Menu
2021-11-01T08:02:45-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico. Em 2020, foi eleito pela Jornalistas & Cia como um dos 10 profissionais de imprensa mais admirados no segmento de economia, negócios e finanças.
SEGREDOS DA BOLSA

Esquenta dos mercados: semana agitada tem decisão do Fed, ata do Copom, balanços e mais tensões políticas

O que mexe com a bolsa e os mercados nesta semana: PEC dos precatórios, ata do Copom, decisão do Fed e balanços; confira no Seu Dinheiro

1 de novembro de 2021
8:02
Gráfico em plataforma de day trade
Especialista dá dicas para operar no mercado de day trade com mais segurança - Imagem: Shutterstock

A semana é marcada pelo feriado de Finados, nesta terça-feira (2) — e semana com feriado sempre é mais tranquila, certo? Bem... não necessariamente. Os próximos dias serão marcados por uma agenda econômica carregada: por aqui, a ata da última reunião do Copom servirá para calibrar as apostas do mercado quanto aos próximos passos do BC; nos Estados Unidos, o Fed se reúne e deve começar a retirada gradual de estímulos da economia.

E isso sem falar na temporada de balanços, que conta com gigantes como Itaú Unibanco (ITUB4), GPA (PCAR3), CSN (CSNA3), Embraer (EMBR3) e Cielo (CIEL3), entre outras empresas — e sem entrar no mérito da constante tensão política que ronda Brasília, com o teto de gastos ainda no centro das atenções do mercado.

Sendo assim, por mais que a semana seja mais curta, isso não quer dizer que ela será uma moleza: o mês de novembro começa com tudo no Brasil, com inúmeros fatores que podem fazer preço nos ativos. Comecemos pela agenda econômica doméstica.

Dias agitados no Brasil

Por aqui, o Banco Central divulga na quarta-feira (3), às 7h, a ata da última reunião do Copom — o documento costuma ser publicado às terças, mas será adiado em um dia por causa do feriado. E o mercado aguarda ansiosamente pelo texto, uma vez que a última decisão de política monetária trouxe mudanças significativas na postura do BC.

A começar pela elevação no ritmo de alta da Selic: a autoridade vinha subindo os juros em 1 ponto percentual por reunião, mas pisou no acelerador e aumentou a taxa em 1,5 ponto — e já sinalizou que fará o mesmo no encontro de dezembro, o que levaria a Selic a 9,25% ao ano.

Por mais que o BC tenha apertado o ciclo de alta nos juros, parte do mercado ainda se mostrou frustrada: alguns economistas e analistas financeiros consideraram o tom adotado pelo Copom como moderado, dada a inflação ainda elevada no país e a deterioração das perspectivas fiscais.

Sendo assim, a ata do Copom será útil para que o mercado entenda exatamente qual é a visão do Banco Central nesse momento e o que ele vislumbra para o curto e médio prazo. Há espaço para mais altas na Selic ao longo de 2022? Se sim, até que ponto vai o aperto monetário? Como ficam as expectativas para a inflação no ano que vem e em 2023?

A ata do Copom é o principal dado da agenda econômica local nesta semana. Mas, ainda por aqui, destaque também para o boletim Focus desta segunda-feira (8h25), que deve trazer uma correção significativa das expectativas para inflação e PIB em 2022, e para a produção industrial em setembro — veja abaixo os eventos domésticos nos próximos dias:

  • Segunda (1): Boletim Focus (8h25);
  • Terça (2): Mercados fechados (feriado de Finados);
  • Quarta (3): Ata do Copom (7h);
  • Quinta (4): Produção industrial em setembro (9h).

Em paralelo, o noticiário político deve continuar fazendo preço nos mercados brasileiros. Há a expectativa de que a PEC dos Precatórios seja votada na quarta-feira (3) — caso aprovada, abre-se espaço no Orçamento para o pagamento do Auxílio Brasil, uma manobra que é vista pelo mercado como um rompimento do teto de gastos.

As incertezas relacionadas à Petrobras (PETR3 e PETR4) também continuam no radar: declarações do presidente Jair Bolsonaro durante a cúpula do G20, afirmando que a estatal 'é um problema', colocam lenha na fogueira e mantém os investidores em alerta quanto a uma possível intervenção do governo na política de preços da petroleira.

Por fim, um movimento de greve de caminhoneiros foi anunciado nesta segunda-feira, embora a adesão ainda seja incerta; é mais uma questão a entrar no radar do mercado.

Exterior carregado — e positivo

Apesar desses inúmeros focos de preocupação doméstica, os ativos locais têm espaço para se recuperar nesta segunda-feira (1), especialmente o Ibovespa, que amargou baixa de mais de 6% em outubro. E isso porque os mercados acionários internacionais têm uma sessão positiva neste início de semana, sem maiores sobressaltos.

Na Ásia, a bolsa Japão fechou em forte alta de 2,61%; os mercados da Coréia do Sul (+0,28%) e de Taiwan (+0,48%) também subiram, embora com intensidade menor. Na China, os principais índices tiveram um pregão misto, sem se afastar muito da estabilidade.

Na Europa, as principais praças sobem em bloco e exibem ganhos firmes: Alemanha, França e reino Unido avançam entre 0,5% e 1% nesta manhã, dando sustentação ao Euro Stoxx — o índice pan-europeu de ações tem alta de 0,7%.

Por fim, os futuros do Dow Jones (+0,44%), S&P 500 (+0,40%) e Nasdaq (+0,40%) aparecem no azul, assim como os contratos de petróleo. Sem grandes eventos previstos para hoje no exterior, os mercados aproveitam para subir — a exceção ficou com a China, cujos indicadores de atividade ficaram abaixo das expectativas.

Mas se hoje o dia é tranquilo, o restante da semana tende a ser bem agitado. Na quarta-feira (3), o Fed se reúne e há a expectativa de que o BC americano finalmente comece a retirar os estímulos da economia do país — a coletiva de imprensa de Jerome Powell, presidente da autarquia, às 16h30, será acompanhada de perto. Na sexta (5), é a vez do payroll nos EUA.

Veja abaixo a agenda internacional prevista para a semana:

  • Quarta (3):
    • Zona do euro: taxa de desemprego em setembro (7h);
    • EUA: dados da ADP sobre o mercado de trabalho em outubro (9h15); decisão de juros do Fed (15h) e coletiva de imprensa (16h30).
  • Sexta (5):
    • Zona do euro: vendas no varejo em setembro (7h);
    • EUA: Payroll de outubro (9h30).

Balanços e mais balanços

No front da temporada de balanços, os resultados voltam a ser divulgados na quarta-feira (3) — o feriado deu uma pausa na agenda. Mas, nos três dias restantes da semana, o calendário mostra um número elevado de empresas reportando seus números:

NomeCódigo da açãoData da divulgaçãoHorário de divulgaçãoTeleconferência
Banco PanBPAN403/11Antes da abertura03/11, 10h
AES BrasilAESB303/11Após o fechamento05/11, 14h
CieloCIEL303/11Após o fechamento04/11, 14h
CopasaCSMG303/11Após o fechamento05/11, 11h
CSNCSNA303/11Após o fechamento04/11, 11h30
CSN MineraçãoCMIN303/11Após o fechamento04/11, 10h
GPAPCAR303/11Após o fechamento04/11, 11h
Itaú UnibancoITUB403/11Após o fechamento04/11, 9h
MarcopoloPOMO403/11Após o fechamento04/11, 11h
Pague MenosPGMN303/11Após o fechamento04/11, 10h
Petro RioPRIO303/11Após o fechamento04/11, 15h
Rede D'Or São LuizRDOR303/11Após o fechamento04/11, 11h
UltraparUGPA303/11Após o fechamento04/11, 11h
UnidasLCAM303/11Após o fechamento04/11, 13h
Banco ABC BrasilABCB404/11Antes da abertura05/11, 9h30
Banco BradescoBBDC404/11Após o fechamento05/11, 10h30
BK BrasilBKBR304/11Após o fechamento05/11, 11h
BR PropertiesBRPR304/11Após o fechamento05/11, 11h
EnevaENEV304/11Após o fechamento05/11, 11h
Engie BrasilEGIE304/11Após o fechamento05/11, 11h
JHSFJHSF304/11Após o fechamento05/11, 15h
MinervaBEEF304/11Após o fechamento05/11, 10h
Omega GeraçãoOMGE304/11Após o fechamento05/11
Tegma Gestão LogísticaTGMA304/11Após o fechamento05/11, 14h
TendaTEND304/11Após o fechamento05/11, 10h
EmbraerEMBR305/11Antes da abertura05/11, 11h
M Dias BrancoMDIA305/11Após o fechamento08/11

No exterior, a farmacêutica Pfizer (PFIZ34) divulga seus números na terça (2), antes da abertura; na quinta (4), é a vez de Uber (U1BE34), antes da abertura, e MercadoLibre (sem horário definido). Confira aqui o calendário completo de divulgação de balanços no terceiro trimestre.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Bitcoin (BTC) hoje

Bitcoin e ethereum despencam hoje, e principal criptomoeda do mundo se afunda ainda mais no ‘bear market’

Após uma semana que terminou com ganhos, as duas maiores moedas digitais do mercado sofreram na virada de sexta-feira para sábado

Trabalhadores em falta

Como a falta de bebês na China pode provocar uma crise financeira global

A população da China vem recuando desde 2010, e, com as taxas de natalidade nos menores níveis em 80 anos, o cenário ameaça todo o planeta

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

IPO do Nubank, como driblar os impostos e onde investir o 13º salário: confira os destaques da semana

Nada é pior para um ansioso do que a incerteza. E o mercado, ultimamente, vem sendo marcado por uma forte onda de incertezas, vindas de todos os lados. Os preços dos ativos respondem a isso com volatilidade, e não há muito o que fazer a não ser manter a calma, focar nos fundamentos e aguardar […]

Clube anti-cripto

China acertou ao banir o bitcoin? Braço direito de Warren Buffett diz que as criptomoedas nunca deveriam ter sido inventadas

A aversão de Charlie Munger pelo bitcoin cresceu ainda mais durante a pandemia; para o bilionário, o criptoativo é “repugnante”

COMEÇAR TUDO DE NOVO

‘Um dos textos mais horríveis que já tramitaram’: relator da reforma do Imposto de Renda defende arquivamento da proposta

Angelo Coronel (PSD-BA) defende a criação de um novo texto para votação no Senado após ampla discussão com os setores que mais pagam impostos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies