Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-10-13T20:20:54-03:00
Larissa Vitória
Larissa Vitória
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pelo portal SpaceMoney e pelo departamento de imprensa do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT).
Panorama do setor

Construtoras divulgam prévias operacionais do terceiro trimestre; confira os números de Cyrela (CYRE3), Cury (CURY3), Even (EVEN3), Melnick (MELK3) e Moura Dubeux (MDNE3)

Os resultados chegam aos investidores em meio ao novo ciclo de alta da taxa Selic e ao avanço nos preços de materiais, serviços e mão de obra do setor

13 de outubro de 2021
20:20
Alphaville
Veja abaixo os destaques operacionais de cada uma das construtoras. Imagem: Shutterstock

Esquentando os motores para o início da temporada de balanços, que começará ainda neste mês, cinco nomes da construção civil brasileira divulgaram nesta quarta-feira (13) suas prévias operacionais para o terceiro trimestre de 2021.

Os resultados de Cyrela (CYRE3), Cury (CURY3), Even (EVEN3), Melnick (MELK3) e Moura Dubeux (MDNE3) chegam aos investidores em meio ao novo ciclo de alta da taxa básica de juros brasileira, a Selic — que encarece os juros dos financiamentos imobiliários —, e ao avanço nos preços de materiais, serviços e mão de obra do setor.

Veja abaixo os destaques operacionais de cada uma das construtoras.

Cyrela (CYRE3) — lançou mais, mas vendeu menos

A companhia lançou 12 empreendimentos entre julho e setembro deste ano. Com um volume  total — que considera a participação de sócios nos lançamentos — de R$ 2,2 milhões, o indicador cresceu 33% em relação ao mesmo período de 2020. 

Calculando apenas a parte própria da incorporadora nos empreendimentos, o Valor Geral de Vendas (VGV) chegou a R$ 1,89 bilhão, alta de 41% na mesma base de comparação.

As vendas líquidas contratadas, no entanto, apresentaram queda de 20%: foram R$ 1,36 milhão no período, contra R$ 1,71 milhão no terceiro trimestre do ano passado. Já no acumulado em 2021 o valor chegou a R$ 3,95 milhões e superou em 29% os nove primeiros meses de 2020.

Cury (CURY3) — aposta em programa federal dá frutos

Na prévia que marca um ano desde seu IPO (Oferta Pública Inicial, da sigla em inglês), a construtora Cury informa o lançamento de seis empreendimentos no terceiro trimestre, totalizando um VGV de R$ 720,2 milhões e alta de 81,5% em relação ao mesmo período de 2020.

Nos primeiros nove meses de 2021, foram 19 empreendimentos, com VGV de R$ 2 bilhões. Na comparação com o exercício anterior, o salto é de 130,6%.

Focada nas faixas mais elevadas do Casa Verde e Amarela — programa habitacional do governo federal que sucedeu o Minha Casa Minha Vida — o preço médio das unidades lançadas pela incorporadora cresceu 18,2% na base trimestral e ficou em R$ 228 mil entre julho e setembro de 2021.

As vendas líquidas subiram 66,3% no período e chegaram a R$ 682,4 milhões, com preço médio de R$ 219,6 mil nas vendas registradas. No acumulado até agora neste ano, o indicador ficou em R$ 2 bilhões, alta de 107,7% na mesma base de comparação.

Even (EVEN3) — problema nas vendas

A incorporadora especializada em residenciais de média e alta renda lançou quatro empreendimentos no terceiro trimestre. Somados, eles geraram VGV total de R$ 767 milhões, sendo R$ 658 milhões direcionados à empresa; o valor superou em 5,7% o desempenho entre julho e setembro de 2020.

O destaque da prévia operacional, porém, foi a queda de 42,3% nas vendas líquidas, que totalizaram R$ 277 milhões nos primeiros nove meses do ano. Em igual período do ano passado, a construtora havia marcado R$ 480 milhões nessa mesma linha dos resultados financeiros.

Uma queda um pouco mais brusca, de 57,7%, também foi observada na comparação trimestral: foram R$ 277 milhões em vendas líquidas no terceiro trimestre de 2020, contra 480 milhões no 3T20.

Melnick (MELK3) — números modestos

Com os números mais modestos entre as construtoras que divulgaram prévias operacionais hoje, a Melnick lançou dois empreendimentos no terceiro trimestre. O VGV líquido do período foi de R$ 162,5 milhões, crescimento de 84,6% quando comparado ao 3T20; no ano, o indicador chegou a R$ 595, 2 milhões.

Apesar disso, os empreendimentos da Melnick, concentrados na região Sul, somaram R$ 99 milhões em vendas líquidas entre julho e setembro. O valor é 28,7% inferior ao registrado no mesmo período do ano passado.

Moura Dubeux (MDNE3) — o luxo compensa

Por fim, os lançamentos imobiliários da quinta construtora na lista saltaram 52,1% no terceiro trimestre, comparado ao mesmo período de 2020, para R$ 336,2 milhões em VGV líquido. As vendas contratadas cresceram 23,4% e foram a R$ 343 milhões.

Atuando há mais de 35 anos nos segmentos de luxo e alto padrão, a Moura Dubeux acumulou VGV lançado de R$ 927 milhões nos primeiros nove meses de 2021, com disparada de 320% em relação à performance de janeiro a setembro do ano passado. Já o aumento das vendas foi de 131%, para R$ 970,8 milhões.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Tartaruga x lebre

Warren Buffett está prestes a bater o retorno do fundo de empresas de tecnologia que brilhou na crise

As ações da Berkshire Hathaway, holding do bilionário, conseguiram lentamente se aproximar do retorno do ARK Innovation ETF, da badalada gestora Cathie Wood

Concurso 2446

Mega Sena acumula; confira os números sorteados e a previsão de prêmio para o próximo concurso

As dezenas sorteadas do concurso 2446 da Mega Sena foram 1-13-27-41-51-58. Próximo sorteio acontece no dia 25 de janeiro

Em busca de liquidez

WDC Livetech da Bahia (LVTC3) fará oferta para destravar negociações com ações para o pequeno investidor

Os papéis da WDC estrearam na B3 em julho do ano passado em oferta de ações restrita a investidores profissionais

Criptocrash

O que acontece com o bitcoin? 4 razões para o novo crash do mercado de criptomoedas

O bitcoin não é o mesmo desde que atingiu a máxima histórica de quase US$ 70 mil no início de novembro. Saiba as razões para o mau momento do mercado cripto

Sonho mais distante

Carro zero mais barato agora custa pelo menos 40 salários mínimos

Com alta de 27%, salário mínimo não conseguiu acompanhar o salto três vezes maior no período (83%) do preço do carro zero mais barato; confira

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies