Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-09-06T19:44:51-03:00
Agência Brasil

Partidos e organizações divulgam carta contra ameaças à democracia

O grupo pede uma manifestação ordeira àqueles que queiram protestar em favor do presidente no 7 de Setembro após ameaças feitas por bolsonaristas

6 de setembro de 2021
19:44
Manifestação pró-governo no Paranáem
Foto de manifestação pró-governo no Paraná, compartilhada na conta de Twitter do presidente Jair Bolsonaro. - Imagem: Reprodução Twitter

Lideranças de 16 partidos políticos e de organizações sociais criticaram hoje (6) o que chamaram de supostas “ameaças do Poder Executivo à democracia e à Constituição Brasileira”. Denominado Direitos Já! Fórum pela Democracia, o grupo é uma iniciativa da sociedade civil que reúne, desde 2019, lideranças de partidos políticos, organizações da sociedade civil e cidadãos mobilizados. Os partidos que integram o grupo são: PDT, MDB, PSB, PCdoB, PSOL, PSL, PT, PSDB, PV, Rede, Podemos, Solidariedade, Cidadania, PL, DEM e PSD.

A organização divulgou carta contra o posicionamento do presidente Jair Bolsonaro e a possibilidade de questionamento de decisões do Poder Judiciário, o que poderia acirrar apoiadores contra os ministros da Corte. Nesta segunda-feira, Bolsonaro fez uma publicação nas redes sociais, convidando a população a ir às ruas amanhã (7), “em paz e harmonia”, em comemoração ao 199° aniversário da independência do Brasil.

O grupo pede uma manifestação ordeira àqueles que queiram protestar em favor do presidente no 7 de Setembro. “No entanto, que qualquer atitude atentatória à independência dos poderes, ao primado da lei e à liberdade dos cidadãos seja duramente reprimida e debelada pela autoridade da Constituição, na defesa da ordem democrática”, completaram as organizações.

Carta de ex-presidentes

Também nesta segunda-feira, mais de 150 parlamentares, ministros e ex-presidentes de 26 países divulgaram carta em que alertam para os riscos de atos em apoio ao presidente se configurarem “intimidação das instituições democráticas do país”. A carta foi coordenada pela rede global Progressive International.

O documento cita ações anteriores, como a apresentação de carros blindados da Marinha na Esplanada dos Ministérios, no mês passado, e declarações sobre a não realização das eleições no ano que vem, caso o voto impresso não fosse aprovado.

Entre os signatários da carta estão os ex-presidentes Fernando Lugo (Paraguai), Ernesto Samper (Colômbia) e Rafael Correa (Equador), além do ex-primeiro-ministro da Espanha José Luis Rodríguez Zapatero e o presidente do Parlamento do Mercosul, Oscar Laborde. Os professores Noam Chomsky e Cornel West, o ganhador do Prêmio Nobel da Paz, Adolfo Pérez Esquivel, e o ex-ministro das Relações Exteriores do Brasil Celso Amorim também assinam o documento.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

seu dinheiro na sua noite

Costurando uma saída

Não faz muito tempo que usei este mesmo espaço para lembrá-lo de como o mercado não gosta de incertezas e a falta de uma leitura clara sobre o futuro acaba prejudicando os negócios na B3. O dia de hoje veio para provar que, mesmo em meio às incertezas, ter uma noção mais clara do caminho que […]

carreira e diversidade

Magazine Luiza abre inscrições para 2º programa de trainees exclusivo para pessoas negras

Programa aceita candidatos formados entre dezembro de 2018 e dezembro de 2021, em qualquer curso superior; fluência em língua inglesa e experiência profissional não fazem parte dos pré-requisitos

pós-brumadinho

Vale (VALE3) muda alto escalão e tenta reforçar discurso ESG

Luciano Siani Pires, que desde 2012 ocupa posição de vice-presidente finanças e RI, assumirá a vice-presidência de estratégia e transformação de negócios, cargo criado em março pela mineradora

Troca de comando

Gustavo Raposo renuncia ao cargo de presidente da Transpetro, subsidiária da Petrobras (PETR4); sucessor já foi escolhido

Com a saída de Raposo, o conselho da empresa deverá deliberar sobre a nomeação do atual diretor de Serviços para o comando

atenção, acionista

Dividendos: WEG (WEGE3) paga R$ 86,8 milhões em juros sobre capital próprio

Valor líquido é de R$ 0,017 por ação; terão direito aos proventos acionistas na base em 24 de setembro, segundo a companhia

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies