🔴 SAVE THE DATE: 22/07 – FERRAMENTA PARA GERAR RENDA COM 1 CLIQUE SERÁ LIBERADA – CONHEÇA

Carolina Gama
Formada em jornalismo pela Cásper Líbero, já trabalhou em redações de economia de jornais como DCI e em agências de tempo real como a CMA. Já passou por rádios populares e ganhou prêmio em Portugal.
UMA DOSE DE RISCO

Ações para investir antes de 2022 acabar: Petrobras (PETR4), Weg (WEGE3) e Assaí (ASAI3) estão entre as preferidas da XP

A corretora também recomenda reduzir exposição a empresas estatais seguindo a possibilidade de um aumento de riscos políticos — nesse grupo está o Banco do Brasil (BBAS3)

Carolina Gama
9 de setembro de 2022
17:39 - atualizado às 18:04
Petrobras petr4
Petrobras - Imagem: Shutterstock

Faltando pouco mais de três meses para o ano acabar, a XP recomenda uma dose extra de risco para quem investe em ações — ainda que não haja muito espaço para a queda do juro e com as questões fiscais e políticas no radar, a corretora enxerga boas oportunidades. 

Em agosto, o rali da bolsa não foi sustentado por ações de valor, mas sim papéis de crescimento, com a inflação começando a mostrar sinais de desaceleração e expectativas de uma política monetária mais branda. 

Como resultado, as taxas de juros de longo prazo no Brasil e nos EUA sofreram uma correção, o que beneficiou diretamente as ações com maior parte de seu valor no futuro, que são sensíveis a mudanças na curva de juros, segundo a XP. 

As ações queridinhas da XP

Nesse momento de bastante incerteza, a XP opta por companhias mais resilientes, que tenham dinâmicas de crescimento menos correlacionadas com o ambiente macroeconômico, como Vamos (VAMO3) e Weg (WEGE3).​

No quesito qualidade a preços razoáveis​, a corretora enxerga várias ações negociadas a múltiplos atrativos, com perspectivas positivas de crescimento. Nesse grupo, destacam-se varejistas como Assaí (ASAI3), Grupo Mateus (GMAT3) e Grupo Soma (SOMA3). ​

A XP também continua otimista com empresas de energia, principalmente no segmento de petróleo e gás. As principais escolhas para investir nesse setor são Petrobras (PETR4) e 3R (RRRP3).​

A corretora recomenda ainda a redução da exposição a estatais seguindo a possibilidade de um aumento de riscos políticos, como Banco do Brasil (BBAS3), embora essa continue sendo uma ação favorita do setor financeiro. 

As recomendações da XP por setor

A XP elegeu as ações queridinhas para o final de 2022, com base em empresas com qualidade, baixo risco e valor. Confira abaixo as eleitas da corretora por setor. 

  • Agronegócio: apesar das estimativas de margens menores para a safra 2022/2023, a corretora projeta um forte crescimento nos próximos anos para os players de tecnologia e varejistas agrícolas. ​No setor de açúcar e álcool, a escolhida é a Jalles Machado (JALL3); entre os grãos, a ação favorita é BrasilAgro (AGRO3). 
  • Alimentos: para as empresas de bens de consumo básicos, a XP espera um bom momento para os resultados devido ao alívio nos preços das commodities, que se traduzirá em margens mais altas. Nesse cenário, beneficiam-se JBS (JBSS3) ​e Camil (CAML3).
  • Bebidas: o alívio nos preços das commodities, os preços abaixo da inflação nos últimos dois anos e a Copa do Mundo devem impulsionar o setor, com destaque para as ações da AmBev (ABEV3).
  • Bens de capital: as empresas de bens de capital continuam impactadas por gargalos relacionados à cadeia de suprimentos e escassez de componentes, embora os sinais de normalização comecem a aparecer. Entre as preferidas da XP nesse cenário estão WEG (WEGE3), Tupy (TUPY3) e Embraer (EMBR3)​. 
  • Construtoras​: do lado das construtoras de baixa renda, uma combinação positiva das atualizações do programa Casa Verde Amarela (CVA) e a demanda ainda sólida beneficiam o segmento. Para as empresas de média e alta renda, a visão da XP é neutra. As principais escolhas são Cury (CURY3) e Direcional (DIRR3).
  • Educação​: a XP tem uma visão cautelosa em relação ao setor, considerando os cenários micro e macro mais difíceis. A preferida é a Cruzeiro do Sul (CSED3)​.
  • Energia elétrica​: apesar do desempenho acima da média de grande parte das companhias em 2022, a corretora continua otimista com as empresas do setor elétrico. Nesse momento, as empresas com baixos riscos operacionais, balanços saudáveis, perspectivas de crescimento claras e risco-retorno assimétrico são as preferidas. Omega Energia (MEGA3), Auren (AURE3) e Equatorial (EQTL3) estão nesse grupo. 
  • Mineração e siderurgia​: O setor vive um momento de desorganização da cadeia mundial de metais, preços elevados de combustíveis e energia e dúvidas quanto às expectativas da demanda por causa da China. Apesar destes fatores, a XP recomenda Vale (VALE3) e CBA (CBAV3). 
  • Papel e celulose: o setor tem surfado uma tendência mais positiva de preços de celulose nos últimos trimestres, principalmente devido às crescentes restrições de oferta e gargalos logísticos. Nesse contexto, a Klabin (KLBN11)​ é a escolhida pela resiliência do modelo de negócios diversificado e assimetria do valor nos preços atuais. 
  • Saneamento​: o cenário eleitoral deve provocar volatilidade no curto prazo, especialmente para os players públicos. Do lado de resíduos sólidos, o semestre deve ser mais forte, impactado pela venda de créditos de carbono do ano. ​A escolhida é a Orizon (ORVR3).
  • Saúde​: os prestadores de serviços de saúde passaram por um período com desempenho operacional historicamente fraco, causado principalmente pela pandemia de covid-19. A expectativa da XP para o médio prazo é positiva, com as companhias fortalecendo portfólios de produtos e extraindo crescimento dos atuais.​ Blau (BLAU3)​ é a favorita do segmento. 
  • Shoppings e propriedades comerciais​: o setor de shoppings deve seguir em recuperação, baseada na combinação de desempenho resiliente de vendas e a progressiva redução de descontos, mantendo níveis saudáveis de inadimplência. Multiplan (MULT3) e Iguatemi (IGTI11) ​são as queridinhas da XP. 
  • Tecnologia​: a XP recomenda exposição às companhias de tech brasileira na bolsa, apesar da volatilidade de alguns papeis no curto prazo. Bemobi (BMOB3) e TOTVS (TOTS3)​ são as principais escolhas. 
  • Telecomunicações: a visão positiva para o segmento é suportada por uma forte dinâmica de crescimento, além de execução operacional e sólida rentabilidade. ​Unifique (FIQE3) e TIM (TIMS3) são as favoritas da corretora. 
  • Transportes​: a XP recomenda nomes com uma microdinâmica positiva, que deve ajudar a evitar potencial volatilidade em um cenário macro ainda desafiador. Nesse grupo, Vamos (VAMO3) e Rumo (RAIL3)​ são as preferidas.

Compartilhe

FRIGORÍFICOS

Problemas para a BRF (BRFS3) e a JBS (JBSS3)? Brasil suspende exportações de carne de aves para 44 países — e a China é um deles

20 de julho de 2024 - 12:19

O Ministério da Agricultura decidiu voluntariamente paralisar as exportações de carnes de aves e seus produtos, com restrições que variam de acordo com os mercados

DÁ O PLAY!

Agora vai? Por que a bolsa brasileira despertou em julho e o que esperar das ações agora

20 de julho de 2024 - 11:00

Ibovespa já acumula alta de 3% em julho, depois de quase perder os 120 mil pontos no último mês; mas as ações finalmente vão decolar, ou será mais um voo de galinha?

BOLSA NA SEMANA

Por que as ações do Pão de Açúcar (PCAR3) desabaram 13% e lideraram as perdas do Ibovespa na semana — enquanto Usiminas (USIM5) subiu 5%?

20 de julho de 2024 - 9:22

As ações do Pão de Açúcar atraíram os holofotes dos investidores na semana após uma sangria na bolsa brasileira. Veja o que está por trás da queda dos papéis

PERSPECTIVAS PARA OS PROVENTOS

Com R$ 2 bilhões entrando no caixa, a Eletrobras (ELET3) vai distribuir mais dividendos? Veja o que diz o Goldman Sachs

19 de julho de 2024 - 19:46

O banco acredita que a oferta irá aumentar a liquidez da companhia e potencialmente abrir espaço para proventos mais elevados no futuro

RANKING DA QUANTUM

Os reis das ‘penny stocks’: Americanas (AMER3), Oi (OIBR3) e outras ações com a maior sequência de pregões no patamar de centavos

19 de julho de 2024 - 16:41

Um estudo da Quantum mostra que companhias que enfrentaram processos de recuperação judicial dominam o ranking de penny stocks

GESTÃO EXPLICA

Fundo imobiliário com mais de 150 mil cotistas anuncia os menores dividendos em mais de dois anos; por que os proventos do ALZR11 estão em queda?

19 de julho de 2024 - 13:07

O histórico de distribuições de 2024 mostra que os valores depositados pelo FII recuaram cerca de 11,2% desde janeiro

REAÇÃO DAS BOLSAS

Apagão cibernético: ação da CrowdStrike, empresa que causou a pane nos sistemas da Microsoft e derrubou serviços no mundo todo, despenca em NY

19 de julho de 2024 - 12:08

Vale relembrar que, mais cedo, uma atualização nos sistemas da CrowdStrike causou uma pane generalizada nos sistemas da Microsoft

MERCADO FINANCEIRO

Renda fixa brilha no 1º semestre e impulsiona captação de fundos. Veja as 10 gestoras que mais levantaram dinheiro no período

18 de julho de 2024 - 18:38

No “Top 10” das empresas que mais levantaram dinheiro no período, a cifra chega a R$ 202,2 bilhões, de acordo com a Quantum Finance

DISPARADA DO CÂMBIO

Dólar bate os R$ 5,58 e fecha no maior patamar em duas semanas; confira o gatilho da alta de quase 2%

18 de julho de 2024 - 17:47

Mais cedo, o ministro da Fazenda disse ter recebido o sinal verde de Lula para avançar em estudos de corte no Orçamento, mas falas da ministra do Planejamento impulsionaram a moeda

OFERTA NA BOLSA

Fundo imobiliário VGIR11 anuncia emissão de até R$ 500 milhões e vai oferecer um ‘desconto’ nas cotas; confira os detalhes

18 de julho de 2024 - 14:59

O preço de emissão pago por quem decidir participar da operação, que é voltada a investidores no geral, será de R$ 9,85 por cada nova cota

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar