Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-01-26T07:45:17-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
remendando a situação

Eletrobras tenta apaziguar ânimos dizendo que escolha de CEO será técnica

Saída de Wilson Ferreira Jr. está sendo vista como uma derrota para os planos de privatização da companhia elétrica

26 de janeiro de 2021
7:45
Privatização Eletrobras
Sede da Eletrobras no Rio de Janeiro - Imagem: Divulgação

Quem vai assumir o comando da Eletrobras (ELET6) no lugar de Wilson Ferreira Junior, que renunciou ao cargo e vai assumir o comando da BR Distribuidora (BRDT3)?

A pergunta está na mente de todos os investidores desde o anúncio da saída de Ferreira no domingo (24), decisão que surpreendeu a todos negativamente – os recibos de ações (ADRs) da companhia recuaram mais de 11% no pregão de segunda-feira (25), e Nova York.

A resposta é crucial, porque servirá de indicador da intenção do governo federal em privatizar a companhia. Wilson assumiu o comando da empresa em 2016 justamente com este objetivo.

No momento, o plano de privatização consiste em promover uma capitalização da estatal com a participação de investidores privados e, desta forma, diluir a participação do governo

Sua saída está sendo interpretada como uma derrota deste plano, que encontra muita resistência política no Congresso. Não por acaso, as ações da companhia (ELET3 e ELET6) acumulam desvalorização de mais de 17% apenas em janeiro (vamos ver como elas acabam o pregão de hoje).

Como forma de apaziguar os ânimos dos investidores, a Eletrobras divulgou na noite de segunda-feira (25) um comunicado ao mercado indicando que a escolha do sucessor obedecerá a critérios técnicos e que a empresa será assessorada por uma consultoria externa especializada em recrutamento e seleção de executivos.

“É atribuição legal e estatutária deste colegiado, e de igual modo compõe seu dever de fidúcia, eleger o sucessor do Sr. Wilson Ferreira Jr. na presidência da Eletrobras, de acordo com critérios e parâmetros técnicos capazes de identificar o candidato que melhor se adeque ao perfil, às qualificações técnicas e à experiência profissional necessários para assegurar a continuidade dos trabalhos de aprimoramento da governança e gestão da Eletrobras”, diz trecho do comunicado.

“Não ganhou tração”

Em teleconferência com analistas para falar sobre sua saída, Wilson reafirmou que escolheu sair da Eletrobras por questões pessoais e que a privatização da Eletrobras “não ganhou tração” por conta da pandemia de covid-19.

Segundo ele, o processo continuará, mas é importante o envolvimento do presidente Jair Bolsonaro. “Para que a gente tenha o reforço da mensagem, é importante que ele [Bolsonaro] se envolva também”, disse ele, segundo o jornal Valor Econômico.

Apesar da fala dele, a privatização da Eletrobras perde força em Brasília. Recentemente, o candidato do governo à presidência do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), disse que a venda da estatal não será foco de sua gestão.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Ele está de volta?

Setores fazem pressão por volta do horário de verão

Criado com a finalidade de aproveitar o maior período de luz solar durante a época mais quente do ano, o horário de verão foi instituído no Brasil em 1931 pelo então presidente Getúlio Vargas e adotado em caráter permanente a partir de 2008.

MANOBRAS

Juiz põe no banco dos réus ex-gestores do banco Máxima por gestão fraudulenta

O Banco Máxima S.A. informa que seus atuais acionistas assumiram a administração do banco em 2018, após aprovação pelo Banco Central, e que os integrantes da antiga gestão não têm mais qualquer relação com a instituição financeira

Foguete? Tô fora!

Warren Buffet: o bilionário que não quer conhecer as estrelas

Enquanto Bezos, Musk e Branson protagonizam a nova corrida especial, o Oráculo de Omaha prefere apenas observar

O melhor do Seu Dinheiro

O seu momento Sherlock Holmes

Na adolescência, ouvia que quem buscasse por romance policial brasileiro deveria ler algo do Rubem Fonseca. Era uma vontade minha achar uma história desse gênero que fosse mais próxima da minha realidade — e o filtro nacionalidade me pareceu o mais adequado.  A ideia surgiu depois de ter conhecido parte das histórias criadas por Agatha […]

Mesa Quadrada

Comentarista da ESPN Paulo Antunes fala da sua paixão por futebol americano e experiência no mercado financeiro

Ele conta sobre suas aventuras na cobertura de futebol americano e basquete e ainda revela seus investimentos na Bolsa em novo episódio do podcast Mesa Quadrada

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies