Menu
2020-03-05T19:47:43-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Quinta-feira de cinzas com coronavírus, bolsa e dólar

5 de março de 2020
19:47
Selo O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

O princípio de pânico que tomou conta do mercado financeiro na semana passada voltou a pairar nesta “quinta-feira de cinzas”.

O Ibovespa fechou em forte queda de 4,65%, a maior desde o meio pregão da volta do Carnaval. E o dólar, só para manter a rotina, bateu mais um recorde e alcançou a incrível marca de... R$ 4,65. Para quem acredita em numerologia está aí um prato cheio.

O estrago nos mercados foi novamente provocado pelo medo dos impactos do coronavírus na economia global.

A bolsa brasileira já estava em queda firme, em linha com as perdas nos mercados internacionais, quando surgiu a confirmação de que o número de casos da doença no país subiu e chegou a oito. A notícia contribuiu para ampliar o movimento de venda das ações.

Em momentos de nervos à flor da pele como o atual, os investidores correm para o dólar. Nem mesmo a atuação do Banco Central conseguiu acalmar os ânimos.

O mercado, aliás, vem dando um verdadeiro baile no câmbio. O que até me surpreende diante de toda a experiência do presidente do BC, Roberto Campos Neto, como tesoureiro de banco.

Em momentos tão turbulentos, é preciso tomar cuidado para não entrar nessa dança de curtíssimo prazo. Se você possui uma carteira diversificada e com proteções (em fundos cambiais, por exemplo), o melhor a fazer é aguardar o momento certo de voltar para a pista.

Por isso vale muito a pena conferir a cobertura que o Victor Aguiar preparou sobre o ataque dos ursos (investidores vendidos) na bolsa e também um vídeo especial sobre a (falta de) ação do BC no dólar.

Amanhã vamos comentar todos os desdobramentos da turbulência nos mercados no nosso podcast. Mande suas sugestões, comentários e dúvidas no [email protected].

Tranquilo, favorável

Você está preocupado com a alta do dólar? Pois o ministro Paulo Guedes não. Para ele, o câmbio é flutuante e não há "nada de errado" com a cotação da moeda norte-americana, que reflete a queda dos juros no país. O ministro também foi questionado se o câmbio poderia chegar aos R$ 5,00. Confira a resposta de Guedes.

Primeira vítima

Enquanto nos mercados o coronavírus segue derrubando ações das empresas, nos negócios a nova doença acaba de fazer a primeira “vítima”: a Flybe. A companhia aérea britânica, que já passava por graves problemas financeiros, sucumbiu diante da baixa nas reservas e pediu recuperação judicial.

Nova gestão, velhos problemas

Os executivos da empresa de resseguros IRB Brasil bem que tentaram acalmar os investidores após a tremenda confusão que levou à queda da cúpula da companhia. Mas descartaram fazer uma revisão dos últimos balanços, que foi justamente o estopim da crise. Resultado: as ações despencaram mais de 16% hoje. Eles também comentaram o vergonhoso episódio da notícia sobre o falso investimento de Warren Buffett na empresa.

Um belo dia resolvi mudar 

Privatizada há oito meses e com ações na bolsa, a BR Distribuidora vai mudar. A partir desta semana a companhia adota uma nova identidade, que deve alterar a aparência de seus 7,7 mil postos. Mas o nome Petrobras permanece. Veja nesta matéria como deve ser a estratégia em torno da marca.

Uma ótima noite para você.
Aquele abraço!

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

análise dos balanços

Juntos, Santander, Itaú e Bradesco têm salto no lucro, mas saúde financeira não tranquiliza mercado

Um contraste fica visível na comparação entre Santander e Itaú, principalmente: o comportamento da margem financeira das operações com clientes

Desmatamento em foco

Varejistas europeus ameaçam boicote a produtos do Brasil por risco à Amazônia

O movimento foi visto como “precipitação” por empresários brasileiros que acompanham dois projetos de lei que tramitam no Congresso sobre o tema

CÉU DE BRIGADEIRO

No pós-Copom, Ibovespa tem tudo para amanhecer com céu azul e sol brilhante

Com o Banco Central fora da cena principal, bolsa brasileira tem tudo para acompanhar o apetite por risco no exterior

Troca de presidência

Carlos Brito vai deixar o comando da AB InBev em 1º de julho

O substituto de Brito no comando da AB InBev também é brasileiro: o engenheiro catarinense Michel Dukeris, que ingressou na AmBev em 1996

primeiro trimestre

TIM anuncia alta de 57,9% do lucro e venda de controle da FiberCo

Receita líquida somou R$ 4,340 bilhões, ligeira alta de 3% sobre igual período do ano anterior

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies