Menu
2019-04-04T14:24:26-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Em elaboração

Bolsonaro quer decreto das armas para janeiro ‘com toda certeza’

Plano inicial será liberar armas em estados em que o número de óbitos por 100 mil habitantes seja igual ou superior a 10; decreto já é elaborado com ministro da Justiça, Sérgio Moro

4 de janeiro de 2019
9:02 - atualizado às 14:24
Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro (PSL) - Imagem: Igo Estrela/Ag. Estado

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) quer passar um decreto para permitir a posse de armas no país, uma de suas principais promessas de campanha, até o fim de janeiro.

A declaração foi dada em sua primeira entrevista após a posse nessa quinta-feira, 3, ao "SBT".

"Uma das ideias, isso sai em janeiro com toda certeza, (é que) nos Estados em que o número de óbitos por 100 mil habitantes por armas de fogo seja igual ou superior a 10, essa comprovação de efetiva necessidade é fato superado. Vai poder comprar arma de fogo. Homem do campo, vai poder também" disse o presidente da República.

Ele afirmou que o decreto está sendo construído juntamente ao ministro da Justiça, Sérgio Moro, e vai também aumentar o limite de armas por pessoa de duas para quatro quando se tratar de agente de segurança. Ele também disse que pretende flexibilizar o porte.

"Devemos botar na lei, buscar aprovação, que em legítima defesa da vida própria e de outrem, do patrimônio próprio ou de outrem, você estará no poder excludente de licitude. Pode atirar, se elemento morrer, você responde, mas não tem punição. Pode ter certeza de que a violência cai assustadoramente no Brasil", disse.

Bolsonaro afirmou ainda que "talvez um Congresso mais novo" pode aprovar uma lei definindo prisão em segunda instância, mas ponderou que "muita gente (no Parlamento) que você não sabe se está envolvida em alguma coisa, pode votar (contra) como algo preventivo para ele".

Questionado, ele afirmou ainda que o Brasil só não esteve em um regime socialista "graças às Forças Armadas". "Desde 1922 corremos o risco, o período pré-1964 também. Brizola pregava abertamente", disse.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

decisão judicial

Justiça ordena religação de internet do governo do RJ; Oi alega inadimplência

Empresa acusa o governo do Estado de ter uma dívida com a empresa desde 2017 – hoje ela está em R$ 300 milhões

promessa de ipo

Locaweb compra ConnectPlug por R$ 18 milhões e avança em segmento de alimentação

Empresa comprada começou em food services mas hoje também atende outros segmentos, com foco em pequenas e médias empresas

seu dinheiro na sua noite

Mais fácil falar que fazer

Hoje foi um daqueles dias em que as falas dos detentores do poder no cenário doméstico até repercutiram no mercado, mas foram sobrepostas pelos fatos e pelo que aconteceu no exterior. O mercado local começou o dia animado com as apresentações do presidente Jair Bolsonaro e do ministro da Economia, Paulo Guedes, no badalado evento […]

perspectivas

Para Verde e SPX, auxílio emergencial por mais três meses não é preocupante

Luis Stuhlberger e Rogério Xavier dizem que a medida pode ser necessária, caso a vacinação demore demais; ambos veem 2021 positivo para os mercados

FECHAMENTO

Aceno liberal do governo não convence e bolsa fecha o dia no vermelho; na contramão, dólar cai mais de 3%

Em evento do Credit Suisse, Bolsonaro e Guedes reafirmaram o compromisso com o andamento das reformas e das privatizações, mas o mercado espera ações mais concretas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies