🔴 RECEBA ANÁLISES DE MERCADO DIÁRIAS: CLIQUE AQUI E SIGA O SEU DINHEIRO NO INSTAGRAM

2022-06-14T16:48:00-03:00
Camille Lima
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Formada em jornalismo pela Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
MERCADOS AO VIVO

Bolsa hoje: Ibovespa desacelera queda e tenta sustentar 102 mil pontos; juros disparam e dólar avança, a R$ 5,14

14 de junho de 2022
9:07 - atualizado às 16:48

RESUMO DO DIA: Bolsas internacionais operam com cautela nesta terça-feira, à espera da divulgação do índice de preços ao produtor (PPI) em maio nos Estados Unidos, que indicará os próximos passos do banco central norte-americano (Fed) em relação aos juros. Por aqui, Ibovespa acompanha celebração da privatização da Eletrobras e dados de serviços.

Acompanhe por aqui o que mexe com a bolsa, o dólar e os demais mercados hoje, além das principais notícias do dia.

O ADEUS AOS 102 MIL PONTOS

Nada é tão ruim que não possa piorar, como mostra o Ibovespa na tarde desta terça-feira (14).

O índice, que já recuava com a tensão às vésperas da decisão sobre os juros no Brasil e nos EUA, aprofundou a queda após a piora da situação nas bolsas de Nova York.

Por volta das 16h, o Ibovespa recuava 1,02%, a 101.551 pontos.

Já o dólar seguia em sua trajetória de alta e, no mesmo horário, registrava ganhos de 0,53%, a R$ 5,142.

DISPUTA DOS BANCÕES

Mar calmo não faz bom marinheiro. E, nas águas revoltas do cenário macroeconômico, o Banco do Brasil (BBAS3) e o Itaú Unibanco (ITUB4) conseguiram furar as ondas e estar bem posicionados para navegar pelo ambiente atual, segundo a XP.

A corretora manteve a recomendação de compra para as ações BBAS3 — a preferida do setor — com preço-alvo de R$ 34,60, o que representa um potencial de valorização de 70% com relação ao fechamento de segunda-feira (13).

VEJA A RECOMENDAÇÃO PARA AS AÇÕES DO ITAÚ

IBOVESPA TESTA NOVO PATAMAR

O Ibovespa tenta segurar os 102 mil pontos, mas, com a piora do apetite ao risco em Nova York a pressão dos juros sobre o varejo e outros setores da bolsa, o índice chegou a descer mais um patamar na linha de pontuações.

Por volta das 13h55, o Ibovespa operava em queda de 0,51%, a 102.071 pontos.

Já o dólar avança 0,54%, a R$ 5,142.

MAIS UM UNICÓRNIO DEMITE

Mais um unicórnio é derrubado pela alta de juros. A startup mexicana Kavak tem realizado demissões desde o começo do ano nos escritórios de São Paulo e Rio de Janeiro.

Ao todo, mais de 300 desligamentos aconteceram desde janeiro deste ano.

Segundo o Estadão, houve um corte de 150 pessoas no quadro de funcionários da empresa na capital paulista. Já na “Kavak City”, que fica na cidade carioca, cerca de 60 colaboradores foram desligados na última terça-feira (7).

SAIBA MAIS

TOCOU A CAMPAINHA

Sem discurso do presidente Jair Bolsonaro, terminou há pouco a cerimônia da privatização da Eletrobras (ELET3) na B3.

O toque da campainha é acompanhado pelo avanço dos papéis da ex-estatal, que seguem entre as maiores altas do Ibovespa hoje.

Por volta das 13h, ELET3 sobe 2,77%, a R$ 41,21, enquanto as ações ELET6 avançam 2,01%, a R$ 40,17.

AZEDOU PRO IBOVESPA

Apesar de ter começado o pregão desta terça-feira (14) em alta, o humor azedou para o Ibovespa. Nem mesmo as petroleiras e a Eletrobras estão conseguindo segurar a bolsa brasileira de amargar perdas nesta sessão.

Por volta das 12h10, o principal índice da B3 recuava 0,64%, a 101.941 pontos.

O otimismo dos investidores visto pela manhã deu lugar ao maior receio com a economia global, com o temor de que o Federal Reserve (o banco central dos Estados Unidos) anunciará amanhã uma alta agressiva dos juros.

As varejistas e empresas ligadas ao minério de ferro pesam no Ibovespa e lideram as quedas do índice, influenciadas pela pressão do fiscal, com a discussão do teto do ICMS no Congresso, e pelo recuo do minério de ferro.

A Via (VIIA3) protagoniza as baixas hoje, com recuo de 7,06%, seguida por CSN Mineração (CMIN3), com queda de 4,93%, e Magazine Luiza (MGLU3), que recuava 4,12%.

MAIOR ALTA DO IBOVESPA

Depois de fechar no vermelho ontem, a a Eletrobras (ELET3) lidera os ganhos do dia no Ibovespa.

Por volta das 12h, ELET3 tinha ganhos de 2,84%, a R$ 41,24, enquanto ELET6 subia 2,26%, a R$ 40,27.

Acontece agora a celebração oficial da privatização da Eletrobras e, a depender do desempenho das ações da elétrica nos primeiros momentos do pregão, a companhia deve fazer bonito na festa.

PETRÓLEO EM ALTA

As ações de petroleiras são destaque no pregão desta terça-feira e ocupam as maiores altas do Ibovespa pela manhã.

A escalada do setor é puxada pela disparada das cotações do petróleo, em especial do Brent, referência internacional para preços e negociado acima dos US$ 123 o barril hoje.

Por volta de 10h25, os papéis preferenciais da Petrobras (PETR4) avançavam 2,29%, a R$ 29,94, seguidos pelas ações ordinárias PETR3, com alta de 2,16%, a R$ 33,11, e PRIO (PRIO3), que subia 1,72%, a R$ 26,48.

O Ibovespa encerrou os leilões de abertura em valorização de 0,47%, aos 103.081 pontos.

Por sua vez, o dólar à vista é negociado em queda de 0,18%, cotado a R$ 5,1056.

Apesar do esforço do governo para segurar a alta no preço da gasolina e diesel, com o petróleo em disparada hoje, expectativa de um novo reajuste nos combustíveis no Brasil aumenta.

Por volta das 10h, o Brent (referência internacional) para agosto operava em alta de 1,19%, cotado a US$ 123,73 o barril.

Após a divulgação dos novos dados de inflação nos Estados Unidos, o dólar à vista aprofundou as quedas, com baixa de 0,40% por volta de 09h40, negociado a R$ 5,0939.

O Ibovespa futuro desacelerou os ganhos, com avanço de 0,17% no mesmo horário, aos 104.840 pontos.

INFLAÇÃO NOS EUA

O departamento de trabalho norte-americano acaba de divulgar os dados mais recentes de inflação nos Estados Unidos.

O índice de preços ao produtor (PPI) aumentou 0,8% em maio no comparativo mensal, em linha com o esperado. Nos 12 meses encerrados em maio, o indicador subiu 10,8%.

Já o núcleo do PPI, que exclui itens voláteis como alimentos e energia, avançou 0,5% em maio ante abril, contra uma projeção de 0,6%.

Com a Super Quarta à espreita, investidores ficam atentos à possibilidade de o Federal Reserve (Fed, BC dos EUA) decidir elevar agressivamente os juros.

Hoje é apenas o primeiro dia da reunião de política monetária do Fed, com a decisão reservada para amanhã (15).

CAÇADOR DE TENDÊNCIAS

O nosso colunista Nilson Marcelo identificou uma oportunidade de swing trade na B3 hoje para lucrar mais de 8%: a compra dos papéis da Gol (GOLL4).

Confira a recomendação na íntegra.

INDICADORES POR AQUI

O IBGE divulgou a pesquisa mensal de serviços em abril. O volume de serviços avançou 0,2% na comparação com maio deste ano e 9,4% na base anual.

O Ibovespa futuro abriu a sessão desta terça-feira em alta de 0,49%, aos 105.175 pontos.

O dólar à vista começou o dia em queda, negociado em leve desvalorização de 0,23% no mesmo horário, cotado a R$ 5,1027.

A grande batalha entre ursos e touros em Wall Street pressiona intensamente os mercados hoje. Na Ásia, as bolsas encerraram o pregão desta terça-feira sem rumo definido.

As bolsas na Europa até tentaram se recuperar das quedas da última sessão, mas o otimismo não foi suficiente para afastar a volatilidade dos mercados acionários, que passaram a amargar perdas.

Em Wall Street, a situação é oposta. Após um verdadeiro banho de sangue nos índices norte-americanos ontem, os futuros das bolsas de Nova York começaram o dia com bom humor, à espera da inflação ao produtor (PPI) em maio.

Confira aqui:

  • Dow Jones futuro: +0,20%
  • S&P 500 futuro:  +0,39%
  • Nasdaq futuro:  +0,70%
  • Euro Stoxx 50: -0,70%
  • Xangai (China):  +1,02% (fechado)
  • Nikkei (Japão):  -1,32% (fechado)
  • Petróleo Brent: US$ 123,38 (+0,91%)
  • Minério de ferro (Dalian, China): US$ 133,83 (-0,11%)
ESQUENTA DOS MERCADOS

Sei que não é o que você gostaria de ouvir nesta gelada terça-feira (14) de manhã, mas a luta contra o pavoroso dragão da inflação ainda não chegou ao fim — e isso continua mexendo com as bolsas internacionais e com os seus investimentos.

O monstro que vem sobrevoando a economia global e atacando com bolas de fogo os mercados financeiros globais agora reuniu em seu ‘exército’ ursos para ajudá-lo no ataque, e Wall Street foi quem recebeu os piores golpes ontem.

Os principais índices norte-americanos encerraram a sessão em Nova York em um verdadeiro bear market pela segunda vez no ano, novamente coberto por chamas.

Nem mesmo o Ibovespa escapou dos arranhões dos grandes ursos ontem. O principal índice da B3 fechou em queda de 2,73%, aos 102.598 pontos — o oitavo pregão negativo da bolsa brasileira.

Hoje serão divulgados os dados mais recentes de inflação nos Estados Unidos, com o índice de preços ao produtor (PPI) em maio saindo agora pela manhã.

Os números podem fazer com que o Federal Reserve mude a estratégia de combate ao monstro alado e escolha por uma elevação de juros mais agressiva.

Hoje é apenas o primeiro dia da reunião de política monetária do Fed, mas a decisão do BC está reservada para esta quarta-feira (15).

Prepare-se para o dia e saiba o que movimenta a bolsa, o dólar e o Ibovespa hoje.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

A UM PASSO DA REGULAÇÃO

Parecer da lei de criptomoedas retira propostas que dão mais segurança ao investidor; confira mudanças no texto

5 de julho de 2022

O texto precisa ser aprovado em sessão no plenário da Câmara; sem maiores alterações, vai para a sanção presidencial

É CEDO OU TARDE DEMAIS…

UBS vê potencial de valorização menor para Hapvida — será que é hora de dar adeus à HAPV3?

5 de julho de 2022

O banco cortou o preço-alvo das ações, de R$ 15,40 para R$ 9,00, o que representa um potencial de valorização de 49% em relação ao fechamento de segunda-feira (05)

O MEDO SE ESPALHA

Por que o petróleo tomba mais de 10% e arrasta as ações da Petrobras (PETR4) e PRIO (PRIO3) hoje

5 de julho de 2022

A projeção pessimista vem em um momento em que as cotações estão sob pressão. Desde o início do ano, quando as tensões entre Rússia e Ucrânia se intensificaram, o preço do barril saltou mais de 40%

SEM ACORDO

Greve do BC termina na data marcada; paralisação durou 95 dias

5 de julho de 2022

Os servidores do Banco Central cruzaram os braços em abril e reivindicavam reajuste salarial e reestruturação da carreira — demandas que não foram atendidas a tempo

ELEIÇÕES 2022

Pode isso, Arnaldo? Lula critica orçamento secreto enquanto oposição discute divisão das verbas em 2023

5 de julho de 2022

O orçamento secreto envolve a distribuição, sem transparência, de recursos federais a redutos eleitorais de deputados e senadores. O governo usa os pagamentos para comprar apoio político no Congresso.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies