Menu
2021-04-29T14:33:51-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Negócio arriscado

Executivo envolvido em escândalo no IRB Brasil cria banco digital

O executivo, que estava à frente da área de finanças durante o esquema que custou mais de R$ 30 bilhões em valor de mercado para o IRB, lançou a Cactvs em novembro do ano passado

29 de abril de 2021
14:33
IRB Brasil
Imagem: Shutterstock

Uma das figuras-chave no escândalo de fraudes milionárias do IRB Brasil, Fernando Passos, ex-vice-presidente do ressegurador, está investindo em um novo ramo e lançou uma espécie de banco digital voltado a microempreendedores nas regiões Norte e Nordeste. 

Passos sequer esperou para ver qual seria o desfecho de processos - inclusive na esfera criminal - que apuram os fatos ocorridos durante sua gestão, e montou, no fim do ano passado, a Cactvs, conforme documentos obtidos pelo Estadão/Broadcast.

Relembre o caso

O executivo estava à frente da área de finanças durante o esquema de fraudes contábeis em balanços que custou mais de R$ 30 bilhões em valor de mercado para o IRB na bolsa, com os papéis desabando 80% em 2020.

O caso foi apontado pela gestora carioca Squadra no ano passado e envolveu até mesmo alegações falsas de que a Berkshire Hathaway, do lendário Warren Buffet, estaria investindo no ressegurador.

O episódio também gerou investigações internas, no Ministério Público e na Comissão de Valores Mobiliários.

Parece seguro...

De volta ao presente, a nova empresa de Passos opera nos moldes de um banco digital e oferece, em seu aplicativo, os serviços de conta digital, PIX, maquininha e cartão Elo aos corajosos.

A Cactvs tem também um braço de educação, que oferta bolsas de mestrado e doutorado a correntistas "do seu banco" com valores entre R$ 1,5 mil e R$ 2,2 mil. 

O edital com regras do benefício é assinado pelo presidente da Cactvs Instituição de Pagamento S.A. - o próprio Passos.

No site da empresa, constam ainda a oferta de um leque de produtos de seguros, incluindo apólices de automóveis, saúde, odontologia e até funerário.

Mas não se engane

O negócio financeiro foi estruturado mesmo estando sujeito ao arcabouço regulatório do Banco Central (BC) e da Superintendência de Seguros Privados (Susep). 

No que diz respeito ao primeiro, a Cactvs foi aprovada como participante do Pix, sistema de pagamentos instantâneos, passando a fazer parte do Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB). 

A empresa não tem, contudo, aval do regulador para funcionamento. Isso porque, conforme explicou o BC ao ser questionado pela reportagem, a Cactvs ainda não se enquadra nos critérios que exigem o pedido de autorização junto à autoridade monetária para operar no Brasil.

Já em relação à sua atuação no mercado de seguros, a Susep informou que a Cactvs Corretora de Seguros está com o seu registro suspenso, ou seja, impedida de aceitação de proposta por qualquer seguradora no Brasil sob o risco de multa, processos e sanções.

"Todas as empresas supervisionadas estão sujeitas à fiscalização da Susep e devem adotar as práticas de conduta determinadas pela resolução n.º 382", justifica a autarquia, em resposta ao Estadão/Broadcast.

Negócio de família

Um outro fato curioso também chama atenção na empresa, que foi fundada em novembro. Além de Passos, Kelvia Carneiro de Linhares Fernandes Passos, a esposa dele, também é sócia da companhia.

Eles estão juntos, na realidade, em duas empresas: a Cactvs Instituição de Pagamento S.A., aberta em novembro de 2020, e a Cactvs Corretora de Seguros S.A., fundada um mês antes.

Um terceiro negócio foi criado em maio de 2020, dois meses após o executivo deixar o IRB, em meio ao maior escândalo na história do ressegurador. Com o nome de KP Investimentos Eireli, o empreendimento tem Fernando Passos como único proprietário, conforme dados da Receita Federal.

Juntos, os negócios de fintech, seguros e investimentos têm capital social de R$ 21,5 milhões. As três empresas têm situação ativa junto à Receita Federal e estão sediadas no mesmo local, no bairro do Paraíso, em São Paulo. 

A Cactvs Instituição de Pagamentos tem uma rede de 13 filiais pelo Brasil, conforme o site. Em sua maioria, as unidades estão localizadas no Nordeste e Norte do País.

Em seu site, a empresa diz ainda ser formada por um "time pioneiro do microcrédito produtivo orientado na América Latina", com mais de 25 anos de experiência no setor.

Procurada, a Cactvs não se manifestou. Fernando Passos também não quis se pronunciar a respeito.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

cardápio dos balanços

Balanços de Copel, Braskem, Azul e outros mexem com o mercado nesta quinta; veja os destaques

Só no Ibovespa, foram ao menos cinco companhias que revelaram os resultados do primeiro trimestre entre esta quarta e quinta; desempenho mexe com os papéis das companhias

Exile on Wall Street

Investir de maneira inteligente ajuda (mas não garante) retorno

Quero voltar aqui rapidamente ao Day One de terça, quando o Felipe citou o Soros em sua melhor forma, o arquétipo do investidor autocrítico: “Toda posição tem uma ou mais vulnerabilidades.” “Se você acha sua exposição perfeita, cuidado; você apenas não entendeu direito.”  “Sempre existe algo escondido ali, alguma armadilha não percebida a priori. Suas chances de […]

Dentro do balanço

Mercado Livre adere ao bitcoin e coloca R$ 40 milhões da criptomoeda em caixa

O documento foi publicado na página da SEC, a CVM americana, porque a empresa de entregas é listada na Nasdaq

Briga na Casa

Tensão no Congresso: Senado busca reforma tributária ampla, mas Câmara quer fatiar

A divisão da proposta em quatro partes é defendida pelo presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), com aval do ministro da Economia, Paulo Guedes, mas enfrenta resistências

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies