2019-04-05T15:46:25-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
E as reformas?

Será que o Temer e seus amigos vão travar mais uma reforma da Previdência?

Segundo o cientista político e vice-presidente da Arko Advice, Cristiano Noronha, episódio gera ruído para o governo, mas não altera perspectiva de aprovação

21 de março de 2019
15:38 - atualizado às 15:46
Presidente Michel Temer ao lado de presidente eleito, Jair Bolsonaro - Imagem: Fátima Meira/Futura Press/Estadão Conteúdo

A prisão do ex-presidente Michel Temer repercute no mundo político e no mercado financeiro trazendo preocupações sobre o andamento da agenda de reformas do governo Jair Bolsonaro no Congresso. O evento é negativo, sem dúvida, mas não catastrófico.

Para o cientista político e vice-presidente da Arko Advice, Cristiano Noronha, apesar de criar um embaraço no curtíssimo prazo, o evento não altera a perspectiva de aprovação da reforma da Previdência.

Noronha lembra que outros eventos de prisão de políticos relevantes como o ex-presidente Lula e o ex-deputado federal Eduardo Cunha também geraram expectativas de que a classe política poderia se rebelar, “mas nada disso aconteceu”.

Noronha e sua equipe já conversaram com diversos parlamentares depois do evento e a principal dúvida dos congressistas (e dele também) é a fundamentação da prisão não só de Temer, mas de outras pessoas envolvidas, e o motivo dessa ação estar ocorrendo agora.

Por ora, diz Noronha, com mais esse ruído, é possível que o governo tenha de aumentar sua cautela no diálogo com o Congresso, mas que esse é um evento de curto prazo.

“Gera ruído, tem consequências, mas não altera a perspectiva de aprovação da reforma da Previdência”, diz Noronha.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente

Militares

Para Noronha, a reforma dos militares, enviada ontem ao Congresso e já criticada por conter uma reformulação de carreiras, pode ser utilizada para reforçar os argumentos daqueles que já defendiam algum tipo de compensação ou suavização para determinados grupos dentro da reforma geral.

“O texto dos militares reforça esse argumento, mas também não inviabiliza a reforma. O governo vai ter de operar para que reforma dos militares não acabe criando justificativa para desidratar a reforma geral”, diz o especialista.

Dentro desse grupo que pode usar o texto dos militares para buscar benefício próprio, segundo Noronha, está o funcionalismo público, que para travar o andamento da reforma, propaga que o projeto tira direito dos mais pobres e entrega a Previdência para os banqueiros.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

PAPO CRIPTO #007

Tecnologia que criou o bitcoin (BTC) pode reduzir custo de captação de recursos em quase 70%, diz chefe de ativos digitais do BTG

“Empresas pequenas e médias têm menor possibilidade de acesso ao mercado de capitais, muito por causa dos custos envolvidos”, comenta

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Nova variante vira a mesa nos mercados, bitcoin entra em ‘bear market’ e outros destaques do dia

Se você já estava pronto para tirar o pó da sua fantasia de Carnaval, talvez seja melhor esperar mais um pouco. Além de algumas cidades brasileiras terem decidido adiar a festança por mais um ano, uma reviravolta no andamento da pandemia deixou mais uma vez o mundo em pânico. A variante B.1.1.529 (batizada de ômicron […]

FECHAMENTO DA SEMANA

Nova cepa do coronavírus pega mercado de surpresa; Ibovespa recua quase 4% no dia e apaga ganhos da semana

Ao longo da semana, o Ibovespa também foi pressionado pela indefinição em torno da PEC dos precatórios e a pausa para o feriado nos Estados Unidos

DINHEIRO NO FIM DO ANO

Yduqs (YDUQ3) pagará R$ 141 milhões em dividendos; confira o valor por ação

A empresa do setor de educação pagará cerca de R$ 0,40 por ação ordinária e o dinheiro cairá na conta dos acionistas em 7 de dezembro

OMICRON

5 fatos sobre a nova variante do covid que derrubou os mercados nesta sexta

O anúncio de que uma nova variante do coronavírus surgiu na África do Sul fez com que os mercados internacionais desabassem; veja o que sabemos até agora