O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2022-03-24T12:25:55-03:00
Larissa Vitória
Larissa Vitória
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pelo portal SpaceMoney e pelo departamento de imprensa do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT).
Pódio da XP

Cury (CURY3) supera inflação e vence a última bateria de balanços das construtoras no quarto trimestre; veja o pódio completo

Entre tombos e desacelerações, a empresa encontrou estratégias certeiras para ultrapassar o obstáculo inflacionário

18 de março de 2022
13:32 - atualizado às 12:25
Silhueta de trabalhadores da construção civil no pôr do sol | Construtoras, Cury, PDG PDGR3, ações
A alta no preço dos insumos dificulta a vida das construtoras da B3 - Imagem: rawpixel.com/freepik

A trajetória das ações das construtoras na B3 pode ser comparada a uma corrida com obstáculos desde o início do ano passado. Além das próprias concorrentes do setor, a pandemia e a alta na taxa básica de juros brasileira (Selic) também surgiram como empecilhos no caminho de Cury (CURY3), Cyrela (CYRE3), Plano&Plano (PLPL3) e Eztec (EZTC3).

Os balanços do quarto trimestre das quatro empresas, divulgados ontem, mostraram que uma barreira que já vinha atrapalhando a vida das companhias ganhou ainda mais força e transformou-se no maior obstáculo no caminho para o ouro: o aumento dos preços das matérias-primas da construção civil.

  • IMPORTANTE: liberamos um guia gratuito com tudo que você precisa para declarar o Imposto de Renda 2022; acesse pelo link da bio do nosso Instagram e aproveite para nos seguir. Basta clicar aqui!

Impulsionados pela inflação, os insumos construtivos pressionaram as margens brutas das construtoras, pegando as ações-corredoras pelo pé de apoio e derrubando as cotações.

Mas, entre tombos e desacelerações, uma dessas empresas encontrou estratégias certeiras para elevar a potência de seu salto e passou por cima do obstáculo inflacionário, terminando em primeiro lugar.

Com unidades mais caras e ajustes no mix de produtos oferecidos, a Cury foi medalha de ouro da corrida neste trimestre, segundo a XP. Cyrela e Plano&Plano aparecem em segundo e terceiro lugar, respectivamente, e completam o pódio formado pelos analistas da corretora.

Cury (CURY3) — margens saudáveis garantem medalha de ouro

Reportando receita líquida de R$ 491 milhões, alta de 42% na comparação com o mesmo período do ano anterior, a Cury não deu chance para a concorrência no quarto trimestre.

Ciente de que a inflação estaria mais alta e difícil de superar, a construtora não teve dúvidas e subiu também seu preço médio por unidade em 22,6%, para R$ 241 mil, a fim de impulsionar o salto sobre a barreira.

E a estratégia funcionou: a margem bruta ajustada foi de 38%, mais forte do que a esperada pela XP e apenas 0,4 ponto percentual menor na comparação anual. A leve queda representa uma raspadinha de tênis no obstáculo quando comparada aos números do restante do setor.

Os analistas da corretora também destacam o lucro líquido robusto de R$ 103 milhões — alta de 53% em relação aos últimos três meses de 2020 — e a geração de caixa sólida de R$ 92,7 milhões no trimestre.

“Assim, vemos a Cury como nossa top-pick e reiteramos recomendação de compra com um preço-alvo de R$ 13,00 por ação.”

O valor considera um percentual de alta de 83,88% em relação à cotação atual dos papéis. As ações CURY3 operam a R$ 7,07 nesta sexta-feira (18).

Cyrela (CYRE3) — resiliência é medalha de prata

A incorporadora voltada para os segmentos de alto padrão e luxo apresentou números “resilientes” para a XP, com lucro líquido de R$ 218 milhões entre outubro e dezembro de 2021 — queda de 16,7% na comparação com o mesmo período do ano anterior.

A margem bruta da Cyrela avançou 1,6 ponto percentual no quarto trimestre, para 33,4%. Segundo a corretora, este é um número "saudável" considerando a pressão nos preços das matérias-primas do setor.

Para manter a saúde do indicador, a construtora contou, segundo os analistas, com lançamentos robustos e forte desempenho de vendas. “Além disso, a Cyrela registrou geração de caixa sólida de R$ 100 milhões, levando sua alavancagem a 4,1% dívida líquida/patrimônio líquido, o que vemos como saudável nesse ambiente desafiador”.

A XP também reiterou sua recomendação de compra para as ações da companhia, com preço-alvo de R$ 33,00 por ação. Aqui o potencial de ganhos é de 113,73% em relação à cotação atual de R$ 15,44 hoje.

Plano&Plano (PLPL3) — resultados neutros atrasam a empresa na corrida

Medalha de bronze no pódio da XP, a Plano&Plano apresentou resultados neutros no quarto trimestre, indica a corretora.

Para os analistas, o desempenho foi resiliente quando se trata da receita líquida, que subiu 8% na comparação anual, para R$ 298 milhões.

Mas o indicador positivo foi ofuscado pela margem bruta fortemente prejudicada pela inflação. Marcando 31,4%, essa linha do balanço veio abaixo do esperado pela XP e 2,2 pontos percentuais menor do que no mesmo período de 2020.

Outro ponto negativo foi o crescimento da alavancagem da dívida líquida sobre o patrimônio líquido. A relação aumentou 6 p.p. na comparação com o trimestre imediatamente anterior, para 36%.

Ainda assim, a XP mantém uma visão “construtiva” para as ações no longo prazo e recomenda compra. O preço-alvo é de R$ 7 por ação e projeta alta de 166,16% quando comparado ao valor atual dos papéis PLPL3, cotados em R$ 2,63.

Eztec (EZTC3) — menção honrosa das construtoras

Última das companhias que divulgaram resultados ontem a ser analisada pela XP, a Eztec ficou de fora do pódio com resultados mais fracos do que o esperado.

Com vendas líquidas aquém do previsto, a companhia reportou uma receita líquida de R$ 176 milhões. O número veio 51% abaixo das estimativas da corretora e 33% menor do que o registrado no quarto trimestre de 2020.

Ainda assim, os analistas enxergam pontos positivos no balanço. A margem bruta, por exemplo, chegou a 43,7%, resultado 0,1 p.p. superior ao projetado. A posição de caixa líquido de R$ 868 milhões também foi classificada como “considerável” pela XP.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

FECHAMENTO DO DIA

S&P 500 é engolido por avalanche de vendas entre big techs e varejo; veja o gatilho para a queda das bolsas nos EUA

Perspectiva de um aumento de juros mais agressivo volta a assombrar os investidores em Wall Street, que fugiram de ações e outros ativos mais arriscados

DE VOLTA DAS CINZAS

Nova esperança da Terra (LUNA)? Criador do projeto tenta salvar criptomoeda que desapareceu com proposta de atualização; é o suficiente?

O relançamento da Terra inclui distribuição gratuita de novas criptomoedas para alguns investidores; saiba se você pode receber

concorrência no varejo

Magalu ameaçada? Dona da rival Shopee tem salto na receita e lidera aplicativos baixados no Brasil

Papéis da controladora da Shopee subiram 14% na bolsa de Nova York (Nyse) ontem (18) e fecharam o pregão valendo US$ 80,14

EM TEMPO REAL

TCU retoma julgamento da privatização da Eletrobras (ELET3) hoje; acompanhe ao vivo

O governo está otimista com a perspectiva de que o processo seja aprovado pelo tribunal

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies