Menu
2020-09-01T11:05:29-03:00
Negócio polêmico

Stone aumenta oferta pela Linx para R$ 6,28 bilhões e muda pagamento diferenciado a fundadores

Em uma tentativa de diminuir a resistência dos acionistas minoritários da Linx, a nova oferta da Stone prevê um aumento no valor para R$ 35,10 por ação

1 de setembro de 2020
11:04 - atualizado às 11:05
Linx
Imagem: Shutterstok

Em uma tentativa de diminuir a resistência dos acionistas minoritários da Linx, a Stone decidiu melhorar a proposta de incorporação da empresa de tecnologia para o varejo.

A nova oferta prevê um aumento no valor pago aos acionistas e também muda o tratamento diferenciado dado aos fundadores da Linx — o grande ponto de polêmica da transação.

A Stone agora oferece um total de R$ 6,28 bilhões, o equivalente a R$ 35,10 por ação da Linx — sendo R$ 31,56 em dinheiro mais 0,0126774 ação da Stone. A proposta original previa o pagamento de R$ 6,04 bilhão, ou R$ 33,76 por ação.

Os papéis da Linx (LINX3) reagem em alta de 2,42% à nova proposta na manhã desta terça-feira, cotados a R$ 36,52, em um sinal de que os investidores esperam uma guerra de preços pela companhia. Leia também nossa cobertura completa de mercados. Mas se não houver nenhuma oferta concorrente mais vantajosa, a tendência é que as ações se ajustem ao preço oferecido pela Stone.

A nova oferta da Stone também trouxe mudanças no polêmico tratamento diferenciado dado aos fundadores da Linx, que ocupam três das cinco vagas do conselho de administração da companhia.

O acordo prevê a redução do prazo da "proposta de engajamento" do CEO e conselheiro da Linx Alberto Menache para um ano e o fim da remuneração em ações que estava prevista no termo original.

A proposta também ampliou o período do acordo de "não-competição" com Menache para cinco anos, pelo qual o executivo receberá 340.476 ações da Stone, um quinto por ano.

Os conselheiros e fundadores da Linx Nércio Fernandes e Alon Dayan também tiveram os acordos de não-competição estendidos por cinco anos e terão direito a 268.797 e 53.759 ações da Stone, respectivamente, no fim do período.

A nova proposta prevê ainda a redução da multa estipulada no caso de a Linx se decidir por outra oferta de R$ 605 milhões para R$ 454 milhões. Caso a oferta seja recusada pelos acionistas da Linx em assembleia, a multa será de R$ 112,5 milhões — contra R$ 151 milhões da oferta original.

A nova proposta da Stone supera a feita pela empresa de tecnologia Totvs, que ofereceu R$ 6,1 bilhões pela Linx. Vale lembrar, porém, que na oferta da Totvs o trio Menache, Fernandes e Dayan não recebe nem um centavo a mais que os minoritários.

Em reunião com analistas do Credit Suisse, os executivos da Stone justificaram o pagamento adicional como uma forma de diminuir o risco da operação. Como os fundadores da Linx possuem experiência no mercado e estariam capitalizados, eles poderiam dar início a um novo negócio que concorreria com o da antiga empresa.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

entrevista

‘Não se pode esperar para cortar privilégio’, diz ex-secretário do Ministério da Economia

Paulo Uebel defende que o Congresso aprove uma regra de transição na proposta da reforma administrativa para incluir o fim dos privilégios que grupo de servidores atuais ainda goza

Aposente-se aos 40 (ou o quanto antes)

100 dias entre o fundo e topo do mercado

Até aqui, 2020 foi o ano de Amyr Klink, em que aqueles que souberam capotar (entre janeiro e o final de março), passaram pela tempestade sem afundar de vez em mar aberto

inflação de alimentos

Após ouvir cobrança, Bolsonaro reforça que preço do arroz não será tabelado

Ministra da Agricultura avisou que atual patamar de preços só deve baixar mesmo a partir de 15 de janeiro, quando entrar a safra brasileira.

ranking da forbes

Varejo invade lista de mais ricos do Brasil; saiba mais sobre os bilionários

Luiza Trajano, Ilson Mateus e Luciano Hang chegam entre os 10 mais ricos do país, em um ano marcado por mudanças no setor varejista, alta das ações e IPOs

Seu Mentor de Investimentos

Como proteger seus investimentos diante do risco de sanções comerciais por causa das queimadas

País tornou-se um pária no mundo por conta do que acontece no Pantanal e na Amazônia, diz colunista Ivan Sant’Anna; ele aponta uma série de tipos de ativos que podem estar imunes a uma eventual protesto da comunidade internacional

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements