Menu
2020-02-12T18:57:52-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).
Comprados x Vendidos

Dono de 11% do IRB, Itaú diz estar confortável com balanços da empresa

As ações da resseguradora registram forte queda desde o começo do mês após a publicação de uma carta da gestora carioca Squadra, que possui uma grande posição vendida na empresa

12 de fevereiro de 2020
16:25 - atualizado às 18:57
Candido Bracher, presidente do Itaú Unibanco
Candido Bracher, presidente do Itaú Unibanco - Imagem: Nilton Fukuda/Estadão Conteúdo

Na disputa entre investidores comprados e vendidos na resseguradora IRB Brasil, ontem foi a vez do Itaú Unibanco, dono de 11% do capital da empresa, fazer uma defesa da companhia.

Em teleconferência ontem com analistas, o presidente do Itaú, Candido Bracher, afirmou não ter “nenhum desconforto” com as demonstrações contábeis do IRB.

As ações da resseguradora registram forte queda desde o começo do mês após a publicação de uma carta da gestora carioca Squadra, que possui uma grande posição vendida na empresa.

Leia também:

No documento, a Squadra defende que os resultados do IRB foram impulsionados por eventos que não vão mais se repetir no futuro – ou seja, não são sustentáveis.

Nos cálculos da gestora, esses itens foram responsáveis por turbinar em R$ 1,5 bilhão o resultado da companhia nos nove primeiros meses de 2019.

O presidente do Itaú não comentou especificamente os pontos levantados pela gestora, mas disse que tanto a participação no IRB como na XP Investimentos são estratégicas de longo prazo para o banco.

“Ambas cobrem áreas de negócios onde queremos expandir nossa presença”, disse Bracher, que disse ver a área de seguros como sub-representado no banco.

Em seguida, o presidente do Itaú passou a palavra a Alexsandro Broedel, diretor de finanças e relações com investidores do banco e membro do conselho de administração do IRB, que reiterou não haver nenhuma observação ou indício de irregularidade nos balanços da companhia.

A fala dos executivos do Itaú ajudou a reduzir um pouco da pressão sobre as ações do IRB, que subiram 5% ontem. Desde a publicação da carta da Squadra, porém, os papéis acumulam uma perda de quase 25% – considerando a queda de 2,74% hoje. Leia também nossa cobertura completa de mercados.

Todas as atenções dos investidores agora estarão voltadas para a divulgação do próximo resultado do IRB, programada para sair no dia 18, após o fechamento dos mercados.

Em teleconferência realizada anteontem, os executivos da companhia prometeram detalhar todos os números que resultaram na controvérsia levantada pela Squadra.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

CORONAVÍRUS

EUA pedem que Congresso autorize gasto de US$ 2,5 bilhões para conter coronavírus

Os Estados Unidos confirmaram 14 casos de infecção pelo coronavírus em sete Estados diferentes, mas não relataram mortes

ENERGIA

País tem ‘folga’ de energia pelo menos até 2024

“Temos uma folga estrutural, pois tivemos um aumento de capacidade instalada sem a contrapartida de aumento de consumo”, diz Cristopher Vlavianos

ESTÍMULO PARA AS EMPRESAS

China anuncia medidas para ampliar crédito a empresas atingidas pelo coronavírus

Em reunião presidida pelo primeiro-ministro Li Keqiang, o conselho disse que aumentará em 500 bilhões de yuans (US$ 71,2 bilhões) a cota de refinanciamento para empréstimos de bancos a pequenas empresas e fazendeiros

EM BUSCA DE PROTEÇÃO

Temor global com coronavírus faz ouro alcançar maior cotação desde 2013

Apenas neste ano, o ETF acumula alta de 8,25%. A razão para a valorização é uma só: ele é considerado porto seguro de quem investe quando o cenário externo parece mais incerto

JUROS

Crescem apostas do mercado de que FED pode cortar juros nas próximas reuniões

Dados do CME Group mostram que os investidores enxergam 18,8% de chance de um novo corte de juros de 0,25 ponto porcentual na reunião do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) de março

CRIPTOMOEDAS

Buffett volta a dizer que “criptomoedas não têm valor e que nunca terá uma”

Apesar de não gostar muito das moedas digitais, o bitcoin não vem fazendo feio. Nos últimos 12 meses, a criptomoeda acumula valorização de 191,50%

SELEÇÃO DE NOTÍCIAS

No radar: Mercados com os nervos à flor da pele

Olá! Os mercados brasileiros continuam fechados nesta terça-feira (25), por causa do Carnaval. O timing dessa parada foi oportuno, já que, lá fora, o clima é de enorme tensão entre os investidores. O aumento súbito nos casos de coronavírus fora da China fez as bolsas globais despencarem na segunda-feira (24). E, hoje, a situação não […]

DE OLHO NA TECNOLOGIA

BC quer criação de fundo para projetos de tecnologia

Os recursos virão de valores pagos pelos bancos ao BC, para uso de sistemas tecnológicos

AS DICAS DO GURU

Coronavírus é ‘assustador’, mas não é hora de vender ações, para Warren Buffett

“Compramos ações para ficar por 20, 30 anos e achamos que o cenário para 20, 30 anos não mudou pelo coronavírus.”

AÇÕES

ADRs do Brasil fecham em forte queda em NY; Vale cai 7,5% e Petrobras recua 6,7%

Os grandes bancos também amargaram perdas importantes em Nova York, embora menores que Petrobras e Vale

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements