2019-04-03T18:22:41-03:00
Salto de 368%

Com Fibria, Suzano registra lucro de R$ 2,987 bilhões no 4º trimestre

Excluindo Fibria, companhia reverteu prejuízo e obteve lucro líquido de R$ 1,462 bilhão, indicando um salto de 308,5% ante lucro de R$ 358 milhões de igual período do ano anterior

22 de fevereiro de 2019
11:09 - atualizado às 18:22
Linha de produção da Suzano - Imagem: Clayton de Souza/Estadão Conteúdo

A Suzano registrou um lucro líquido pro forma, que inclui as operações da Fibria, de R$ 2,987 bilhões no 4º trimestre de 2018. Os resultados foram anunciados nessa quinta-feira, 21.

O desempenho da companhia veio 368% acima do lucro registrado em 2017. Os números também vieram 192% acima daqueles do lucro de R$ 1,022 bilhão no terceiro trimestre de 2018.

Excluindo Fibria, a Suzano obteve lucro líquido de R$ 1,462 bilhão no quarto trimestre, indicando um salto de 308,5% ante lucro de R$ 358 milhões de igual período do ano anterior.

O valor veio acima da expectativa dos analistas que girava em torno de R$ 1,152 bilhão.

Roic

O Retorno sobre o Capital Investido (ROIC) pro forma da nova Suzano, principal métrica de desempenho da empresa, passou para 20,8% ao final de dezembro. No final de 2017, o ROIC estava em 14,5%.

De outubro a dezembro, o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado pro forma da Suzano, termômetro do mercado para mensurar a capacidade operacional das empresas, atingiu R$ 3,550 bilhões.

A performance representa um avanço de 4% ante igual intervalo de 2017 e queda de 34% ante o trimestre imediatamente anterior. A margem Ebitda ajustado pro forma passou de 59% em setembro para 52% em dezembro. Em dezembro de 2017, a margem estava em 51%.

Sem a Fibria, a Suzano teria reportado Ebitda ajustado de R$ 1,595 bilhão, alta de 11,9% em relação a um ano antes e queda de 24,7% frente ao terceiro trimestre.

A receita líquida pro forma da Suzano totalizou R$ 7,242 bilhões no quarto trimestre de 2018, alta de 1% em relação ao mesmo período de 2017 e queda de 6% frente ao terceiro trimestre. Excluindo a Fibria, a Suzano teria reportado receita de R$ 3,229 bilhões, alta de 2,8% em relação a um ano antes e queda de 19,4% frente ao terceiro trimestre.

Em 2018, o lucro líquido pro forma da Suzano cresceu 16% ante o ano anterior, para R$ 3,378 bilhões. Na mesma base de comparação, o Ebitda ajustado pro forma registrou um salto de 71%, para R$ 16,361 bilhões, com a margem Ebitda avançando de 46% para 55%. No ano, a receita líquida aumentou 42%, somando R$ 31,7 bilhões.

*Com Estadão Conteúdo

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

SELEÇÃO DE ATIVOS

13º salário de 2021 cai na conta até amanhã! Veja onde investir se você tem perfil conservador

Consultamos especialistas e o veredito é unânime: no cenário atual o que não faltam são oportunidades, mesmo para os investidores menos inclinados ao risco

ECONOMIA X COVID

Economia monitora variante ômicron da covid-19, mas programas de auxílio dependem da PEC dos Precatórios; pasta evita falar em gastos fora do teto

Ministério da Economia evita falar em crédito extraordinário, como acontece nos casos de guerras ou calamidades públicas

Black Friday em números

Varejo cresce 6,3% na Black Friday e vê crescimento de lojas virtuais com e-commerce aquecido; confira dados

Apesar do aumento em relação à Black Friday de 2020, o patamar de faturamento do varejo foi 9,1% inferior ao registrado em 2019

Desdobramentos da crise

Presidente da Latam, Roberto Alvo diz que recusou oferta ‘incompleta’ e ‘insuficiente’ da Azul

O conteúdo dela é confidencial”, afirmou, em entrevista coletiva. Procurada, a Azul não quis comentar

Solana no MB

Exclusivo: Solana (SOL), 5ª maior criptomoeda do mundo, chega Mercado Bitcoin com alta de mais de 12.000% no ano

A quinta maior criptomoeda do mundo vem conquistando o mercado porque se coloca como uma blockchain alternativa ao ethereum (ETH)