O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2022-01-05T19:49:08-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico. Em 2020, foi eleito pela Jornalistas & Cia como um dos 10 profissionais de imprensa mais admirados no segmento de economia, negócios e finanças.
PISTA LIVRE

CCR (CCRO3) ou EcoRodovias (ECOR3)? O Credit Suisse aponta qual a via mais rápida para o lucro na bolsa

O banco suíço tem recomendação de compra para ambas as empresas e vê potencial de alta de mais de 40% para as ações. Mas o portfólio de uma delas é visto como mais sólido no momento

5 de janeiro de 2022
11:06 - atualizado às 19:49
Montagem mostrando dois exércitos se chocando no horizonte. De um lado, aparece o logo da CCR (CCRO3); do outro, o logo da EcoRodovias (ECOR3)
Imagem: Shutterstock, com intervenção de Andrei Morais

O setor de infraestrutura tem duas rotas bastante tradicionais na bolsa: alguns preferem a CCR (CCRO3) e seu amplo portfólio de estradas, aeroportos e concessões de mobilidade urbana; outros gostam mais da EcoRodovias (ECOR3) e sua carteira de concessões mais enxuta, mas com alguns ativos bastante rentáveis. Para o Credit Suisse, ambas garantem uma viagem tranquila ao investidor, mas uma delas promete um deslocamento mais rápido para cima.

A avaliação do banco suíço é clara: as duas ações têm condições para pisar no acelerador ao longo de 2022. Tanto CCRO3 quanto ECOR3 possuem recomendação overweight (semelhante à compra) e preços-alvo que implicam um potencial de alta de mais de 40% em relação às cotações atuais; a EcoRodovias, inclusive, teve sua classificação elevada — anteriormente, o Credit Suisse tinha uma postura neutra para os papéis.

Dito isso, a instituição financeira aponta a CCR como sua favorita no setor: a carteira mais diversificada, as vitórias recentes em diversos leilões de infraestrutura e a duração mais longa de seus projetos dão à empresa uma ligeira vantagem em relação à EcoRodovias.

E mesmo no mercado de ações, o desempenho da CCR tem sido superior. Em meio à forte turbulência vista na bolsa ao longo do segundo semestre de 2021, os papéis CCRO3 apresentaram um comportamento relativamente sólido, com um retorno menos negativo que o do Ibovespa; os ativos ECOR3, por outro lado, amargaram uma queda intensa:

Vale lembrar que 2021 foi um ano bastante intenso para o setor de infraestrutura, com inúmeros leilões de estradas e aeroportos. Além disso, a reabertura gradual da economia e a reativação do turismo trouxeram consigo um aumento no fluxo de veículos nas estradas e de passageiros nos aeroportos, elevando a geração de receita dessas empresas.

Esse pano de fundo tende a continuar em 2022, com uma série de leilões federais e estaduais de ativos de infraestrutura já previstos para os próximos meses. Além disso, a renovação de contratos e prorrogação dos prazos de concessão de estradas também foi motivo de comemoração entre investidores e analistas.

Considerando todos esses pontos e as mudanças promovidas pelo Credit Suisse em sua análise setorial, qual a reação do mercado nesta quarta-feira (5)? Bem, no início do pregão, o comportamento das duas ações foi tímido, com ambas operando perto da estabilidade. Depois, com a piora generalizada do mercado, CCRO3 fechou em baixa de 1,49%, a R$ 11,26, e ECOR3 encerrou em queda de 1,00%, a R$ 6,94.

CCR (CCRO3): a preferida do Credit Suisse

  • Recomendação: compra
  • Taxa interna de retorno (IRR): 11,1%
  • Preço-alvo: R$ 17,00
  • Potencial de alta: +49%

A CCR teve um 2021 bastante movimentado: arrematou dois blocos de aeroportos no leilão de abril, colocando mais 15 terminais em sua carteira; arrematou a concessão linhas 8 - Diamante e 9 - Esmeralda da CPTM, em São Paulo; e saiu vitoriosa do leilão para relicitação da NovaDutra, mantendo um dos principais ativos de seu portfólio por mais 30 anos.

Além disso, a companhia também assegurou a prorrogação do prazo do contrato do sistema Anhanguera-Bandeirantes — um evento que, além de garantir a continuidade da concessão, também afastou os riscos jurídicos relacionados ao possível rompimento contratual por parte do governo de São Paulo.

O saldo disso tudo, para o Credit Suisse, é uma dinâmica mais saudável para o portfólio da CCR. Os novos projetos aumentam a duração da carteira da empresa e diluem a depreciação dos ativos ao longo do tempo. Tanto é que, ao levar esse novo perfil em conta, o banco reduziu em R$ 1,1 bilhão suas projeções de impacto de depreciação e amortização em 2022 — o que, naturalmente, traz um efeito positivo para as estimativas de lucro líquido.

"Mantemos nossa preferência pela CCR em relação à EcoRodovias, considerando a diversificação da companhia e a liquidez mais elevada das ações", escrevem Regis Cardoso, Henrique Simões e Alejandro Zamacona, analistas do Credit Suisse.

EcoRodovias (ECOR3): valuation atrativo

  • Recomendação: compra (era neutra)
  • Taxa interna de retorno (IRR): 11,1%
  • Preço-alvo: R$ 10,00 (era R$ 11,00)
  • Potencial de alta: +43%

A EcoRodovias teve um ano bem menos atribulado: saiu derrotada na disputa pela NovaDutra e não conquistou novas concessões. No entanto, conseguiu a prorrogação do contrato do sistema Anchieta-Imigrantes junto ao governo de São Paulo, o principal ativo de sua carteira.

O próprio Credit Suisse tinha rebaixado a recomendação de EcoRodovias para neutro em dezembro, dado o pouco progresso em termos de ampliação de portfólio em comparação com a CCR. No entanto, de lá para cá, as ações ECOR3 tiveram uma queda forte — e o atual nível de preço é um bom ponto de entrada.

Vale ressaltar, no entanto, que o banco suíço cortou o preço-alvo de ECOR3. Os analistas lembram que as concessões da Ecovias Caminho do Mar e da Ecocataratas chegaram ao fim, o que traz um efeito duplo à EcoRodovias: por um lado, há uma queda de receita líquida; por outro, há um menor impacto de depreciação no curto prazo.

Numa análise semelhante à da CCR, o Credit Suisse pondera que os gastos da EcoRodovias com depreciação e amortização em 2022 devem ser R$ 236 milhões menores que o previsto, o que dará impulso ao lucro líquido no ano.

Riscos e oportunidades para CCR e EcoRodovias

Esse retorno implícito de mais de 40% para CCRO3 e ECOR3 possui alguns riscos, sobretudo quando levamos em conta o ambiente econômico do país. Juros altos e baixo crescimento do PIB tendem a afetar a atividade industrial, o que, por sua vez, pode reduzir o fluxo de caminhões e veículos pesados nas estradas — justamente os que pagam maiores tarifas de pedágio.

Além disso, eventuais novas ondas da Covid-19 podem afetar a movimentação de veículos leves, com menos pessoas viajando a lazer ou a trabalho. Por fim, a sombra dos riscos regulatórios nunca está descartada, com eventuais discussões sobre revisões contratuais e anulações de aditivos sempre rondando o setor.

Há, ainda, a questão dos novos leilões de infraestrutura previstos para 2022. E se é verdade que ativos inéditos injetam sangue novo na CCR e na EcoRodovias, também é verdade que uma competição acirrada demais — seja entre as duas companhias ou com players estrangeiros — pode culminar em ofertas excessivamente agressivas nas disputas, o que reduz a rentabilidade dos projetos.

Leilões: o que vem por aí

  • BR-116/493 (CRT) (RJ-MG)
    • Previsão: 1º trimestre de 2022
    • Prazo: 30 anos
    • Investimento estimado: R$ 8,6 bilhões
  • Rodovias Integradas do Paraná
    • Previsão: 1º trimestre de 2022
    • Prazo: 30 anos
    • Investimento estimado: R$ 42,1 bilhões
  • 7ª rodada de leilões de aeroportos
    • Previsão: 3º trimestre de 2022
    • Bloco Norte II (Belém, Santarém, Marabá, Carajás, Altamira e Macapá)
    • Bloco RJ-MG (Santos Dumont, Jacarepaguá, Uberlândia, Montes Claros e Uberaba)
    • Bloco SP-MS (Congonhas, Campo de Marte, Campo Grande, Corumbá e Ponta Porã)
  • Rodovias do litoral paulista
    • Previsão: 2022
    • Prazo: 30 anos
    • Investimento estimado: R$ 3 bilhões
  • Rodovias estaduais do Rio Grande do Sul
    • Três blocos de estradas
    • Previsão: 2022
    • Prazo: 30 anos
Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

ESTRADA DO FUTURO

Cibersegurança, inteligência artificial e computação na nuvem: veja 3 ações de tecnologia para comprar agora

Depois de aprender onde não investir no setor de tecnologia, hoje é dia de conhecer os segmentos onde estão as melhores oportunidades

ELEIÇÕES 2022

A terceira via agora tem rosto: veja o que falta para Simone Tebet firmar-se como candidata alternativa a Lula e Bolsonaro

PSDB, MDB e Cidadania chegaram a um consenso, mas indicação de Simone Tebet ainda precisa ser aprovada pelas executivas dos partidos que formam a terceira via

NOITE CRIPTO

Não durou muito: bitcoin (BTC) opera em queda e volta a ficar abaixo do nível de US$ 30 mil; veja a performance das outras criptomoedas

O peso da perda de confiança do mercado é um dos pontos que mais afastam o investidor do mercado de criptomoedas atualmente

DISTRIBUINDO MAIS DO QUE COMBUSTÍVEIS

Dividendos e JPC: Vibra Energia (VBBR3) anuncia o pagamento de R$ 131 milhões em proventos; confira prazos

Ao todo, a distribuidora de combustíveis já pagou R$ 663 milhões em dividendos e juros sobre capital próprio no exercício de 2021

CSN (CSNA3) e CSN Mineração (CSNA3) vão recomprar até 164 milhões de ações; veja o que muda para os acionistas

As duas companhias aproveitam o momento descontado na B3 para encerrar os programas atuais e iniciar novas operações com duração de um ano

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies