Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-10-21T08:55:22-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
aperte o play

Netflix: 5 números que você precisa conhecer do resultado do terceiro trimestre

Spoiler: os investidores não gostaram do que viram…

20 de outubro de 2020
20:50 - atualizado às 8:55
Stranger Things, série da Netflix
Stranger Things, série da Netflix - Imagem: Reprodução/Netflix

Você já passou pela experiência de maratonar uma série e acabar se decepcionando com o capítulo final?

Se a resposta foi sim, você já sentiu um pouquinho da sensação de 'banho de água fria' que os investidores experimentaram ao analisar os números do terceiro trimestre da Netflix.

Foi-se o tempo em que a companhia pioneira em serviços de streaming reinava absoluta entre as preferências dos consumidores. A Netflix segue como a número um do mercado, mas encontra uma concorrência cada vez maior com grandes estúdios de Hollywood e canais por assinatura lançando os seus próprios serviços.

As opções no mercado são tantas que é quase certo que você que está lendo esta matéria assine pelo menos mais de um serviço semelhante. Com um mercado cada vez mais saturado, é difícil manter o ritmo de crescimento.

Ainda que os analistas já estivessem cientes do mercado que se desenha, os números apresentados pela companhia não agradou. Quer saber o que azedou tanto o humor dos investidores? Confira 5 dos principais números.

1) Queda brusca de novos assinantes

O efeito covid-19 parece ter chegado ao fim. Depois de dois trimestres acima da marca dos 10 milhões de novos usuários, impulsionado pelas medidas de isolamento social em todo o mundo, a Netflix registrou uma queda brusca nesta linha do balanço.

No terceiro trimestre, a companhia adicionou apenas 2,2 milhões de assinantes à sua base, enquanto a expectativa era de pelo menos 2,5 milhões. No mesmo período do ano passado, a companhia registrou 6,8 milhões de assinantes.

O número pode até não ter agradado o mercado, mas já era esperado pela companhia. Em julho, na divulgação dos resultados do 2º trimestre, a companhia já havia alertado que esperava uma redução no ritmo de crescimento da sua base de assinantes. Na ocasião, os investidores também reagiram negativamente.

2) Lucro abaixo do esperado

A companhia divulgou um lucro líquido de US$ 790 milhões no trimestre - o equivalente a US$ 1,74 por ação. No entanto, o número também veio abaixo do esperado pelos analistas.

Segundo especialistas ouvidos pelo Factset, a previsão era de um lucro líquido de US$ 6,39 bilhões - ou US$ 2,13 por ação.

3) Projeções menos otimistas.

As expectativas da Netflix para o quarto trimestre de 2020 também não agradaram os investidores.

Para os últimos três meses do ano, a companhia espera registrar 6 milhões de novos assinantes. A projeção dos analistas era de 6,56 milhões.

4) Ainda em vantagem

Embora os números não tenham agradado tanto, a companhia ainda se destaca quando o assunto é o cronograma de lançamento de produções originais nos próximos meses - o que a coloca em vantagem competitiva frente aos rivais.

Enquanto a covid-19 paralisou as produções no mundo todo, a Netflix não teve as suas principais atrações afetadas pelas medidas de isolamento social. Segundo o relatório divulgano na noite desta terça-feira, a plataforma finalizou mais de 50 produções desde que os primeiros impactos do coronavírus começaram a ser sentidos.

Além de produções originais em diversas partes do globo, a empresa também planeja retomar em breve as produções de grandes hits como a quarta temporada de Stranger Things, a segunda temporada de The Witcher e o filme Red Notice, que conta com grandes estrelas de Hollywood - como Dwayne Johnson, Gal Gadot e Ryan Reynolds.

A previsão é que até o fim do ano outras 150 produções sejam concluídas.

"Para 2021, nós continuamos esperando o crescimento do número de originais Netflix lançados em todos os trimestres e estamos confiantes que teremos uma grande variedade de programação para nossos assinantes".

O ritmo menor de produção teve um impacto positivo no caixa da companhia. Nos últimos três meses, a companhia registrou um fluxo de caixa livre de US$ 1,1 bilhão, contra o déficit de US$ 550 milhões registrados no mesmo período do ano passado. O número superou as expectativas da companhia, que esperava um fluxo de US$ 241 milhões.

A previsão da empresa é terminar o ano no azul, a aproximadamente US$ 2 bilhões.

5) No vermelho

Com o banho de água fria, os papéis da companhia não demoraram em reagir aos números.

Logo após a divulgação do balanço a companhia viu suas ações despencarem mais de 5% no after hours em Nova York.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Acionistas felizes

Sextou com dividendos: Copel (CPLE6) anuncia mais de R$ 1 bilhão em proventos; veja quem tem direito

Os valores aprovados pelo conselho de administração da empresa serão pagos aos acionistas em 30 de novembro

BLINK!

O que rolou nessa semana? Onde aprender Valuation? Vale (VALE3) caindo novamente? Felipe Miranda responde seus seguidores neste BLINK!

A chegada do final de semana é marcada pela sexta-feira e pelo BLINK! Felipe Miranda, estrategista-chefe da Empiricus, respondeu algumas perguntas feitas pelos seus seguidores. Confira

avaliando riscos

‘Papa’ do valuation vê inflação subestimada e diz que alta de preços é seu maior medo

Em evento, o professor da NYU Aswath Damodaran disse que gostaria de ver o banco central norte-americano agindo mais do que minimizando a alta de preços

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

O Ibovespa em queda livre e outros destaques desta sexta

Com a queda de 2,07% desta sexta-feira, aos 111.439 pontos, o Ibovespa emplacou o seu quarto pregão seguido de baixa e, agora, acumula um retorno negativo de mais de 6% em 2021. É um desempenho decepcionante para um índice que começou o ano renovando máximas e atingiu o seu nível recorde há apenas três meses; […]

Rumo ao topo

Após compra da Extrafarma, veja as armas da Pague Menos (PGMN3) na luta pela liderança do varejo farmacêutico

Além dos planos de inaugurar 200 lojas entre 2020 e 2021, a empresa quer aumentar a sua fatia nas vendas online e por telefone

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies