Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-08-12T10:24:18-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico. Em 2020, foi eleito pela Jornalistas & Cia como um dos 10 profissionais de imprensa mais admirados no segmento de economia, negócios e finanças.
A longa viagem das aéreas

Azul (AZUL4) fecha o trimestre com lucro de R$ 1 bi, mas operações continuam no vermelho

Ganhos com a variação cambial turbinaram o balanço da Azul (AZUL4); embora a demanda esteja se recuperando, os custos seguem trazendo pressão

12 de agosto de 2021
10:24
Azul Linhas Aéreas AZUL4
Imagem: Shutterstock

O avanço da vacinação tem ajudado o setor aéreo a se recuperar gradualmente. Ainda assim, o segundo trimestre de 2021 continuou desafiador para as companhias — e o resultado da Azul (AZUL4) no período apenas comprova essa percepção.

A empresa reportou lucro de R$ 1,07 bilhão entre abril e junho, revertendo parte das perdas de R$ 2,9 bilhões contabilizadas há um ano. Mas boa parte dessa cifra se deve aos ganhos obtidos com a variação cambial; as operações em si continuam no vermelho.

Ainda assim, vale ressaltar que a Azul conseguiu fortalecer seu caixa ao longo do trimestre: com uma oferta de US$ 600 milhões em títulos de dívida, a companhia atingiu uma posição de liquidez de R$ 5,5 bilhões — uma ótima notícia, considerando as turbulências de curto prazo a que o setor ainda está sujeito.

Azul: receita e custos em alta

A comparação com o segundo trimestre de 2020 é pouco útil, uma vez que o intervalo entre abril e junho do ano passado foi marcado por uma paralisia quase completa do setor aéreo — o balanço da Gol também foi marcado por distorções dessa natureza.

Dito isso, a Azul fechou o segundo trimestre de 2021 com receita líquida de R$ 1,7 bilhão, mais que o quádruplo dos R$ 401 milhões reportados há um ano. Na comparação com o segundo trimestre de 2019, a receita da Azul caiu 35%.

A recuperação da receita, naturalmente, está relacionada à maior demanda por voos: com a vacinação contra a Covid-19 ganhando força, o setor de viagens começa a ensaiar uma recuperação gradual. Mas, com mais voos em operação, também aumentam os custos da Azul: o salto foi de 72%, para R$ 2,1 bilhões.

Ou seja: as despesas continuam sendo maiores que as receitas. O resultado operacional, assim, ficou negativo em R$ 400,2 milhões — um desempenho que, embora negativo, foi melhor que o visto entre abril e junho de 2020, quando a linha estava negativa em R$ 820,2 milhões.

Dito isso, como a Azul conseguiu fechar o trimestre no... azul?

A explicação está na linha do resultado financeiro: a companhia teve um ganho líquido de R$ 2,28 bilhões com variações monetárias e cambiais no período. Como o dólar se desvalorizou ante o real entre os períodos em questão, o montante da dívida da Azul denominado na moeda americana acabou diminuindo quando convertido para a divisa local — um efeito semelhante foi visto no balanço da Suzano no trimestre.

Desconsiderando esses ganhos com a variação do câmbio, a Azul teria tido prejuízo de R$ 1,17 bilhão entre abril e junho deste ano, perda 21,5% menor na comparação anual.

Veja abaixo como ficaram as margens da Azul:

  • Margem operacional (Ebit): -23,5% (era -204,2% no 2T20);
  • Margem Ebitda: -50,9% (era -324,3% no 2T20);
  • Margem líquida: 63% (era -731% no 2T20);
  • Margem líquida ajustada: -68,6% (era -371% no 2T20).

A Azul encerrou o trimestre com dívida bruta de R$ 20,4 bilhões, alta de 5,1% em relação ao nível visto em março. Considerando que a posição de liquidez imediata da companhia era de R$ 5,5 bilhões e que há mais R$ 1 bilhão em recebíveis de longo prazo, a dívida líquida era de R$ 13,8 bilhões — montante 7,6% menor que o visto ao fim do primeiro trimestre.

Fonte: Azul

AZUL4 na bolsa

Na B3, as ações PN da Azul (AZUL4) abriram o pregão desta quinta-feira em leve baixa de 0,45%, a R$ 37,55, acumulando queda de 11,5% em agosto. Apesar do mau desempenho no mês, os papéis da aérea têm alta de 87% num período de 12 meses.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

seu dinheiro na sua noite

Costurando uma saída

Não faz muito tempo que usei este mesmo espaço para lembrá-lo de como o mercado não gosta de incertezas e a falta de uma leitura clara sobre o futuro acaba prejudicando os negócios na B3. O dia de hoje veio para provar que, mesmo em meio às incertezas, ter uma noção mais clara do caminho que […]

carreira e diversidade

Magazine Luiza abre inscrições para 2º programa de trainees exclusivo para pessoas negras

Programa aceita candidatos formados entre dezembro de 2018 e dezembro de 2021, em qualquer curso superior; fluência em língua inglesa e experiência profissional não fazem parte dos pré-requisitos

pós-brumadinho

Vale (VALE3) muda alto escalão e tenta reforçar discurso ESG

Luciano Siani Pires, que desde 2012 ocupa posição de vice-presidente finanças e RI, assumirá a vice-presidência de estratégia e transformação de negócios, cargo criado em março pela mineradora

Troca de comando

Gustavo Raposo renuncia ao cargo de presidente da Transpetro, subsidiária da Petrobras (PETR4); sucessor já foi escolhido

Com a saída de Raposo, o conselho da empresa deverá deliberar sobre a nomeação do atual diretor de Serviços para o comando

atenção, acionista

Dividendos: WEG (WEGE3) paga R$ 86,8 milhões em juros sobre capital próprio

Valor líquido é de R$ 0,017 por ação; terão direito aos proventos acionistas na base em 24 de setembro, segundo a companhia

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies