🔴 DÓLAR A 5,38 E PODE SUBIR MAIS – VEJA COMO PROTEGER O SEU PATRIMÔNIO

Rafael Lara
Rafael Lara
Estudante de jornalismo na Faculdade Cásper Líbero de São Paulo. Trabalhou em empresas como: TV Gazeta, Suno Research e Portal iG.
Painel sobre América Latina

Bolsonaro adota tom positivo para reformas e privatizações em evento do Credit Suisse

O painel também conta com o ministro da Economia, Paulo Guedes.

Rafael Lara
Rafael Lara
26 de janeiro de 2021
10:19 - atualizado às 11:29
Jair Bolsonaro
Imagem: Carolina Antunes/PR

O presidente Jair Bolsonaro foi o primeiro palestrante no evento do Credit Suisse que discute os investimentos na América Latina. O painel também conta com o ministro da Economia, Paulo Guedes.

Leia também:

Bolsonaro começou sua fala sinalizando uma recuperação da economia brasileira dizendo que todo o trabalho que está sendo feito para criar uma economia brasileira "mais aberta, eficiente e competitiva está em sintonia com a atração de investimentos estrangeiros diretos, particularmente para projetos prioritários na área de infraestrutura".

"Pretendemos acelerar os leilões de concessões e privatizações, em especial no âmbito do Programa de Parceria de Investimentos, o PPI, que tem uma carteira de projetos estratégicos de longo prazo, baixo risco e com taxas de retorno atraentes e estáveis", disse Bolsonaro.

O PPI, inclusive, foi o que Bolsonaro mais destacou em seu breve discurso, realçando que com o programa "entre 2019 e 2020, concluímos 65 leilões e projetos. Ressalto como exemplos concretos do êxito do PPI: os projetos da ferrovia ferro-grão e da ferrovia de integração oeste-leste", disse.

Sinal positivo para privatizações e reformas

O presidente também deu como será o tom com as despesas da pandemia afirmando que não irá "deixar que medidas temporárias relacionadas com a crise se tornem compromissos permanentes de despesas. Nosso objetivo é passar da recuperação baseada no apoio ao consumo para um crescimento sustentado pelo dinamismo do setor privado."

Além disso, disse que "em 2021, vamos acelerar o calendário de privatizações e dar continuidade às medidas de aperfeiçoamento do ambiente de negócios. Queremos regulamentos mais simples e menos onerosos para destravar o imenso potencial do Brasil e facilitar o trabalho da iniciativa privada."

OCDE e vacinação

A modernização da economia e o aprimoramento das políticas públicas também foram tema do discurso de Bolsonaro, que afirmou que elas "passam pelo aprimoramento das políticas públicas passam pela incorporação das melhores práticas internacionais. Por isso, a nossa ascensão à OCDE permanecerá como meta prioritária da política externa brasileira. Também vamos avançar na tramitação das propostas da reforma fiscal, tributária e administrativa."

Por fim, a fala sobre aquilo que possivelmente é a coisa mais importante no País hoje: a vacina. Bom, de acordo com o presidente: "sempre disse que qualquer vacina uma vez aprovada pela Anvisa, ela seria comprada pelo governo federal. Só no ano passado, assinamos em dezembro uma medida provisória destinando um crédito de R$ 20 bilhões para as vacinações e elas agoram tornam-se uma realidade para nós.

"Já somos o sexto país que mais vacinou no mundo, brevemente estaremos nos primeiros lugares, para darmos conforto à população, segurança a todos e de forma que a nossa economia não deixe de funcionar, concluiu Bolsonaro.

Compartilhe

Má fase

Ainda na esteira de escândalos e abalado pelo cenário econômico difícil, Credit Suisse troca de CEO após novo prejuízo bilionário

27 de julho de 2022 - 16:47

Thomas Gottstein será substituído por Ulrich Koerner, após banco suíço registrar perdas equivalentes a US$ 1,66 bilhão no 2º tri, muito superiores ao esperado por analistas

DESTAQUES DA BOLSA

Por que as ações da PagSeguro (PAGS34) despencam 20% apesar do lucro recorde no 1T22?

9 de junho de 2022 - 14:18

O mercado enxerga além do 1T22 e pode estar precificando novamente as dificuldades que a empresa talvez enfrente nos próximos meses

PÓDIO DO VAREJO

Arezzo (ARZZ3), Centauro (SBFG3) ou Renner (LREN3)? Qual varejista vai ganhar a corrida dos resultados do 1T22?

26 de abril de 2022 - 13:08

O Credit Suisse espera que os números das três empresas sejam bem recebidos pelo mercado, mas uma delas vai ocupar o lugar mais alto do pódio; saiba qual

Real vem forte

O dólar pode cair ainda mais? Veja as projeções do Credit Suisse para as cotações da moeda

24 de março de 2022 - 11:20

Tombo recente reverte apenas uma parte da valorização do dólar nos últimos anos; saiba até quanto a moeda pode cair, segundo o banco suíço

FUGINDO DE PUTIN?

Como os bancos de Wall Street estão driblando as sanções contra Rússia e negociando no país

11 de março de 2022 - 20:22

Goldman Sachs, JP Morgan e Deustche Bank são os primeiros a anunciar que estão deixando o país e podem ser seguidos por outras instituições financeiras globais

DINHEIRO SUJO

Vazamento de dados do Credit Suisse expõe supostas conexões criminosas entre 18 mil contas com mais de US$ 100 bilhões em depósitos

20 de fevereiro de 2022 - 18:13

Banco suíço debate-se hoje com o mais recente escândalo noticiado pela imprensa internacional; Credit contesta denúncia

DERRUBADO PELA COVID

Com presidente do Conselho fura-quarentena e perdas de clientes, Credit Suisse tem desafio de recuperar reputação

17 de janeiro de 2022 - 15:05

Credit Suisse volta a ser abalado com saída de presidente do Conselho que veio para recuperar a imagem do banco, mas foi pego violando as regras da quarentena contra a covid-19

PISTA LIVRE

CCR (CCRO3) ou EcoRodovias (ECOR3)? O Credit Suisse aponta qual a via mais rápida para o lucro na bolsa

5 de janeiro de 2022 - 11:06

O banco suíço tem recomendação de compra para ambas as empresas e vê potencial de alta de mais de 40% para as ações. Mas o portfólio de uma delas é visto como mais sólido no momento

FALTA CLAREZA

Setor de maquininhas está descontado, diz o Credit Suisse, mas ausência de catalisadores inibe espaço para reação

24 de dezembro de 2021 - 14:12

Banco suíço corta preço-alvo da PagSeguro, da Stone e da Cielo, mas ainda vê espaço para crescimento das empresas de meios de pagamento

PARADA NO ACOSTAMENTO

Credit Suisse coloca o pé no freio com a EcoRodovias: banco rebaixa recomendação para ECOR3 e corta preço-alvo; ação cai na bolsa

14 de dezembro de 2021 - 13:17

Alta dos juros e custos de captação mais elevados foram os principais motivos alegados pela instituição financeira para a revisão

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar