Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-05-20T06:39:53-03:00
Estadão Conteúdo
direitos humanos

Corte Interamericana analisa denúncia contra Bolsonaro por homenagem a Curió

Governo foi denunciado por descumprir sentença unanime da Corte que condenou o Brasil pelo desaparecimento forçado e morte de dezenas de pessoas durante o período da ditadura

20 de maio de 2020
6:39
27/01/2020 Sessão de abertura do Seminário Empresarial Brasil-
(Nova Delhi - Índia, 27/01/2020) Presidente da República, Jair Bolsonaro, durante a Sessão de abertura do Seminário Empresarial Brasil-Índia. - Imagem: Alan Santos/PR

A Corte Interamericana de Direitos Humanos começou a analisar denúncia apresentada contra o governo Jair Bolsonaro, que prestou homenagem ao tenente-coronel da reserva Sebastião Curió Rodrigues de Moura, o 'Major Curió', de 85 anos. Ele foi um dos agentes de repressão da ditadura militar que atuou no combate à Guerrilha do Araguaia, no sudoeste paraense, nos anos 1970.

De acordo com secretário executivo da Corte, Pablo Saavedra Alessandri, a denúncia será levada à 'atenção das partes e da Comissão IDH (Interamericana de Direitos Humanos) para informação'. O processo foi movido pelo Instituto Vladimir Herzog, o Núcleo de Preservação da Memória Política e o PSOL no início do mês.

O governo foi denunciado por descumprir sentença unanime da Corte que condenou o Brasil pelo desaparecimento forçado e morte de dezenas de pessoas durante o período da ditadura. Na ação, o governo brasileiro é acusado de ter 'promovido novas violações ao direito à verdade ao difundir informações falsas sobre o ocorrido nas operações contra a 'Guerrilha do Araguaia' e a ditadura em geral'.

Curió foi recebido por Bolsonaro no Palácio do Planalto no último dia 4. Após a visita, o perfil oficial da Secretaria Especial de Comunicação (Secom) saudou o militar como 'herói'.

Relatório final da Comissão Nacional da Verdade, de 2014, listou Curió como um dos 377 agentes do Estado brasileiro que praticaram crimes contra os direitos humanos. O militar 'esteve no comando de operações em que guerrilheiros do Araguaia foram capturados, conduzidos a centros clandestinos de tortura, executados e desapareceram'.

Curió revelou detalhes ao Estadão, incluindo documentos e depoimentos, sobre as torturas e assassinatos praticados contra dezenas de pessoas na região do Araguaia. As vítimas foram tanto militantes do partido comunista quanto simpatizantes locais.

O Ministério Público Federal emitiu representação afirmando que a publicação 'é uma ofensa direta e objetiva ao princípio constitucional da moralidade administrativa, por representar uma apologia à prática, por autoridades brasileiras, de crimes contra a humanidade e graves violações aos direitos humanos'.

O major Curió foi um dos primeiros agentes a serem denunciados no Brasil por crimes cometidos durante a ditadura, ainda em 2012. De lá para cá, foram outras cinco denúncias. Todas por crimes como sequestro, assassinato e ocultação de cadáver. As últimas três foram apresentadas contra ele em dezembro de 2019, quando o MPF fez um balanço sobre as ações relacionadas à guerrilha.

Ele e os outros militares tentam enquadrar as acusações na Lei da Anistia, que garante o arquivamento deste tipo de denúncia.

Até a publicação desta matéria, a reportagem não obteve resposta da Secom. O espaço permanece aberto a manifestações.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Reforma do IR

Lira confirma isenção de dividendos distribuídos por empresas do Simples Nacional

De acordo com o presidente da Câmara, essas companhias são um dos pilares da nossa economia e da geração de empregos

Mais do mesmo

Fed mantém taxa de juros e discurso inalterados, mas declarações de Powell animam o Ibovespa

Os investidores estavam em busca mudanças no discurso sobre os estímulos à economia norte-americana

varejo alimentar

Assaí e Carrefour têm forte crescimento em vendas, mas ações caem 2%

Baixa acontece em um momento em que o Assaí acumula ganhos de 22% na B3 desde o processo de cisão com o GPA; Carrefour teve queda no lucro e margens pressionadas

De volta ao normal?

Doria planeja acabar restrições de horários e ocupação em 17 de agosto; veja regras da nova fase de transição

As medidas de restrição deverão ser afrouxadas já a partir do próximo domingo (1) em todo o Estado

Casa própria em alta

Caixa bate recorde histórico com crédito imobiliário no primeiro semestre do ano

De acordo com o banco, foram R$ 65,4 bilhões em concessões, um crescimento de 36% na comparação com o mesmo período de 2020

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies