Menu
2019-04-04T14:50:14-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Arrecadação de R$ 219,5 milhões

Após leilão de portos, ministro da Infraestrutura diz que resultado confirma confiança no Brasil

Tarcísio Freitas afirmou que privatização dos terminais deverá melhorar a distribuição de combustíveis, especialmente no Nordeste

22 de março de 2019
12:32 - atualizado às 14:50
Ministro da infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas
Imagem: Divulgação/PPI.gov

Após o governo arrecadar R$ 219,5 milhões com outorgas em leilão de portos realizado na manhã desta sexta-feira, 22, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, foi a público para comemorar o resultado. Segundo ele, a concessão dos quatro terminais confirma "a confiança do investidor no Brasil".

No leilão, realizado na Bolsa de Valores de São Paulo, foram concedidos quatro terminais em Cabedelo (PB) e Vitória (ES), todos eles adquiridos pelos mesmos grupos econômicos, formados pelos sócios Raízen, BR Distribuidora e Ipiranga.

Apenas um oponente compareceu ao leilão e disputou dois dos terminais no Porto de Cabedelo, sem sucesso.

Embora o governo tenha arrecadado muito mais do que o inicialmente estimado, tendo em vista que os valores iniciais de outorga era de R$ 1,00 por terminal, Freitas disse: "Ágio não é nosso objetivo, não é para auferir outorga, mas para impulsionar a logística."

O ministro salientou que, com o leilão desta sexta, a logística de distribuição de combustíveis vai ser impulsionada, especialmente no Nordeste do país.

Questionado sobre eventuais problemas legais na oferta dos terminais à iniciativa privada, o ministro comentou que todos os editais de concessão passam anteriormente pela análise do Tribunal de Contas da União (TCU). Isso, segundo ele, dá "conforto" ao governo federal.

Olho no futuro

Freitas também disse em pronunciamento que o governo deve apresentar em breve os editais para licitação de terminais em Santos, Paranaguá e Suape. "Estamos muito perto de lançar os editais para Santos e Paranaguá; e Suape está muito perto de sair do Tribunal de Contas da União (TCU)", afirmou durante coletiva de imprensa após a realização do leilão de quatro terminais portuários nesta sexta, na B3.

"Em breve estaremos despejando mais leilões de terminais portuários no mercado", afirmou o ministro.

No curto prazo, pelas contas de Freitas, seriam nove terminais, considerando os seis previstos para o leilão do próximo dia 5 de abril, nos portos de Belém e Vila do Conde, ambos no Pará. "Também vamos abrir consulta pública para a BR-181, em Minas, BR- 163, no Pará, BR-153, que liga Goiás ao Tocantins. Estamos trabalhando para dar vasão a carteira que apresentamos para a sociedade", acrescentou .

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

pandemia

Covid-19: número de mortes sobe para 361,8 mil no Brasil

Nas últimas 24 horas, foram registradas mais 3.459 mortes no país

seu dinheiro na sua noite

Petróleo, minério e tudo que há de bom

Entre o fantasma do Orçamento com pedaladas, a besta da PEC “fura-teto”, o gigante da CPI da Covid e o monstro da pandemia, o Ibovespa conseguiu hoje engatar a terceira alta seguida e fechar acima dos simbólicos 120 mil pontos, marca que o índice não via desde fevereiro. Mas como pode? Bem, mais uma vez […]

hoje não

Hering rejeita proposta da Arezzo para potencial fusão

Segundo a Cia. Hering, a proposta “não atende ao melhor interesse dos acionistas e da própria companhia”

Polêmica na privatização

CVM vai investigar CEEE por suposta omissão na divulgação de informações

A autarquia começará a apuração de uma denúncia de omissão de fatos relevantes sobre a privatização da estatal gaúcha

FECHAMENTO

Commodities em alta levam o Ibovespa acima dos 120 mil pontos pela primeira vez desde fevereiro; dólar recua

O clima incerto em Brasília segue assombrando os investidores, mas ainda assim a bolsa brasileira consegue fôlego com as commodities para se manter no azul

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies