⚠️ DIVIDENDOS EM RISCO? Lula e Bolsonaro querem taxar seus proventos e podem atacar sua renda extra em 2023. Saiba mais aqui

2020-02-10T18:32:12-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Balanço contestado

Executivos do IRB defendem números do balanço, mas não contêm sangria das ações

As ações do IRB até chegaram a reduzir um pouco a queda, mas voltaram a ficar perto das mínimas após teleconferência de executivos com investidores

10 de fevereiro de 2020
18:09 - atualizado às 18:32
investimentos
Imagem: Shutterstock

Diante da forte queda das ações, que na mínima de hoje despencaram mais de 17%, os principais executivos da resseguradora IRB Brasil promoveram uma teleconferência com investidores para negar as contestações feitas pela gestora de fundos Squadra ao balanço da companhia.

A gestora carioca publicou no início do mês uma carta aos investidores na qual argumenta que os resultados da resseguradora não são sustentáveis.

A Squadra voltou à carga com uma nova publicação depois que executivos do IRB comentaram sobre os pontos questionados pela gestora em conferências com analistas na semana passada.

Hoje pela manhã a XP Investimentos decidiu retirar a recomendação de compra para as ações da empresa diante da falta de esclarecimentos.

A teleconferência não ajudou muito a apaziguar os ânimos entre os investidores. As ações (IRBR3) até chegaram a reduzir um pouco a queda, mas voltaram a ficar perto das mínimas e fecharam cotadas a R$ 33,01, queda de 16,49%.

Desde a publicação da primeira carta da Squadra, o IRB já perdeu mais de 1/4 do valor de mercado, o equivalente a pouco mais de R$ 11 bilhões.

"Estou chocado diante dos acontecimentos e negativamente surpreso. Não sou só eu, mas toda a empresa", afirmou o presidente do IRB, José Carlos Cardoso.

Leia também:

Coube a Fernando Passos, vice-presidente executivo, financeiro e de relações com investidores, tratar dos pontos específicos questionados pela Squadra, que calcula uma diferença de R$ 1,5 bilhão entre o resultado contábil do IRB nos nove primeiros meses de 2019 e aquele que seria recorrente.

Dos seis itens que teriam inflado os resultados, o único que o diretor do IRB contestou com números foi o ganho estimado pela Squadra com a venda da participação no Minas Shopping.

Nas contas da gestora, essa operação teria elevado o lucro da companhia em R$ 119 milhões. Mas Passos disse que o ganho de capital na transação foi de apenas R$ 27 milhões.

Dupla auditoria

O diretor do IRB também negou a estimativa feita pela Squadra para a expectativa de ganho com compensações por sinistros que ainda não foram pagos, que teria elevado em R$ 605 milhões para o resultado da resseguradora.

Passos disse que o número correto será divulgado no próximo balanço da companhia, cuja divulgação está prevista para o próximo dia 18, após o fechamento dos mercados.

Ele reconheceu, contudo, que a reconciliação entre os dados divulgados pela companhia e os publicados pela Susep – método usado pela Squadra – pode levar a algum mal entendido. "A companhia vai fazer as normas de conciliação, para que inclusive o emissor da carta [Squadra] refaça as contas", disse.

O diretor afirmou que o resultado será auditado pela PwC e contará com uma segunda avaliação de uma das "big four" – que inclui Deloitte, E&Y e KPMG – especificamente na parte atuarial.

Ainda segundo Passos, o IRB trará no próximo balanço uma maior abertura dos dados e também das projeções para os resultados de 2020.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

ESTRADA DO FUTURO

Uma nova safra de balanços vem aí: o que esperar dos resultados das maiores empresas de tecnologia do mundo?

6 de outubro de 2022 - 6:39

Há uma enorme diferença entre as expectativas para Amazon, Apple, Google e Microsoft; o mais importante é o que elas têm a dizer sobre os próximos trimestres

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Embate entre Opep+ e Biden, nova pesquisa do Ipec e a pedra no sapato da Oi (OIBR3); confira os destaques do dia

5 de outubro de 2022 - 19:16

A decisão da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (Opep+) de cortar a produção em dois milhões de barris por dia (bpd) para manter o mercado estável não agradou o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden. Com a inflação batendo insistentemente em sua porta e uma resistência da alta dos preços aos remédios […]

CONSOLIDAÇÃO

Líder em consolidação no setor de saúde, Hapvida (HAPV3) compra operadora de baixo custo por R$ 120 milhões

5 de outubro de 2022 - 18:57

A compra será feita por meio da subsidiária Intermédica e custará cerca de R$ 120 milhões

PRÉVIA DO BALANÇO

Multiplan (MULT3) vende R$ 4,7 bilhões e renova recorde de performance para um terceiro trimestre — confira os destaques da prévia operacional da companhia

5 de outubro de 2022 - 18:51

Todos os ativos do portfólio da empresa apresentaram crescimento de dois dígitos na comparação anual, com destaque para um shopping paulistano

ELEIÇÕES 2022

Ipec mostra Lula com 51% e Bolsonaro com 43% — confira a primeira pesquisa após o primeiro turno

5 de outubro de 2022 - 18:33

Considerando apenas os votos válidos, ou seja, excluindo os brancos e nulos, o petista aparece com 55%, ante 45% do presidente que tenta a reeleição

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies