O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2022-05-10T18:13:19-03:00
Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @RenanSSousa1
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Formada em jornalismo pela Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Ibovespa recupera os 103 mil pontos e acompanha volatilidade de NY; dólar aprofunda queda

10 de maio de 2022
9:07 - atualizado às 18:13

RESUMO DO DIA: A tão esperada ata da última reunião do Copom trouxe poucas novidades para o mercado. Isso deve fazer o Ibovespa se apegar aos dados de varejo de hoje e ao cenário externo. Por falar nas bolsas do exterior, a tentativa de recuperação dos índices hoje é limitada pela cautela do Federal Reserve. As falas de dirigentes do BC americano permanecem no radar.

Acompanhe por aqui o que mexe com a bolsa, o dólar e os demais mercados hoje, além das principais notícias do dia.

Ibovespaencerra sesão em baixa de 0,14%, aos 103.109,94 pontos

  • Nasdaq: +0,98%
    Dow Jones: -0,27%
    S&P 500: +0,24%

Dólar à vista recua 0,44%, a R$ 5,1336.

As falas dos dirigentes do Fed de hoje injetaram cautela nos mercados ao longo do dia, mas a vontade dos investidores em recuperar as perdas das últimas sessões parece ser superior à aversão ao risco.

Perto das 16h de hoje, o Ibovespa operava em leve alta de 0,09%, aos 103.342 pontos.

Enquanto isso, o dólar à vista caía 0,76%, negociado a R$ 5,1231.

O Ibovespa opera com alta volatilidade hoje e tenta reverter a tendência de queda.

Por volta das 15h20, o principal índice da B3 avançava 0,01%, próximo da estabilidade, aos 103.238 pontos.

No mesmo horário, o dólar à vista caía 0,92%, cotado a R$ 5,1146.

'PRÓXIMO CONGRESSO SERÁ DE CENTRO-DIREITA E REFORMISTA'

Em evento em Nova York organizado pelo BTG Pactual na manhã desta terça-feira (10), o presidente da Câmara, Arthur Lira, afirmou que, seja quem for o presidente a partir de 2023, o Congresso eleito será de centro-direita.

Para ele, é comum haver uma polarização durante o período eleitoral. Porém, o deputado acredita que, entre um extremo político e outro, existe o centro, que atua como regulador da política brasileira, para que “o Brasil funcione como uma democracia forte”.

Leia as principais falas do presidente da Câmara no evento do BTG Pactual. 

O Ibovespa perdeu os 103 mil pontos com a cautela generalizada após falas de dirigentes do Fed sobre os próximos passos dos juros americanos.

Com isso, o principal índice da B3 recuava 0,18%, aos 102.899 pontos, por volta das 14h40.

No mesmo horário, o dólar à vista também recuava 0,85%, negociado a R$ 5,1200.

ANALISTAS CORTAM PREÇO-ALVO DA QUALICORP (QUAL3)

Qualicorp (QUAL3) apresenta nesta terça-feira (10) seus resultados do primeiro trimestre e, pelos sintomas, a empresa de administração de planos de saúde por adesão sofre do mal da inflação.

Bancos como Credit Suisse, Citi, Bank of America (BofA) e Itaú BBA acreditam que a disparada de preços no Brasil alimentou a pressão sobre os custos da Qualicorp entre janeiro e março deste ano, contribuindo para uma queda do lucro e da receita líquida no período.

Leia a reportagem completa e os detalhes do balanço da Qualicorp.

Ibovespa acelera queda e recua 0,56%, aos 102.628 pontos. O dólar à vista opera em queda de 0,05%, cotado a R$ 5,1554.

DIRIGENTE DO FED PIORA MERCADOS

O Ibovespa perdeu o fôlego no início da tarde de hoje. Por volta das 12h, o principal índice da B3 recuava 0,15%, aos 103.090 pontos.

Por sua vez, o dóalr à vista era negociado em queda de 0,11%, cotado a R$ 5,1930 no mesmo horário.

O motivo por trás da queda está nas falas da dirigente do Federal Reserve, Loretta Mester. Para a dirigente do Fed de Cleveland, a instituição ainda não descartou alta de 75 pontos-base na alta dos juros, na contramão do que disse Jerome Powell, presidente do BC americano, ao final da reunião da última quarta-feira (04).

Isso aumentou a cautela de Nova York, que também inverteu o sinal e passou a cair.

ATA DO COPOM: PARA ONDE VÃO OS JUROS?

Mais cedo, o Banco Central divulgou a ata da sua última reunião do Comitê de Política Monetária, o Copom, que subiu os juros básicos da economia para 12,75% no último encontro.

A publicação trouxe poucas novidades sobre o futuro da Selic no Brasil. Enquanto as projeções dão conta de que o fim do ciclo de aperto deve terminar em 13,25%, o BC entende que os juros devem acomapnahr as mudanças de cenário pela frente.

Leia a matéria completa sobre os destaques da publicação aqui. 

E você deve estar se perguntando: até onde vai a inflação? E mais importante do que isso: o que fazer agora?

O mercado ainda não conseguiu ver uma linha no horizonte para o final da alta dos preços, mas o nosso colunista, Matheus Spiess, dá algumas pistas de até onde a inflação deve chegar.

Leia a coluna completa dele aqui. 

SOBE E DESCE DA BOLSA

O destaque sa sessão de hoje vai para o Banco Inter (BIDI11), que acompanha o desempenho do setor de tecnologia no exterior.

A maior alta de Nova York é da bolsa de Nasdaq, que sobe 2,22%, seguida pelo S&P 500 (+1,49%) e Dow Jones (+1,0%).

Confira as maiores altas do pregão:

ATIVO Nome Ult Var
BIDI11 BANCO INTER UNT N2 R$ 13,03 7,24%
BRFS3 BRF SA ON NM R$ 12,97 5,28%
BPAC11 BTGP BANCO UNT N2 R$ 23,60 4,01%
EZTC3 EZTEC ON NM R$ 16,38 3,54%
LREN3 LOJAS RENNERON NM R$ 24,64 3,14%

Confira também as maiores quedas do dia:

ATIVO Nome Ult Var
USIM5 USIMINAS PNA ED N1 R$ 10,15 -5,76%
CSNA3 SID NACIONALON ED R$ 18,37 -3,67%
CMIN3 CSNMINERACAOON ED N2 R$ 4,46 -3,25%
GOAU4 GERDAU MET PN N1 R$ 11,04 -3,16%
GGBR4 GERDAU PN N1 R$ 26,78 -2,76%
JUROS FUTUROS EM QUEDA

Confira como opera o mercado de juros duturos (DIs) nesta terça-feira:

CÓDIGO NOME  ULT  FEC
DI1F23 DI jan/23 13,27% 13,34%
DI1F25 DI Jan/25 12,35% 12,56%
DI1F26 DI Jan/26 12,22% 12,39%
DI1F27 DI Jan/27 12,24% 12,39%

A bolsa brasileira acompanha as principais praças internacionais nesta terça-feira (10). O exterior tenta se recuperar das perdas recentes, enquanto permanece atento às falas de dirigentes do Fed ao longo do dia.

Por aqui, os dados de varejo animaram pelo segundo mês seguido, com alta de 1,0% em março após subirem 4,0% em fevereiro. Isso mostra que o setor permanece aquecido após a pior fase da pandemia de covid-19.

De acordo com o IBGE, o varejo está 2,6% acima do nível pré-pandemia.

O destaque do dia vai para o setor de petrolíferas da bolsa local, que avança mesmo com a volatilidade do petróleo, com destaque para os papéis da Petrobras: PETR4 sobe 0,75% e PETR3 avança 0,53%.

Ibovespa encerra leilões de abertura em alta de 0,34%, após dados fortes do varejo, aos 103.600 pontos.

Já o dólar à vista é negociado em queda de 0,84%, cotado a R$ 5,1170.

VAREJO MELHOR DO QUE O ESPERADO

As vendas no varejo vieram melhores do que a mediana das projeções do Brodcast de acordo com os dados divulgados pelo IBGE.

O volume de vendas subiu 1,0% em março frente ao mês anterior, acima da mediana das projeções de 0,4%.

Já o varejo ampliado cresceu 0,7%, acima das projeções de alta de 0,1%.

Com isso, o setor cresceu 1,1% em 2022 e registra alta de 4,4% em relação aos últimos 12 meses.

Ibovespa futuro abre em alta de 0,43%, aos 105.105 pontos por volta das 9h desta terça-feira.

Já o dólar à vista abre em alta de 0,17%, negociado em R$ 5,1655 no mesmo horário.

COMMODITIES HOJE

As principais matérias primas que mexem com a bolsa local estão em queda nesta terça-feira (10).

O minério de ferro permanece pressionado com a diminuição da demanda da China, em virtude das políticas de lockdown do programa de “covid zero” no país.

Já o petróleo é negociado em queda também pela limitação de demanda chinesa e com a guerra da Ucrânia no radar dos investidores.

  • Petróleo Brent: US$ 105,00 (-0,89%)
  • Minério de ferro (Dalian, China): US$ 116,03 (-4,12%)
BOLSAS NO EXTERIOR

As bolsas internacionais entraram em um movimento de recuperação nesta terça-feira (10), após as fortes perdas das sessões anteriores.

Apesar da alta aparentemente robusta, o sentimento positivo é limitado pela cautela gerada pelo Federal Reserve, que deve subir os juros ao longo do ano.

Com isso, as falas dos dirigentes do Federal Reserve são o foco do exterior nesta terça-feira.

  • Euro Stoxx 50: +1,05%
  • Dow Jones Futuro: +0,65%
  • S&P 500 futuro: +0,71%
  • Nasdaq futuro: +1,12%
ESQUENTA DOS MERCADOS

A busca por um norte que ajude a guiar os investidores em meio às incertezas de todos os lados não deve acontecer nem mesmo com a divulgação da última ata do Copom nesta terça-feira (10). A bolsa local permanece atenta à inflação desenfreada e o medo de recessão com as sucessivas altas de juros por parte do Banco Central.

No comunicado após a decisão de juros que elevou a taxa Selic para os 12,75% no encontro da última quarta-feira (04), o Comitê declarou que deve reduzir a magnitude do aperto monetário nas próximas reuniões.

Entretanto, esse é um espaço muito amplo para os investidores caminharem e ajustarem suas carteiras. A ata será divulgada às 8h de hoje, de acordo com o calendário do BC.

Além disso, os servidores da autoridade monetária se reunirão na tarde de hoje para deliberar sobre a continuidade da greve. A exigência dos funcionários é de reajuste acima dos 5% proposto pelo governo e a criação de um plano de carreira para a categoria.

Enquanto o cenário doméstico permanece caótico, o Ibovespa se agarra aos índices internacionais para operar nos últimos pregões. A queda na sessão de ontem (09) foi de 1,79%, fazendo a bolsa local se juntar ao ranking dos índices no vermelho em 2022, aos 103.250 pontos.

Do mesmo modo, o dólar à vista fechou no patamar de R$ 5,1565 após um fraco desempenho do petróleo, que culminou em um arrefecimento dos juros e da moeda norte-americana. A queda foi de 1,60% na sessão.

Leia o nosso Esquenta dos mercados completo aqui. 

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Superou o trauma? Bitcoin (BTC) segue no patamar de US$ 30 mil; saiba se a maior criptomoeda do mundo sustentará esse nível

BTC terá também que superar os críticos às moedas digitais, que não pouparam esforços para injetar ainda mais medo nesse mercado já extremamente desorientado

CEO do JP Morgan leva cartão vermelho de acionistas e pode ficar sem bônus milionário, entenda a decisão rara

A desaprovação foi a primeira desde que o conselho do banco norte-americano enfrentou um voto negativo sobre compensações desde que as regras foram introduzidas, há mais de uma década

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Hapvida, Magazine Luiza e Nubank tombam, mas Ibovespa fecha o dia no azul; confira os destaques desta terça-feira

O maior apetite ao risco e a expectativa de manutenção no ritmo de alta no juro nos Estados Unidos ajudou o Ibovespa, que teve um dia de ganho

FECHAMENTO DO DIA

Ibovespa sustenta alta após susto inicial com Powell; dólar cai abaixo dos R$ 5

O Ibovespa fechou o dia longe das mínimas, mas o dólar caiu 2% com o apetite por risco no exterior

onda vendedora

Nubank (NUBR33) perde US$ 1,2 bi em valor de mercado e já vale menos que o Banco do Brasil (BBAS3)

As ações do Nubank, negociadas na bolsa de Nova York (Nyse), encerraram o pregão em queda de 6,21%, a US$ 4,08

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies