Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-11-25T19:02:01-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
DESABASTECIMENTO

Prateleiras vazias: China agrava desabastecimento global com política de Covid Zero

Quarentenas obrigatórias causam congestionamento nos portos chineses e intensificam crise de desabastecimento

25 de novembro de 2021
16:04 - atualizado às 19:02
Navio cargueiro carregado de contêineres; imagem faz ilusão à exportação e às empresas exportadoras
Imagem: Cameron Venti/Unsplash

A política de Covid Zero na China está impedindo a recuperação da indústria naval e prolongando a crise de desabastecimento que vem afetando o mundo inteiro. Como forma de proteção contra o vírus, a potência estabeleceu, entre outras coisas, uma quarentena obrigatória de até sete semanas para marinheiros chineses desembarcarem no país.

Para estrangeiros, o período de isolamento tem duração mínima de duas semanas, mesmo que a tripulação tenha sido renovada antes de chegar ao gigante asiático. Para cumprir as exigências, navios tiveram que ser redirecionados, o que atrasa remessas e mudanças de tripulação, agravando a crise da cadeia de suprimentos.

“As restrições da China causam efeitos colaterais”, diz Guy Platten, secretário-geral da Câmara Internacional de Navegação, à Bloomberg. “Quaisquer restrições às operações de envio têm um impacto acumulativo na cadeia de abastecimento e causam interrupções reais”.

Na posição de um dos maiores exportadores do mundo, o país é um centro importante para a indústria naval, mas abriga a maior concentração de portos congestionados do mundo. Autoridades do setor naval vêm pedindo para que a China relaxe as restrições ou as interrupções podem se tornar contínuas, com chances de agravamento. 

De acordo com Terence Zhao, diretor de um dos maiores agentes chineses de abastecimento de tripulações, o foco principal dos portos é a quarentena e questões de saúde. Ele afirma ainda que os regulamentos podem mudar a depender da situação global da pandemia de coronavírus.

“Tivemos navios que sofreram demurrage [taxas atrasadas] e casos em que fomos obrigados a desviar o trajeto" disse Eman Abdalla, diretor de operações globais e cadeia de suprimentos da Cargill, corporação global de alimentos. “Há momentos em que os atrasos ocorrem dentro de horas, mas também há casos em que os atrasos podem durar dias”, completa. 

A Euronav NV, uma das maiores proprietárias mundiais de superpetroleiros, gastou cerca de US$ 6 milhões lidando com interrupções relacionadas à crise de troca de tripulação, incluindo desvios, quarentenas e maiores custos de viagem. 

Crise de desabastecimento

Os analistas da agência de classificação de risco de crédito Moody’s estão pessimistas com a cadeia de abastecimento global. Para eles, a política chinesa pode ser um grande empecilho na recuperação econômica mundial.

A situação já é ruim, com a escassez de microchips, congestionamentos de navios em grandes portos pelo mundo e a falta de caminhoneiros em países desenvolvidos, fazendo os custos e preços subirem ao redor do mundo. Mas tende a piorar.

Para a Moody's, a tendência é a recuperação econômica global desacelerar. "À medida que a recuperação econômica global ganha força, o que fica cada vez mais claro é que ela será bloqueada por interrupções na cadeia de suprimentos que surgem em cada canto", afirmam os analistas da agência.

De acordo com eles, “os controles de fronteira, as restrições de mobilidade, a indisponibilidade de um passaporte de vacina global e a demanda reprimida se combinaram para uma tempestade perfeita [que está por vir]”.

A Moody’s aponta também que as diferentes táticas adotadas pelos países no combate à pandemia atrapalham. Enquanto a China busca zerar os casos, os Estados Unidos parecem "mais dispostos a viver com a Covid-19 como uma doença endêmica".

“Isso representa um sério desafio para harmonizar as regras e regulamentos pelos quais os trabalhadores do setor de transporte entram e saem de portos e centros em todo o mundo”, observam os analistas. Por fim, a Moody's menciona a inexistência de um "esforço global combinado para garantir o bom funcionamento" da rede mundial de logística e transporte.

*Com informações da Bloomberg.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

BC aumenta a Selic, Nubank conclui IPO e mercado reage bem à PEC dos precatórios; veja o que marcou esta quarta-feira

Conforme esperado pelos economistas após dados recentes mais fracos da atividade econômica brasileira, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central decidiu elevar a taxa básica de juros em 1,5 ponto percentual, a 9,25% ao ano, em sua última reunião do ano. Se em muitos momentos ao longo de 2021 o mercado acionário reagiu ao […]

2022 MAIS GORDO

Dividendos e JCP: Copel (CPLE6) engrossa a lista de pagamentos milionários aos acionistas; não fique fora dessa

Data da remuneração ainda não foi definida pela empresa, mas valerá para aqueles com posição até 30 de dezembro deste ano

FECHAMENTO DO DIA

Investidores tentam equilibrar noticiário e Ibovespa emplaca mais um dia de alta; dólar tem queda firme com ômicron no radar

Com o avanço da PEC dos precatórios, a pandemia se torna um dos únicos gatilhos negativos a rondar o Ibovespa

DOBRANDO A ESQUINA

Lucro das empresas com ações na bolsa deve cair 6,3% em 2022, diz BTG Pactual

Mesmo assim ainda é possível encontrar setores em que o cenário é positivo; saiba quem é quem

Bateu o martelo

IPO do Nubank sai no topo da faixa indicativa, a US$ 9 por ação; banco ultrapassa Itaú (ITUB4) e é a instituição financeira mais valiosa da América Latina

Com isso, os BDRs, que serão negociados por aqui a partir da próxima quinta-feira (09), saem valendo R$ 8,38

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies