Menu
2020-06-30T13:31:14-03:00
Kaype Abreu
Kaype Abreu
Formado em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Colaborou com Estadão, Gazeta do Povo, entre outros.
tchau

Berkshire se desfez de todas as ações de aéreas, diz Warren Buffett

Portfólio da empresa administrada pelo bilionário incluía papéis da American, Southwest, United e Delta Airlines; companhia teve prejuízo no trimestre

2 de maio de 2020
20:28 - atualizado às 13:31
buffett2
Imagem: Reprodução Yahoo!

O bilionário Warren Buffett disse que a Berkshire Hathaway, conglomerado que ele administra, vendeu todas as ações das grandes companhias aéreas nos Estados Unidos. O portfólio da empresa incluía papéis da American, Southwest, United e Delta Airlines.

"Não sei se os americanos mudaram ou mudarão de hábitos por causa do período prolongado [de quarentena]", disse. "Mas acredito que certos setores - e, infelizmente, entre eles o aéreo - serão realmente prejudicados por um 'shutdown'", disse, em encontro anual da Berkshire Hathaway neste sábado (2).

O evento tem transmissão ao vivo pela internet e participação de poucas pessoas no local, incluindo a imprensa norte-americana. Um repórter perguntou se a Berkshire Hathaway havia vendido ações de todas as companhias do setor e o bilionário disse que sim. "Quando vendemos algo, na maioria das vezes é toda nossa participação. Não cortamos posições", afirmou.

Para o Buffett, não está claro por quanto tempo as empresas do setor vão ter de sustentar bilhões de dólares em perdas operacionais por causa da baixa demanda. O bilionário disse ainda que a venda de US$ 6,1 bilhões em ações em abril é reflexo, em grande parte, da saída da Berkshire das quatro grandes companhias aéreas americanas.

Neste sábado, a Berkshire Hathaway divulgou prejuízo de US$ 49,7 bilhões no primeiro trimestre. No mesmo período de 2019, a companhia havia informado um lucro de US$ 21,6 bilhões. A posição de caixa é de cerca de US$ 137,3 bilhões, diz a empresa — um aumento de cerca de US$ 10 bilhões em relação ao fim de 2019.

Crise do setor

As companhias aéreas estão entre as primeiras que sentiram o baque da crise do novo coronavírus, com a queda imediata da demanda causada pela restrições de circulação de pessoas em todo o mundo.

Segundo a consultoria Bain & Company, o setor deve sofrer impactos negativos em sua cadeia pelo menos até o fim de 2023. A queda na demanda global por voos deve atingir 70% em junho e ficar entre 40% e 55% neste ano, diz o estudo.

Para a Associação Internacional de Transportes Aéreos (Iata), o recuo será de 55% na receita com passageiros. O CEO da Iata, Alexandre de Juniac, disse em teleconferência no último dia 28 que "a indústria aérea está desesperada por recursos".

O setor aéreo brasileiro tem a promessa de recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) - estimado na ordem de R$ 3 bilhões para cada companhia. Mas as negociações por ora estão travadas.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

CARDÁPIO DE BALANÇOS

Na disputa pelo e-commerce, Magazine Luiza, Via Varejo e B2W divulgam resultados; veja o que esperar

Empresas foram pouco, ou nada, prejudicadas pela pandemia de covid-19 e devem fechar 2020 com números positivos

Começou!

Prazo para entregar declaração de IR começa hoje; veja as vantagens de declarar cedo

Prazo de entrega da declaração de IR 2021 começa nesta segunda (1º) e vai até de 30 de abril; entenda por que pode ser uma boa se apressar

Segredos da bolsa

Com PIB brasileiro em foco, investidores monitoram juros futuros americanos e tensão em Brasília

O grande evento da semana é a divulgação dos números do Produto Interno Bruto brasileiro no ano passado, mas os investidores também monitoram o clima político em Brasília e os sinais de “superaquecimento” da economia americana

Novos tempos

Alvo de Bolsonaro, home office avança no setor público

Bolsonaro usou trabalho remoto para atacar presidente da Petrobras

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies