Menu
2019-04-04T14:12:06-03:00
Estadão Conteúdo
Reforma da Previdência

Mourão diz que Guedes quer a mesma idade para aposentadoria de homens e mulheres, mas que Bolsonaro tem a palavra final

Vice-presidente ressaltou que Bolsonaro não concorda com a ideia de igualar a idade mínima

5 de fevereiro de 2019
15:15 - atualizado às 14:12
Hamilton Mourão, vice-presidente
Mourão já havia dito anteriormente que Bolsonaro é contra estabelecer a mesma idade mínima de aposentadoria homens e mulheres - Imagem: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, afirmou nesta terça-feira, 5, que o ministro da Economia, Paulo Guedes, quer igualar a idade mínima para aposentadoria de homens e mulheres, mas o presidente Jair Bolsonaro é contra e é ele quem vai dar a palavra final sobre o assunto. Para Mourão, a decisão deve sair na segunda quinzena de fevereiro.

"Isso aí, decisão sobre idade mínima, vai ser com o presidente. O Guedes tem a visão dele e o presidente vai decidir. O Guedes, na visão dele, é todo mundo igual. Não é isso que se busca hoje, a igualdade?", questionou Mourão.

Apesar do tom de brincadeira, Mourão reforçou que o presidente Jair Bolsonaro não concorda com a ideia de igualar a idade mínima. "A decisão é dele. Ele que foi eleito, nós somos só atores coadjuvantes", disse o vice. Na segunda-feira, Mourão já havia dito que Bolsonaro é contra estabelecer a mesma idade mínima de aposentadoria homens e mulheres e que concorda com ele.

Minuta da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da reforma da Previdência, obtida com exclusividade pelo Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, sugere a idade mínima de 65 anos para homens e mulheres se aposentarem no Brasil. O tempo mínimo de contribuição para se aposentar com 100% do benefício poderia chegar a 40 anos, de acordo com o texto.

Mourão minimizou o conteúdo da proposta e disse que "aquilo foi um vazamento aí que houve", voltando a dizer que a decisão caberá apenas ao presidente.

Mourão acredita que a decisão será tomada por Bolsonaro na segunda quinzena de fevereiro, mas isso vai depender da alta hospitalar, que ainda não tem previsão para acontecer. "Temos que aguardar a alta hospitalar, pode ser no final de semana, no início da próxima semana."

Reunião de cúpula

A reforma da Previdência foi um dos temas discutidos durante reunião do Conselho de Governo entre Mourão e os ministros, no Palácio do Planalto, na manhã desta terça. Segundo Mourão, no entanto, Guedes não falou especificamente sobre a questão da idade mínima.

Em nota, a Casa Civil divulgou posicionamento semelhante ao de Mourão, alegando que a minuta da reforma da Previdência divulgada é "um dos vários estudos em avaliação" e que o martelo será batido "apenas pelo presidente, provavelmente na próxima semana".

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Roubando a cena

Dólar dispara mais de 2% com aversão ao risco e tem 4ª sessão seguida de alta; bolsa cai

Dólar passou voando pela marca de R$ 5,50 e por pouco não bateu R$ 5,60; Ibovespa acompanhou sinal negativo vindo de Wall Street e perdeu piso de 96 mil pontos

eric rosengren

Presidente do Fed de Boston defende necessidade de novo pacote fiscal, mas se diz pessimista com acordo

O presidente da distrital de Boston do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Eric Rosengren, reiterou hoje, durante seminário virtual, a necessidade de novas medidas de estímulos fiscais para acelerar a recuperação da atividade econômica dos Estados Unidos

DURAS CRÍTICAS

Para Doria, saída de investidores do Brasil ocorre por questões ambientais e negacionismo

Governador de SP não citou nominalmente o presidente Jair Bolsonaro, criticado por discurso na Assembleia Geral das Nações Unidas

INJEÇÃO DE RECURSOS

EUA precisarão de mais ajuda fiscal para recuperar economia, diz Powell

Presidente do BC americano afirma que ainda há 16 milhões de pessoas desempregadas no país, ou trabalham em período parcial

programa de R$ 2,4 bi

Mercedes-Benz vê cenário de incerteza, mas diz que mantém investimentos no país

O programa de investimentos da montadora no Brasil prevê R$ 2,4 bilhões entre 2018 e 2022, com recursos destinados, principalmente, à atualização de plataformas e produto

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements