Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-09-01T11:05:29-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Negócio polêmico

Stone aumenta oferta pela Linx para R$ 6,28 bilhões e muda pagamento diferenciado a fundadores

Em uma tentativa de diminuir a resistência dos acionistas minoritários da Linx, a nova oferta da Stone prevê um aumento no valor para R$ 35,10 por ação

1 de setembro de 2020
11:04 - atualizado às 11:05
Linx
Imagem: Shutterstok

Em uma tentativa de diminuir a resistência dos acionistas minoritários da Linx, a Stone decidiu melhorar a proposta de incorporação da empresa de tecnologia para o varejo.

A nova oferta prevê um aumento no valor pago aos acionistas e também muda o tratamento diferenciado dado aos fundadores da Linx — o grande ponto de polêmica da transação.

A Stone agora oferece um total de R$ 6,28 bilhões, o equivalente a R$ 35,10 por ação da Linx — sendo R$ 31,56 em dinheiro mais 0,0126774 ação da Stone. A proposta original previa o pagamento de R$ 6,04 bilhão, ou R$ 33,76 por ação.

Os papéis da Linx (LINX3) reagem em alta de 2,42% à nova proposta na manhã desta terça-feira, cotados a R$ 36,52, em um sinal de que os investidores esperam uma guerra de preços pela companhia. Leia também nossa cobertura completa de mercados. Mas se não houver nenhuma oferta concorrente mais vantajosa, a tendência é que as ações se ajustem ao preço oferecido pela Stone.

A nova oferta da Stone também trouxe mudanças no polêmico tratamento diferenciado dado aos fundadores da Linx, que ocupam três das cinco vagas do conselho de administração da companhia.

O acordo prevê a redução do prazo da "proposta de engajamento" do CEO e conselheiro da Linx Alberto Menache para um ano e o fim da remuneração em ações que estava prevista no termo original.

A proposta também ampliou o período do acordo de "não-competição" com Menache para cinco anos, pelo qual o executivo receberá 340.476 ações da Stone, um quinto por ano.

Os conselheiros e fundadores da Linx Nércio Fernandes e Alon Dayan também tiveram os acordos de não-competição estendidos por cinco anos e terão direito a 268.797 e 53.759 ações da Stone, respectivamente, no fim do período.

A nova proposta prevê ainda a redução da multa estipulada no caso de a Linx se decidir por outra oferta de R$ 605 milhões para R$ 454 milhões. Caso a oferta seja recusada pelos acionistas da Linx em assembleia, a multa será de R$ 112,5 milhões — contra R$ 151 milhões da oferta original.

A nova proposta da Stone supera a feita pela empresa de tecnologia Totvs, que ofereceu R$ 6,1 bilhões pela Linx. Vale lembrar, porém, que na oferta da Totvs o trio Menache, Fernandes e Dayan não recebe nem um centavo a mais que os minoritários.

Em reunião com analistas do Credit Suisse, os executivos da Stone justificaram o pagamento adicional como uma forma de diminuir o risco da operação. Como os fundadores da Linx possuem experiência no mercado e estariam capitalizados, eles poderiam dar início a um novo negócio que concorreria com o da antiga empresa.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

COLUNA DO JOJO

Bolsa hoje?: Unidos do Aperto Monetário… Nota… Dez!

Como se não bastasse ter que se preocupar com os resultados de Vale e Petrobras, que juntas representam mais de 20% do Ibovespa, ainda teremos que digerir a alta de 150 pontos-base da Selic

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: bolsa deve refletir taxa de juros mais alta em dia de leitura do PIB dos EUA

A agenda de balanços conta com Petrobras e Vale, enquanto o exterior deve sentir cautela antes da inflação nos EUA amanhã

NA DÚVIDA, ADIA

No restabelecimento da presença obrigatória em Brasília, governo fica sem quorum e retira PEC dos Precatórios

Nova tentativa de votação é esperada para hoje, mas o temor de que não haja deputados em quantidade suficiente para a aprovação persiste

Aquele 1%

Com juros em alta, esses títulos de renda fixa te pagam 1% ao mês, com baixíssimo risco e pouco esforço

A rentabilidade dos sonhos do brasileiro está de volta aos investimentos conservadores, e CDBs que pagam 1% ao mês ou mais já estão fáceis de encontrar

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Alta da Selic, bons números da Weg, IPO do Nubank e dividendos da Gerdau: veja o que marcou o mercado hoje

Há cerca de um mês, o presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, afirmou que a autoridade não mudaria o “plano de voo” a cada novo dado da economia brasileira. Mas, veja só, a realidade obrigou a instituição a recalcular a rota: há pouco, o Copom elevou a Selic em 1,50 ponto percentual, ao […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies