Menu
2020-03-08T22:03:43-03:00
Kaype Abreu
Kaype Abreu
Jornalista formado pela UFPR. Fez parte da oitava turma de treinamento em jornalismo econômico do Estadão.
"in Administration"

Aérea britânica sucumbe ao coronavírus e pede recuperação judicial

Flybe entrou em administração, conforme a legislação britânica, após consórcio da Virgin Atlantic e tentativa mal sucedida de socorro do governo

5 de março de 2020
9:46 - atualizado às 22:03
Flybe
Flybe - Imagem: Shutterstock

A companhia aérea britânica Flybe entrou em "Administração" — algo semelhante a um pedido de recuperação judicial no Reino Unido. O impacto do coronavírus nas reservas de voos foi a última soma de uma série de dificuldades pelas quais a empresa passava.

A empresa de auditoria e contabilidade EY mencionou o coronavírus em comunicado ao sinalizar "pressões adicionais" sobre o setor de viagens nas últimas semanas. À imprensa local, o governo destacou que a crise era anterior ao coronavírus.

Maior companhia aérea regional da Europa, a Flybe operava mais da metade dos voos domésticos do país fora de Londres. A empresa já havia sido socorrida por um consórcio liderado pela Virgin Atlantic, em julho de 2019, mas continuou a apresentar dificuldades financeiras na segunda metade do ano.

A Flybe também tentou socorro do governo, mas a possibilidade foi negada em janeiro deste ano. Naquele mês, a aérea foi resgatada por um aporte feito pelos seus acionistas.

Impacto

O surto do coronavírus tem impactado companhias aéreas em todo o mundo. Para resistir a queda da demanda, gigantes da aviação tem à disposição um fluxo de caixa maior e capacidade para reduzir suas despesas — o que não acontece com empresas menores.

Segundo a Associação Internacional de Transportes Aéreos (Iata, na sigla em inglês), o coronavírus levou ao menor aumento da demanda de passageiros na aviação mundial em janeiro — a alta foi de 2,4% em relação ao mesmo mês de 2018.

O diretor geral e CEO da Iata, Alexandre de Juniac, disse em comunicado oficial nesta quarta-feira (4) que os impactos do coronavírus sobre os números do setor devem ser ainda maiores nos próximos meses.

"Janeiro foi apenas a ponta do iceberg em termos de impactos sobre o tráfego, dado que as maiores restrições de viagens na China começaram após 23 de janeiro", disse.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Covid-19

Coronavírus: Brasil passa de 70 mil mortes e 1,8 milhão de casos

Nas últimas 24 horas, foram mais de mil casos fatais relacionados ao coronavírus no país. Com isso, o Brasil já contabiliza mais de 70 mil mortes por causa da doença

COLUNA DO PAI RICO PAI POBRE

Alfabetização financeira para crianças: quando é a hora de falar sobre dinheiro?

As idades entre nove e quinze anos são cruciais no desenvolvimento de uma criança. Muito do que vivem como adultos vem das fórmulas vencedores que aprendem quando crianças.

Novo nome no MEC

Bolsonaro anuncia pastor Milton Ribeiro como novo ministro da Educação

Decreto presidencial nomeou professor para o cargo nesta sexta-feira

Investimento para o cliente

Corretora Warren recebe aporte de R$ 120 milhões para investimento em plataformas digitais

Fintech visa multiplicar por cinco patrimônio sob gestão até o fim de 2021 e aumentar alcance da marca: ‘Nossa meta é seguir investindo em tecnologia’

Chegou lá

E o Ibovespa, quem diria, voltou aos 100 mil pontos. O que isso significa?

Depois de mais de quatro meses, o Ibovespa finalmente reconquistou o patamar dos três dígitos. Algumas boas notícias da economia doméstica ajudam a explicar o otimismo na semana, mas há mais fatores que influenciaram esse movimento

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements