Menu
2019-05-06T17:02:42-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Não há alternativa

Crescimento da economia vem com a reforma da Previdência, diz Guedes

Segundo ministro, que falou ao lado de Bolsonaro, o Brasil é prisioneiro de uma armadilha de baixo crescimento

6 de maio de 2019
16:47 - atualizado às 17:02
Bolsonaro e Paulo Guedes
Presidente Jair Bolsonaro e ministro da Economia, Paulo Guedes. - Imagem: Eduardo Campos/Seu Dinheiro

Ao lado do presidente Jair Bolsonaro, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que com a aprovação da reforma da Previdência, o Brasil retoma seu caminho de crescimento econômico sustentado.

“O Brasil é prisioneiro de uma armadilha de baixo crescimento e vamos escapar disso com as reformas. A reforma da Previdência abre um horizonte de 10 a 15 anos de recuperação do crescimento”, disse.

Guedes deu as declarações depois de uma reunião de cerca de uma hora com Bolsonaro, que foi ao Bloco P da Esplanada dos Ministérios para ter com o ministro e com os secretários. Segundo Bolsonaro, outras visitas a ministérios ocorrerão, para dar suporte e ouvir eventuais críticas.

Ainda de acordo com Guedes, que tinha sido questionado sobre as revisões para baixo nas estimativas do PIB, assim que a reforma for aprovada há uma disparada nas zonas de investimento interno, que atraem, também, os investimentos externos.

“Nós vamos começar a simplificar e reduzir os impostos. Vamos fazer a descentralização para recursos para Estados e municípios e o Brasil, de julho em diante já está crescendo de novo. Essa é a verdade, a verdade do crescimento”, afirmou.

Bolsonaro sobre reformas

Questionado sobre a campanha de propaganda em defesa da reforma da Previdência, Bolsonaro disse que a outra alternativa, se o Brasil continuar tendo déficit é imprimir moeda, mas ponderou, questionado Guedes, que o vem atrás é a inflação.

Outra saída, segundo Bolsonaro é conseguir empréstimos externos. “Será que querem emprestar para nós? E a que taxa de juros?”

“Não temos alternativa. A reforma da Previdência é o primeiro grande passo para conseguirmos a nossa liberdade econômica”, disse Bolsonaro.

É tudo um time só

O presidente também foi perguntado sobre o ministro da Secretaria Especial, general Santos Cruz, que está sob ataque nas redes sociais e sofre duras críticas de Olavo de Carvalho.

Segundo Bolsonaro, o ministro não pediu demissão e segue trabalhando normalmente. “De acordo com a origem do problema a melhor resposta é ficar quieto, pois temos coisas muito, mas muito mais importantes para discutir no Brasil. Aqueles que por ventura não tenham tato político estão pagando preço junto à mídia. Mas não existe grupo de militares, nem grupo de Olavos. É tudo um time só”, afirmou.

Minha Casa, Minha Vida

Questionado sobre o orçamento para o programa Minha Casa, Minha Vida, Guedes disse que o presidente sabe de sua importância, mas com 70 mil unidades devolvidas, e outras 60 mil não tendo sido terminadas, “é um programa que precisa passar por reavaliações”, pois “tem algum problema no programa. Estamos seguindo enquanto fazemos a reavaliação”.

Segundo Guedes, a Caixa segue o cronograma de liberação de recursos e não houve nenhum contingenciamento.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

em busca de energia limpa

Criptomoedas: Elon Musk diz que Tesla vendeu 10% do que detinha em bitcoin

Segundo executivo, operação prova que a criptomoeda poder ser liquidada facilmente “sem mover o mercado”

imunização

Governo de São Paulo adianta em 30 dias vacinação contra a covid-19; veja novas datas

Plano é vacinar toda a população adulta do estado, ao menos com a primeira dose, até o dia 15 de setembro

luto

Ex-presidente do BC Carlos Langoni morre de covid-19 no Rio

Carlos Langoni trabalhou no governo na virada das décadas de 1970 e 1980, quando foi presidente do BC; ele colaborou com a equipe econômica do ministro Paulo Guedes, quase 40 anos depois

nos eua

Nova ‘ação meme’? Orphazyme dispara quase 1400% em um dia e mercado não sabe por quê

Investidores da empresa aguardam uma importante atualização sobre um tratamento experimental para a doença de Niemann-Pick; sem novidades, mercado não sabe a razão da alta

entrevista

Superávit primário pode voltar em 2024, diz secretário do Tesouro

Jeferson Bittencourt diz que a melhora no quadro fiscal do País não é “sorte”; confira a entrevista

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies