Menu
2020-06-09T08:27:59-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
Cursando jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
esquenta dos mercados

Expectativa por reunião de política monetária do Fed pausa rali nos mercados

Os índices futuros em Nova York e o pregão europeu amanhecem no vermelho. Clima de cautela deve atingir também o Ibovespa, após 7 altas consecutivas.

9 de junho de 2020
8:08 - atualizado às 8:27
Federal Reserve
Imagem: Shutterstock

Em clima de cautela antes da reunião de política monetária do Federal Reserve, que terminará amanhã, as bolsas internacionais aproveitam para realizar os lucros das altas recentes. A expectativa é que a instituição mantenha os estímulos econômicos e que sua política monetária fique inalterada.

Com o cenário mais cautelo no exterior, o Ibovespa deve seguir o mesmo caminho, após sete altas consecutivas.

Pé no acelerador

O Ibovespa não deu trégua para o rali visto na bolsa brasileira na semana passada e continuou subindo forte nesta segunda-feira. A abundância de liquidez nos mercados e um cenário de juros baixos seguem empurrando a bolsa brasileira mesmo em meio a um cenário de tensão política e econômica.

Ontem, os investidores decidiram mais uma vez ignorar os focos de risco tanto no Brasil quanto no exterior. Assim, o principal índice da bolsa brasileira terminou o dia em alta de 3,18, aos 97.644,67 pontos. O dólar também teve um dia de calmaria, caindo 2,74%, a R$ 4,8544 - menor cotação desde o dia 13 de março.

Com o clima mais cauteloso nos mercados nesta manhã, o principal ETF brasileiro negociado em Nova York, o EWZ, tem queda de 1% no pré-mercado.

Boletim incompleto

Um dos focos de tensão que vem sendo ignorado pelos agentes financeiros é a situação do coronavírus no país e a falta de transparência do governo na liberação dos dados.

Após o pedido do presidente Jair Bolsonaro para que o número de mortes fiqeu abaixo dos mil casos diários, o Ministério da Saúde vem alterando a forma de divulgação dos dados. O órgão também disse que só irá divulgar as mortes ocorridas no dia, sem somar os casos confirmados com atraso.

O ministro do STF Alexandre de Moraes mandou o ministério da Saúde divulgar integralmente os dados da pandemia, como estava sendo feito até a quinta-feira (4) da última semana. A AGU tem 48 horas para se pronunciar. Hoje, o general Eduardo Pazzuelo, ministro interino da Saúde, irá prestar esclarecimentos na Câmara.

O Conselho Nacional de Secretarias Estaduais de Saúde (Conass) passou a divulgar os números unificados de mortos e novos casos da doença. Segundo o Conass, 679 novas mortes foram registradas, elevando o total para 37.134 óbitos. O número de pessoas infectadas pela doença é de 707,4 mil.

Alguns veículos de imprensa também passaram a fazer a própria contagem dos dados. Segundo esta contagem, o número de mortos foi de 849. A diferença para os números oficiais se deve ao atraso do envio de dados por parte de alguns estados.

De olho no Fed

O mercado segue sendo sustentado pela leitura de que a economia global se recuperará mais rápido do que o imaginado, mesmo após dados mais fracos do que o esperado das importações chinesas e da projeção do Banco Mundial, que espera uma contração global na casa dos 5,2%.

Os investidores também possuem expectativas para a reunião de política monetária do Federal Reserve, que começou hoje e será concluída amanhã. O esperado é que o Fed mantenha os estímulos para reação da economia, aumentando ainda mais a liquidez vista nos mercados.

Ainda em clima de otimismo, as bolsas asiáticas fecharam mais uma vez em alta durante a madrugada.

Na Europa, os negócios começaram o dia no campo negativo, em um movimento de realização de lucros após as altas recentes e de reação aos últimos dados econômicos da região.

Na Alemanha, as exportações e importações sofreram tombos históricos em abril, em reação ao coronavírus. No entanto, os mercados acionários no velho continente reduziram as perdas após a divulgação da terceira leitrura do Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro. Nos primeiros três meses do ano a economia do bloco encolheu 3,6% e não 3,8% como o divulgado anteriormente.

Nos Estados Unidos, o dia também começa no vermelho, após um pregão positivo que viu o índice Nasdaq chegar ao topo histórico e o S&P 500 zerar as perdas de 2020.

Ajuste o calendário

Mesmo após não seguir o adiantamento dos feriados na cidade de São Paulo no último mês, a B3 divulgou que irá funcionar normalmente nos dias 9 de julho e 20 de novembro. A bolsa não terá pregão no próximo dia 11, conforme previamente informado.

Agenda

Na agenda de indicadores desta terça-feira, destaque para a divulgação da primeira prévia do IGP-M. Lá fora, o relatório de emprego Jolts, nos Estados Unidos, mostra o número de abertura de vafas no mês de abril.

O diretor de Política Econômica do Banco Central, Fabio Kanczuk, participa de eevento virtual do Credit Suisse.

Fique de olho

  • Raphael Klein foi eleito o novo presidente do conselho da Via Varejo.
  • Segundo o Sindicato dos Aeronautas, a Azul propôs uma redução de salários para tripulantes por 18 meses, como forma de manter as vagas.
  • A Dasa adquiriu 60% do capital social do Grupo Santa Celina, por R$ 70,5 milhões
Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

decisão do copom

BC deve manter Selic a 2% e pode derrubar ‘forward guidance’ nesta quarta

Retirada do instrumento pode vir acompanhada de uma sinalização de que seu fim não tem relação mecânica com o começo do ciclo de aperto monetário

Ivan Sant'Anna - SD Premium

O segundo tempo do governo Bolsonaro começou mal. O que esperar daqui para frente?

Não quero dar uma de adivinho, muito menos pretender ser o dono da verdade, mas as perspectivas para a reeleição de Jair Bolsonaro em outubro de 2022 não são muito boas, embora no momento lidere todas as pesquisas de intenção de voto

dados do ministério da saúde

Brasil tem 1,1 mil mortes por covid-19 registradas em 24 horas

Com os novos óbitos, o total de vidas perdidas para a pandemia subiu para 211.491, segundo o Ministério da Saúde

seu dinheiro na sua noite

As incertezas da vez

Não sei vocês, mas desde que a pandemia de coronavírus começou, minha vida e rotina mudaram tanto, que tem estado difícil fazer planos para o futuro e ter boas perspectivas, do ponto de vista pessoal e social. Entrei no modo “um dia de cada vez”, já que ainda não temos uma data certa de quando […]

FECHAMENTO

Do céu ao inferno: Incertezas com vacinação pesam, Ibovespa derrapa e vai na contramão de NY

Enquanto o otimismo predominava nas bolsas americanas, por aqui as incertezas sobre a efetividade da campanha de vacinação contra a covid-19 se acumulavam

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies