Menu
2020-05-25T08:00:56-03:00
crise política

Nas redes, avaliação é de que divulgação de vídeo favorece presidente

Relatório da DL Rosenfield indica que o vídeo da reunião ministerial de 22 de abril foi interpretado nas redes sociais como uma “grande vitória” para bolsonaristas

25 de maio de 2020
8:00
Jair Bolsonaro
Imagem: Isac Nóbrega/PR

Relatório da DL Rosenfield indica que o vídeo da reunião ministerial de 22 de abril foi interpretado nas redes sociais como uma "grande vitória" para bolsonaristas. Com dados coletados entre sexta-feira, dia da divulgação da gravação, e sábado, foi notado "entusiasmo" e grande engajamento entre os apoiadores do presidente Jair Bolsonaro.

Segundo o levantamento, entre os opositores também predomina a avaliação de que o vídeo favorece Bolsonaro. Para eles, no entanto, a gravação divulgada comprova as denúncias e mostra, com os palavrões e arroubos, a "inaptidão" do presidente em comandar o País.

O documento ainda menciona "idolatria em níveis preocupantes" entre apoiadores e que essa parcela adota uma "postura defensiva intransigente" de militância.

Análise da consultoria Bites complementa o relatório da DL Rosenfield. Segundo a consultoria, o tom das redes foi "extremamente positivo" para o presidente. André Eler, gerente da Bites, avaliou que "a militância bolsonarista nunca esteve com um discurso tão alinhado e tão pronto desde o início da crise da pandemia" do coronavírus.

Só em duas outras ocasiões nesse período, segundo Eler, Bolsonaro gerou tanto interesse nas redes sociais quanto sexta-feira: em 25 de março, na repercussão de um pronunciamento em rede nacional na noite anterior, e em 24 de abril, o dia da saída de Sérgio Moro do Ministério da Justiça.
Entre os deputados federais, a dinâmica da polarização se manteve. Segundo a Bites, nas quatro horas após a divulgação do vídeo, parlamentares publicaram 752 posts em seus perfis oficiais nas redes sociais.

Três partidos de oposição (PT, PSOL e PCdoB) foram responsáveis por 54% dos posts nesse período, enquanto o PSL ficou com 17% do volume.

Fabio Malini, um dos coordenadores do Laboratório de Imagem e Cibercultura da Universidade Federal do Espírito Santo, identificou, em coleta de dados feita anteontem, 104 mil perfis com posicionamento de defesa do governo Bolsonaro no Twitter. Segundo ele, do total de participantes da discussão sobre a reunião ministerial, 14,4% eram favoráveis ao presidente.

Malini observou que, pelas interações no Twitter, já há unificação de uma frente anti-Bolsonaro. Perfis identificados como "lavajatistas" e de esquerda interagem entre si para criticar o governo. "Se os caciques dos partidos batem cabeça na tal frente ampla, isso é problema deles. Por aqui, já unificou", escreveu Malini ao publicar sua análise. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

IR 2020

Caiu na malha fina? Veja como regularizar a situação

Saiba como regularizar a sua situação junto a Receita Federal caso a sua declaração apresente informações inconsistentes e caia na malha fina do imposto de renda

Flexibilização

Prefeitura de São Paulo assina protocolo para reabrir bares e salões de beleza

A cidade está na terceira etapa do plano de flexibilização da quarentena do governo estadual, chamada de fase amarela. Com os termos firmados, os estabelecimentos poderão voltar a funcionar na segunda-feira

Recuperação

Fundos imobiliários de tijolo subiram 6% em junho; FII de shoppings ainda caem 21% no ano

Fundos imobiliários de papel, por sua vez, valorizaram, em média, só 3% no mês passado, segundo indicadores calculados pelo Banco Inter

BNDES prorroga linha de crédito para pequena e média empresa, com mais R$ 5 bilhões

Linha para capital de giro será prorrogada até 31 de dezembro, com orçamento ampliado

Crise

Risco para investir volta a nível de 2016

Estrangeiro olha com desconfiança para o Brasil, por conta da crise do coronavírus e também pela taxa de juros nas mínimas históricas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements