Menu
2020-01-27T21:52:38-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Vítima da guerra das maquininhas

Lucro da Cielo cai pela metade em 2019 e despenca 68% no 4º trimestre

A estratégia deliberada da empresa controlada por Banco do Brasil e Bradesco é sacrificar as margens de lucro para defender a liderança do mercado de maquininhas de cartão. Os números refletem bem esse esforço, para o bem e para o mal

27 de janeiro de 2020
21:51 - atualizado às 21:52
Cielo maquininha
Imagem: Reprodução

Grande vítima da disputa do mercado de maquininhas de cartão, a Cielo registrou uma queda 49,7% no lucro líquido de 2019. O resultado da empresa controlada por Banco do Brasil e Bradesco foi de R$ 1,580 bilhão no ano passado.

Vale lembrar que a Cielo começou o ano informando o mercado que esperava um lucro de R$ 2,3 bilhões e R$ 2,6 bilhões em 2019. Em maio, a empresa retirou a projeção e cortou a projeção de distribuição de dividendos (payout) de 70% para 30% do resultado.

Os números do quarto trimestre trouxeram pouco alento para quem esperava alguma reação. O lucro da companhia despencou 68% e somou R$ 242,4 milhões.

O resultado ficou bem abaixo da projeção média dos analistas, que apontava para um lucro de R$ 332,3 milhões nos últimos três meses do ano, de acordo com a Bloomberg.

A estratégia deliberada da empresa é sacrificar as margens de lucro para defender a liderança do mercado de maquininhas de cartão. Os números refletem bem esse esforço da companhia, para o bem e para o mal.

O volume de operações nos cartões de débito e crédito pelas maquininhas da Cielo aumentou 9% no ano passado, para R$ 683,1 bilhões.

O problema é que esse avanço se deu com um corte brutal dos preços cobrados dos lojistas, que levou a receita líquida da empresa a cair 17,8%, para R$ 5,3 bilhões. Ao mesmo tempo, a companhia apresentou um avanço de 17,5% nas despesas totais.

A receita com a antecipação de recebíveis aos lojistas, que nos tempos de bonança era uma verdadeira galinha dos ovos de ouro para a Cielo, registrou queda de 26,7% no ano passado.

Dados do trimestre

No quarto trimestre, o volume de vendas realizadas nas maquininhas da Cielo aumentou 12,6%, para R$ 190 bilhões. Já a receita líquida caiu 1,2%, para R$ 2,975 bilhões.

Ainda que o ritmo de queda na receita tenha diminuído nos últimos três meses do ano, o chamado "yield", ou seja, o percentual das vendas realizadas nas maquininhas que se transformam em receita, continuou a cair.

O yield caiu de 0,75% no terceiro trimestre para 0,70% nos meses de outubro a dezembro. No quarto trimestre de 2018, o indicador estava em 0,97%.

Se o balanço traz poucas indicações de retomada dos resultados, a empresa ao menos tem conseguido ampliar a base ativa de clientes, que encerrou o ano em 1,6 milhão, um aumento de 17,7% em 12 meses e de 4,6% no trimestre.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Acordo firmado

EUA confirmam acordo com UE que suspende disputa comercial por Boeing e Airbus

Por meio do pacto, os dois lados concordaram em cancelar por cinco anos todas as tarifas autorizadas pela Organização Mundial do Comércio (OMC) relativas ao caso

China

Investindo na China: conheça os riscos e oportunidades

Sendo um titã no mercado mundial há décadas, a China promete continuar crescendo consistentemente nos próximos anos. Vale a pena investir ou é arriscado? Esse é o tema do vídeo de hoje de Matheus Spiess, analista da Empiricus

MERCADOS HOJE

De olho no Copom e na Eletrobras, Ibovespa abre o dia em queda; dólar sobe

Na sessão passada, o otimismo com a perspectiva de mais vacinas disponíveis e a aceleração do calendário de vacinação levaram o Ibovespa a fechar em alta

Em clima de disputa

Dez empresas brigam por usinas da EDP Brasil

Segundo analistas, faz sentido a EDP Brasil vender suas hidrelétricas, uma vez que sua prioridade no País será a geração distribuída e a transmissão de energia

O melhor do seu dinheiro

Freud, Itaú e o ETF dos millennials, o que esperar da Super Quarta, o preço da passagem espacial e outros destaques

Freud dedicou parte de seus estudos a tentar desvendar a tal “alma feminina”. Até que um dia jogou a toalha e reconheceu estar longe de responder o que, afinal, querem as mulheres. Se o pai da psicanálise vivesse hoje, imagino que o objeto de curiosidade talvez fosse outro: os chamados millennials. A expressão surgiu para […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies