Menu
2020-04-29T19:23:08-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa e UBS Escola de Negócios. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência CMA, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico.
Elon Musk comemora

Tesla surpreende o mercado, fecha o primeiro trimestre no azul e vê suas ações dispararem

A Tesla reportou um lucro inesperado no primeiro trimestre deste ano, o que fez suas ações dispararem no after market de Nova York

29 de abril de 2020
19:23
Modelo S da Tesla, fabricante de automóveis elétricos do bilionário Elon Musk
Imagem: Shutterstock

O bilionário Elon Musk adora contrariar as previsões de Wall Street: num passado não tão distante, quando o CEO da Tesla falava mais abertamente sobre a empresa nas redes sociais, era comum vê-lo tripudiando de quem duvidava da companhia. E, a julgar pelos resultados financeiros da fabricante de automóveis elétricos no primeiro trimestre, a comemoração do executivo nesta quarta-feira (29) deve ir noite adentro.

Afinal, a Tesla conseguiu um feito inédito entre janeiro e março de 2020: reportou um lucro líquido de US$ 16 milhões — foi a primeira vez que a companhia conseguiu ficar no azul nos primeiro três meses de um ano, um período sazonalmente mais fraco para a empresa. No mesmo intervalo de 2019, a companhia reportou perdas de US$ 702 milhões.

Em termos ajustados, o lucro da Tesla chegou a US$ 227 milhões, muito acima da média das projeções de analistas consultados pela Bloomberg, que apontava para um prejuízo de US$ 50 milhões no trimestre.

A linha de receita líquida também bateu recordes para um início de ano, chegando a US$ 5,98 bilhões — uma alta de 32% na base anual e um resultado que também superou as expectativas do mercado, que giravam em torno de US$ 5,80 bilhões.

Como resultado desses números surpreendentemente fortes, as ações da Tesla (TSLA) disparavam no after market de Nova York — uma espécie de prorrogação do pregão regular. Por volta de 19h05 (horário de Brasília), os papéis da companhia tinham forte alta de 9,74%, a US$ 878,50, indicando que o mercado gostou do que viu no balanço.

Projeções otimistas

Dada a incerteza gerada com o surto de coronavírus, a empresa de Elon Musk diz estar revisando suas estimativas financeiras para 2020 — segundo a companhia, uma atualização nas projeções será divulgada ao longo do segundo trimestre.

No entanto, a fabricante de automóveis elétricos segue confiante no lado operacional: a Tesla manteve a previsão de entrega de mais de 500 mil veículos neste ano, mesmo levando em conta as paralisações em suas unidades por causa da pandemia.

A tarefa da Tesla não é nada simples: no primeiro trimestre deste ano, foram entregues 88,4 mil carros — um crescimento de 40% na base anual, mas que implica que deverão ser vendidos, em média, 137 mil veículos por trimestre até o fim de 2020 para que a meta seja atingida.

"Nas fábricas nos EUA, ainda é incerto o quão rápido nós e nossos fornecedores conseguirão acelerar a produção após a retomada das operações", diz a companhia, em mensagem aos acionistas. "Mas estamos coordenando de perto os trabalhos com cada fornecedor e governo associado"

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Segredos da bolsa

Com PIB brasileiro em foco, investidores monitoram juros futuros americanos e tensão em Brasília

O grande evento da semana é a divulgação dos números do Produto Interno Bruto brasileiro no ano passado, mas os investidores também monitoram o clima político em Brasília e os sinais de “superaquecimento” da economia americana

Novos tempos

Alvo de Bolsonaro, home office avança no setor público

Bolsonaro usou trabalho remoto para atacar presidente da Petrobras

Mais uma na área

FDA autoriza uso emergencial de vacina de dose única nos EUA

Imunizante é produzido pela Johnson & Johnson

Contra a pandemia

Matéria-prima para produção de 12 milhões de doses de vacina chega ao Rio

Total de efetivamente imunizados não chega a 1% da população brasileira

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies