Menu
2021-06-05T15:17:01-03:00
Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Happy hour via Zoom

Otimista com o Zé Delivery, Credit Suisse eleva preço-alvo da Ambev

App de entrega de cerveja em casa tem brilhado na pandemia, como seria de se esperar; mas para o Credit, seu potencial ainda não está no preço da ação da Ambev

5 de junho de 2021
15:12 - atualizado às 15:17
Lata de cerveja da Skol, da Ambev
Lata de cerveja da Skol, da Ambev - Imagem: Shutterstock

Brasil, ano de 2020. Uma pandemia de um vírus mortal obriga as pessoas a passarem mais tempo em casa, fecha o comércio, atinge em cheio o segmento de bares e restaurantes e acaba com o happy hour da firma.

A gestão do poder público deixa muito a desejar, e a doença foge de controle. A atividade econômica entra num verdadeiro abre e fecha, conforme o contágio avança e recua em ondas. O desemprego escala. E tudo isso sem data certa para acabar.

Num cenário pós-apocalíptico como esse, só bebendo para esquecer. E na febre do e-commerce que se seguiu, se um aplicativo de entrega de cerveja em domicílio não fosse uma mina de ouro, não sei o que mais seria.

Nesse contexto, o app Zé Delivery, da Ambev, tem transformado as operações brasileiras da companhia. Em relatório publicado na última semana, o Credit Suisse destacou o papel do aplicativo e da plataforma BEES, de venda para comerciantes (B2B), no crescimento recente do volume comercializado e na melhora na precificação do mix de produtos da Ambev.

Mas o banco diz acreditar que o valor das duas plataformas ainda não está no preço das ações. Tanto que elevou o preço-alvo dos papéis (ABEV3) de R$ 18 para R$ 21,50, um potencial de valorização de cerca de 11% em relação à cotação de fechamento da última sexta-feira (04). A recomendação foi mantida em "outperform" (equivalente a "compra").

Segundo relatório assinado pela analista Marcella Recchia, a Ambev negocia a 24 vezes sua relação Preço/Lucro projetado para 2022, sendo que essa relação sobe para 26,5 vezes no preço-alvo estipulado pelo banco.

"Embora muitos investidores considerem esse valuation caro, nós vemos que a ação apresenta um desconto de cerca de 24% em relação à sua média histórica de 32 vezes a relação Preço/Lucro, ajustada pelas taxas de juros brasileiras atuais", diz a analista do Credit.

Ebitda de R$ 1 bilhão em cinco anos

Recchia diz estimar que, juntos, Zé Delivery e BEES podem contribuir com cerca de 5 milhões de hectolitros para os volumes e alcançar em torno de 8% das vendas na vertical "Cerveja Brasil" da companhia no ano de 2026.

"Com melhorias contínuas na logística, vemos o Ebitda do Zé Delivery atingindo R$ 1 bilhão (cerca de 7% de 'Cerveja Brasil') com margem de 33% em cinco anos."

- Marcella Recchia, analista do Credit Suisse.

A analista destaca que, desde o início da gestão do atual CEO, Jean Jereissati, a Ambev mudou de uma companhia pouco inovadora e voltada para a recuperação de volumes e margens num ambiente competitivo subestimado para uma empresa mais inovadora e profundamente focada em crescimento (em vez de recuperação imediata das margens), ao mesmo tempo em que mantém seu foco no cliente e suas práticas de austeridade.

"Nós esperamos que a Ambev continue usando uma abordagem mais flexível para equilibrar o crescimento de volumes como iniciativas de precificação do mix de produtos, endereçando a renda menor dos consumidores, mas também sustentando o momentum de crescimento do seu Ebitda, apesar da provável preção de custos de commodities em 2022 (mesmo que isso signifique uma recuperação de margens mais lenta adiante)", diz o relatório.

O Credit Suisse elevou suas estimativas de crescimento para vendas líquidas, Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) e taxa de crescimento anual composta (CAGR, na sigla em inglês) do lucro por ação da Ambev, no período de 2021 a 2026, conforme abaixo:

  • Vendas líquidas: de +5,7% para +7,9%;
  • Ebitda: de +9% para +11,6%;
  • CAGR do lucro por ação: de +11,8% para +13,6%.
Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

OBSTÁCULO VENCIDO

‘A batalha foi vencida, mas a luta continua’: MP da Eletrobras passa no Senado, mas obstáculos até a privatização não acabaram

O texto volta agora para a Câmara e deve ser votado na segunda-feira. Embora os analistas não vejm obstáculos nessa etapa, os próximos meses podem trazer novos atritos

comissão no senado

Relator da CPI da Pandemia divulga lista de investigados; confira

Na condição de investigados, a CPI poderá também aprovar quebra de sigilos e operações de busca e apreensão em endereços ligados a eles

Maquininhas internacionais

De malas prontas: presidente da Getnet revela planos para o início das operações na Europa em 2022

A empresa se tornou peça-chave nos planos do espanhol Santander de criar uma plataforma global de pagamentos

Renda variável

Na batalha das corretoras, Rico vai zerar taxa em operações com opções

A medida busca tornar a corretora mais competitiva e reforçar a atuação do grupo no ramo da renda variável

Concursos públicos

De olho nos concurseiros, Yduqs anuncia aquisição da plataforma de EaD Qconcursos

Plataforma de cursos preparatórios para concursos públicos tem 412 mil alunos pagantes e mira mercado potencial de 17 milhões de pessoas; valor da operação não foi divulgado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies