em 2021 foi mais acentuada, de 28,8%, no acumulado anual.

Entre as métricas mais importantes do setor, a sinistralidade caixa subiu 5,4 pontos percentuais entre outubro e dezembro, para 64,9%. No ano, o índice avançou 8,8 p.p e foi a 65,2%.

Mas a empresa destaca que, se excluídos os custos relacionados à covid-19, despesas médicas de companhias recém-adquiridas e o impacto do reajuste negativo dos planos individuais, "a sinistralidade caixa teria sido de 59,5% em 2021 e de 61,2% no 4T21, em linha com o nosso histórico para períodos comparativos".

Hapvida e Intermédica: união de gigantes

Em dezembro, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou sem restrições a fusão entre Hapvida (HAPV3) e Intermédica (GNDI3).

"Essa operação será transformacional para o país já que a criação de um player verticalizado e integrado com presença nacional é única e permitirá oferecer uma proposta de valor superior para os clientes, expandindo e democratizando o acesso à saúde de qualidade", destaca, em nota, a Hapvida.

No início do mês anterior, as duas empresas revelaram ao mercado as estimativas de ganhos de sinergia a partir da combinação dos negócios.

A gigante deverá obter R$ 1,38 bilhão de sinergias operacionais de Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) adicional a partir de 2025. Os ganhos vão ocorrer gradualmente nos próximos três anos com a integração das operações das empresas.

Na B3, as ações da Intermédica (GNDI3) foram incorporadas pela Hapvida (HAPV3) e deixaram de ser negociadas no mês passado. Os novos papéis HAPV3 começaram a ser negociados em 14 de fevereiro.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

PORTFÓLIO DE BILHÕES

Aposta contra a Apple (AAPL34)? Veja as mudanças que Warren Buffett, Michael Burry e investidores de elite fizeram nas carteiras

Esses pesos-pesados do mercado financeiros tomaram decisões surpreendentes no primeiro trimestre; confira as mudanças mais significativas que eles fizeram no período

DO BRASIL PRO MUNDO

Guedes tem encontro com Escobari, da General Atlantic, e vai a jantar do BTG; confira a agenda do ministro em Davos

O banqueiro André Esteves, que em abril voltou ao comando do conselho do BTG Pactual, está participando do evento na Suíça

UMA TECH ATRAENTE

É hora da Locaweb? Saiba por que o Deutsche Bank vê ponto de entrada para as ações LWSA3

Banco alemão atualizou a recomendação para a empresa de neutra para compra e vê potencial de valorização de mais de 50% para os papéis

O QUE VEM POR AÍ

Ata do Fed e IPCA-15: confira a agenda de indicadores da semana aqui e lá fora

Nos Estados Unidos, a segunda prévia do PIB no primeiro trimestre também é destaque; na Europa, o PIB da Alemanha é o principal dado

CAMINHO DO MEIO

Menor rejeição e apoio interno no MDB dão vantagem a Simone Tebet; veja os rumos da senadora da terceira via

Maior desafio, segundo marqueteiros, é torná-la popular: 46% do eleitorado desconhece Simone Tebet, segundo pesquisas recentes

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies