O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2022-04-26T19:56:30-03:00
Carolina Gama
A CAMINHO DA MÚSICA NO FANTÁSTICO

Oi (OIBR3) adia divulgação de resultados do quatro trimestre de 2021 pela segunda vez; saiba o que aconteceu

Os dados preliminares já divulgados mostraram piora da operação, exceto o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) do quarto trimestre de 2021

26 de abril de 2022
19:56
Fachada de loja da Oi (OIBR3), com o logo da empresa em amarelo sobre uma marquise verde
Imagem: Divulgação

A Oi (OIBR3) está a caminho de pedir música no Fantástico. A empresa de telecomunicações em recuperação judicial adiou pela segunda vez a apresentação de seus resultados referentes ao quarto trimestre de 2021. 

A divulgação oficial passou agora para o dia 4 de maio. Inicialmente, os resultados deveriam ter sido apresentados no dia 29 de março, mas foram adiados para 27 de abril.

Na ocasião da primeira postergação, a Oi decidiu divulgar informações preliminares e não auditadas para "garantir a estabilidade das expectativas do mercado".

Os dados preliminares divulgados mostraram piora da operação, exceto o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) do quarto trimestre de 2021. Já a receita líquida caiu tanto no quarto trimestre de 2021 quanto no ano inteiro. 

Nesta terça-feira (26), a Oi reapresentou os mesmos números não auditados. Confira a performance da empresa

Os resultados, ainda que preliminares, são melhores do que o previsto pelo BTG Pactual. No mês, o banco divulgou suas projeções para o resultado da Oi.

Por que a Oi (OIBR3) adiou novamente?

Na ocasião do primeiro adiamento dos resultados, a Oi (OIBR3) citou uma série de motivos, entre eles, a complexidade de dividir os ativos da sua unidade móvel para as rivais Vivo, TIM e Claro.

Na ocasião, a Oi citou ainda a necessidade de obtenção de pareceres dos auditores independentes para as demonstrações financeiras das três empresas.

Nesta terça-feira (26), a empresa voltou a afirmar que precisa de mais tempo para solucionar essas questões, que seguem pendentes. 

Venda da Oi Móvel

A venda da operação móvel da Oi (OIBR3) para as rivais foi fechada em dezembro de 2020— passo é considerado um fundamental para que a empresa saia da recuperação judicial. 

No dia 20 de abril, a empresa informou ao mercado que a operação foi finalizada por R$ 15,9 bilhões. O valor foi ajustado em relação ao preço base de R$ 15,7 bilhões para refletir o montante da dívida líquida e do capital de giro das sociedades de propósito específico (SPEs) transferidas às compradoras.

Na ocasião, a Oi informou que as rivais pagaram R$ 14,5 bilhões. O restante do valor, que equivale a 10% do preço da operação, ficaria retido pelas compradoras por até 120 dias para possíveis compensações de valores que a Oi possa ter de pagar em função de eventuais ajustes.

Com a conclusão da venda, a Oi informou também que quitou integralmente um crédito com garantia real do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) no valor de R$ 4,6 bilhões.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

concorrência no varejo

Magalu ameaçada? Dona da rival Shopee tem salto na receita e lidera aplicativos baixados no Brasil

Papéis da controladora da Shopee subiram 14% na bolsa de Nova York (Nyse) ontem (18) e fecharam o pregão valendo US$ 80,14

EM TEMPO REAL

TCU retoma julgamento da privatização da Eletrobras (ELET3) hoje; acompanhe ao vivo

O governo está otimista com a perspectiva de que o processo seja aprovado pelo tribunal

DE ROUPA NOVA

Com foco em criptomoedas e NFTs, Zuckerberg muda o nome do Facebook Pay para Meta Pay; entenda as alterações

Novo passo em direção ao metaverso inclui na plataforma de pagamentos e negociações usada no WhatsApp as funções de empréstimos e investimentos em ativos digitais

NA SAÚDE E NA DOENÇA

Parceria bilionária entre Dasa (DASA3) e Inspirali, da Ânima (ANIM3), sai do papel com foco em formação médica; confira detalhes do projeto

Iniciativa deve beneficiar os mais de 10 mil estudantes de Medicina da Inspirali assim como os médicos que fazem parte das mais de 900 unidades de medicina diagnóstica e hospitais da Dasa

MEME-STABLECOIN

Shiba Inu (SHIB) quer lançar própria stablecoin depois do fracasso da TerraUSD (UST); entenda porque isso é uma furada

Analistas não enxergam a Shiba Inu como um bom investimento e a crise das stablecoins não deve ajudar o projeto

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies