🔴 RECEBA ANÁLISES DE MERCADO DIÁRIAS: CLIQUE AQUI E SIGA O SEU DINHEIRO NO INSTAGRAM

Richard Camargo
Estrada do Futuro
Richard Camargo
Formado em Economia pela Universidade de São Paulo, Richard trabalhou por 5 anos na área tecnológica até chegar na Empiricus.
2022-06-15T14:04:24-03:00
ESTRADA DO FUTURO

Como a Apple (AAPL34) pode revolucionar o mercado automobilístico mesmo sem fabricar um único carro

Reinvenção do CarPlay sugere início de uma nova era de produto com potencial de ganhar relevância nos resultados da Apple e mudar radicalmente a indústria automobilística

16 de junho de 2022
6:16 - atualizado às 14:04
Carplay da Apple
Interface do CarPlay, desenvolvido pela Apple. Imagem: PxHere

Olá, seja bem-vindo à Estrada do Futuro, onde conversamos semanalmente sobre a intersecção entre investimentos e tecnologia. Nas últimas duas semanas aconteceram as conferências anuais de várias das grandes empresas de tecnologia. Apple, Microsoft, Google, Airbnb e outras discutiram as grandes inovações que cada uma delas pretende trazer ao mercado.

No evento da Apple, a expectativa sempre fica por conta das novas gerações de dispositivos (iPhone, Macbook, iPad…) e agora também sobre as especificações dos seus chips, como o novo M2.

O que chamou a minha atenção, porém, foi a "reinvenção" do antigo "CarPlay", o software da Apple que faz interface com veículos comuns.

O anúncio do CarPlay me pareceu o início de uma nova era de produto, capaz de ganhar relevância nos resultados da Apple ao longo do tempo e trazer mudanças importantes em toda a indústria automobilística (e claro, em suas ações).

O que é o CarPlay?

Nossos carros são cada vez mais compostos de software e cada vez menos de partes mecânicas.

Recentemente, me deparei com um gráfico que compila a participação de componentes mecânicos, eletrônicos e software em veículos comuns, ao longo do tempo.

Os números são impressionantes, com a parcela de software saindo de 5% nos anos 2000 para mais de 30% em 2020. Veja a seguir.

Em comum, existe uma verdade amarga: esses softwares são péssimos! Suas interfaces costumam ser ruins, com uma série de "bugs", e geralmente não entregam o que prometem.

Fazendo justiça, apenas uma empresa, no mundo todo, conquistou seus clientes com software: a Tesla.

Como apenas 2% dos novos veículos vendidos por ano nos EUA são da Tesla (e a fatia é ainda menor no restante do mundo), coube a duas empresas apresentarem soluções elegantes para o problemas dos softwares embarcados em nossos carros: o Google (com o Android Auto) e a Apple (com o CarPlay).

Fonte: Apple BR

Até recentemente, eu mesmo nunca tinha pensado no CarPlay como um gerador de receitas para a Apple, mas essa atualização parece o primeiro passo para mudar isso.

A Apple e o carro do futuro

De acordo com a Apple, 98% dos carros "zero" vendidos nos EUA são compatíveis com o CarPlay.

Não satisfeitos, eles também afirmaram que 79% dos compradores de carros novos deixariam de comprar o veículo caso ele não fosse compatível com o CarPlay.

E por que isso é relevante?

Existe toda uma indústria trabalhando na automação e "digitalização" dos veículos do futuro.

Talvez isso ainda pareça distante, mas em menos de 5 anos, nossos veículos terão como componente principal os sensores, que responderão aos comandos que realizamos em nossos smartphones e nas interfaces digitais espalhadas pelo carro.

Por exemplo, a Garmin (listada na Nasdaq com o ticker "GRMN"), gigante europeia de produtos de geolocalização (como os seus famosos smartwatches), tornou-se parceira da BMW e responsável por colocar todos os carros na marca no século XXI.

A Nvidia, sobre a qual escrevi aqui, possui extensas parcerias com a Mercedes, Jaguar, Land Rover e outras montadoras, para também integrar sensores e software e tornar os carros do futuro mais elegantes, funcionais e automatizados. 

Mas de todas essas empresas, nenhuma está numa posição tão interessante como a da Apple.

Abaixo, deixo uma imagem ilustrativa do novo CarPlay: a Apple pretende entregar ao motorista um cockpit eletrônico, integrado com o iPhone, capaz de controlar todas as funções de um automóvel.

Anúncio da Apple

Como isso é relevante para a Apple?

Muito se especula sobre o "Apple Car", o suposto veículo autônomo da Apple. Como analista acompanhando a empresa há alguns anos, sempre tive um pé atrás com essa ideia.

Não que a Apple não possua capacidade de execução, pelo contrário, mas nunca entendi o motivo de ela tornar-se uma montadora, com negócios altamente cíclicos, intensos em investimentos imobilizados e com a necessidade de criar uma nova rede de distribuição global, partindo do zero absoluto.

O CarPlay parece a resposta perfeita a esse problema. A Apple não precisa construir o carro, ela pode simplesmente oferecer uma solução que os consumidores estão ansiosos para receber e as montadoras estão apavoradas em ter que construir: um sistema operacional.

Nos últimos anos, a linha de receitas que mais cresce nos resultados da Apple é a de serviços, onde o "bundle" Apple TV, Apple Fitness, iCloud e tantos outros serviços são agregados ao consumidor final por um preço módico.

Elaboração: Autor | Fonte: Apple e estimativas próprias

O CarPlay tornará ainda mais oblíqua essa oferta, e certamente será integrado com todo o restante da suíte de produtos Apple, possibilitando um "justo" aumento no valor das subscrições.

"Ei Siri, liga o carro para mim, apaga a luz do quarto e dá uma olhada na Vitreo: quanto meus BDRs da Apple estão subindo nos últimos anos?"

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

O melhor do Seu Dinheiro

Uma patinação desgraciosa sobre o gelo fino dos mercados financeiros; confira a história do dia e outras notícias que mexem com os seus investimentos hoje

6 de julho de 2022

Com a oscilação das bolsas internacionais, é importante saber onde investir seu dinheiro. Confira recomendações em renda fixa e em fundos imobiliários

FII DO MÊS

Fundos de papel retornam ao topo da preferência dos analistas; veja quais são os FIIs favoritos para julho

6 de julho de 2022

Em meio ao temor de recessão global, as corretoras consultadas pelo Seu DInheiro voltaram-se novamente para a proteção do papel

ESQUENTA DOS MERCADOS

Bolsas estrangeiras patinam à espera da ata do Fed e dos dados de desemprego nos Estados Unidos

6 de julho de 2022

Investidores preparam-se para a divulgação da ata do Fed na tentativa de prever os próximos passos da política monetária norte-americana

Especiais SD

Onde investir no 2º semestre: Renda fixa, nós gostamos de você! Com juros altos, ativos mais rentáveis do ano continuam atraentes

6 de julho de 2022

No difícil primeiro semestre de 2022, ativos de renda fixa foram os únicos a se salvarem, especialmente aqueles que se beneficiam da alta dos juros; para o resto do ano, esses investimentos permanecem interessantes, e investidor não precisa correr muito risco para ganhar dinheiro

NOITE CRIPTO

Parece, mas não vai: bitcoin segue preso ao patamar de US$ 20 mil; saiba o que está no caminho do BTC

5 de julho de 2022

Investidores devem ficar atentos à divulgação da ata da reunião do junho do Federal Reserve, prevista para amanhã — documento tem potencial para aumentar a volatilidade do mercado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies