Menu
2019-07-26T12:13:56-03:00
Estadão Conteúdo
Hora dos números

Produção da Petrobras atinge 2,553 milhões de boed no Brasil (-0,4% em 1 ano)

Em águas rasas, a produção de óleo foi de 62 mil de bpd, queda de 17,8% em comparação ao trimestre imediatamente anterior e 34,2% no ano

26 de julho de 2019
9:44 - atualizado às 12:13
Petrobras
Petrobras - Imagem: Shutterstock

A produção da Petrobras no segundo trimestre de 2019 atingiu 2,553 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boed), queda de 0,4% na comparação com os 2,461 milhões de boed em igual trimestre do ano passado. Na comparação com os três primeiros meses do ano, entretanto, o número mostra avanço de 3,7%. Segundo a empresa, a queda na comparação anual refletiu a venda de 25% do campo de Roncador e dos ativos da Petrobras América, que mais do que compensaram os ganhos com o ramp-up das plataformas do pré-sal nos campos de Búzios e Lula.

A companhia destacou que, apesar do aumento na comparação trimestral, os números foram inferiores ao projetado, "principalmente devido às dificuldades enfrentadas no mês de junho com a estabilização das plantas de gás dos novos sistemas de produção de Búzios devido a sua maior complexidade", diz o relatório, destacando ainda parada programada de 14 dias em operações no campo de Lula.

Em águas rasas, a produção de óleo foi de 62 mil de bpd, queda de 17,8% em comparação ao trimestre imediatamente anterior e 34,2% no ano. "Essa queda deveu-se à parada de produção definitiva das plataformas P-9 e PNA-1, que encerraram seu ciclo de produção após mais de 38 anos", explicou a estatal.

Pré-sal

No segundo trimestre, a produção nos campos do pré-sal atingiu novo recorde mensal de 2,07 milhões de boed, e um novo recorde diário de 2,21 milhões boed no final de junho. "A nossa produção de óleo no pré-sal continua crescente, registrando um aumento de 12,7% em relação ao trimestre anterior, principalmente devido ao ramp-up das novas plataformas, que contribuíram com 170 Mboed", apontou a estatal, destacando que o pré-sal respondeu por 57% da produção total no trimestre, contra 48% um ano antes.

Metas

A Petrobras cortou em 3,6% sua perspectiva de produção neste ano de 2,8 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boed) para 2,7 milhões de boed, com variação de 2,5% para mais ou para menos.

De acordo com a estatal, o corte refletiu sobretudo as dificuldades enfrentadas no mês de junho com a estabilização das plantas de gás dos novos sistemas de produção de Búzios, devido a sua maior complexidade, o que elevou o tempo de comissionamento das plantas de gás. "Esses fatores causaram a postergação da entrada de novos poços produtores, resultando em uma produção em Búzios de 180 mil boed abaixo do previsto no mês de junho".

A estatal lembra ainda que houve parada não programada de 14 dias no FPSO Cidade de Mangaratiba no campo de Lula para correção no sistema de desidratação de gás, que impactou em 60 mil boed a produção de junho.

A empresa destacou que as operações já mostraram melhora operacional em julho, com produção média retomada ao patamar de 2,7 milhões de boed.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Pressão para todo lado

Comissão inicia discussões sobre a Reforma Administrativa; relator afirma que Bolsonaro precisa manifestar seu apoio

A comissão especial formada na Câmara dá hoje o pontapé inicial na discussão da reforma administrativa. A primeira reunião é cercada de forte pressão para definir a lista das categorias de Estado a serem incluídas na Proposta de Emenda à Constituição (PEC). O crescimento desse movimento é uma das preocupações do relator do projeto, deputado […]

Matéria-prima salgada

Commodities vão inflacionar o mercado de carros, diz presidente de consórcio que reúne Fiat, Jeep, Peugeot e Citroën

Além da pandemia e da falta de chips, o executivo vê com preocupação o movimento inflacionário das commodities usadas pelo setor

MERCADOS HOJE

Dólar fica abaixo dos R$ 5 pela primeira vez em um ano; confira as razões para a queda da moeda

Entrada de fluxo estrangeiro no país é acompanhada de alguns critérios técnicos e uma melhora na percepção de risco.

Ampliando investimentos

GM amplia em 75% investimentos em carros elétricos e automáticos até 2025

A projeção da empresa é de que seu Ebit fique entre US$ 8,5 bilhões e US$ 9,5 bilhões na primeira metade do ano

Análise do presidente

Para Bolsonaro, derrubada ou perda da validade da MP da Eletrobras provocará caos

A MP não tem consenso entre líderes e corre o risco de ser derrubada ou ter a votação adiada

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies