Menu
2019-08-01T23:09:00-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Balanço

Venda da TAG puxa lucro da Petrobras no 2º trimestre, que atinge R$ 18,9 bilhões

E vem mais por aí. Com a privatização da BR Distribuidora, a Petrobras espera um ganho de capital antes dos impostos de R$ 14,2 bilhões no próximo balanço

1 de agosto de 2019
23:09
Petrobras
Petrobras - Imagem: Shutterstock

A venda da Transportadora Associada de Gás (TAG) deu um impulso aos resultados da Petrobras no segundo semestre. O lucro líquido da estatal foi de R$ 18,9 bilhões no segundo trimestre. Sem considerar esse efeito, porém, o lucro recorrente teve uma queda de 53%, para R$ 5,157 bilhões.

O resultado ajustado ficou abaixo da projeção média dos analistas, cuja média apontava para R$ 8,5 bilhões, de acordo com dados da Bloomberg.

O programa de venda de ativos da Petrobras rendeu um total de R$ 21,2 bilhões para a Petrobras no trimestre. E vem mais por aí. Com a privatização da BR Distribuidora, realizada via oferta de ações na B3 em julho, a empresa espera um ganho de capital antes dos impostos de R$ 14,2 bilhões no próximo balanço.

O Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado aumentou 7,5% em relação ao segundo trimestre de 2018, para R$ 33,4 bilhões.

A despesa financeira, porém, pesou e cresceu 191% na comparação com o segundo trimestre do ano passado, para R$ 8,6 bilhões. As variações monetárias e cambiais reduziram o lucro em R$ 3,6 bilhões, segundo a companhia.

Dívida menor

A dívida líquida da Petrobras encerrou junho em US$ 83,7 bilhões, uma redução US$ 11,9 bilhões em relação ao 1T19. Com a queda, a relação entre o endividamento e o Ebitda ajustado caiu de 2,89 vezes no primeiro trimestre para 2,52 vezes.

Sem o efeito da mudança contábil ocorrida neste ano, a relação seria ainda menor, de 2,02 vezes. A meta da estatal é chegar a 2020 em uma relação dívida líquida/Ebitda de 1,5 vez.

Meta de produção reduzida

O aumento da produção de petróleo é uma das apostas dos que recomendam a compra das ações da Petrobras. Mas no segundo trimestre o desempenho ficou abaixo do esperado.

A produção da Petrobras alcançou 2,633 milhões de barris de óleo equivalente, com um crescimento de 3,8% em relação aos três primeiros meses do ano, mas uma redução de 0,4% na comparação com o segundo trimestre de 2018.

Após o resultado de produção, que foi divulgado na semana passada, a estatal reduziu a meta de produção para este ano de 2,8 milhões para 2,7 de barris de óleo equivalente, com variação de 2,5% para mais ou para menos.

Olha o dividendo

Junto com o balanço, a Petrobras anunciou que o conselho de administração aprovou a antecipação de distribuição de juros sobre o capital próprio (JCP) aos acionistas, no valor de R$ 2,6 bilhões, equivalente a R$ 0,20 por ação ordinária e preferencial. Trata-se do dobro dos R$ 0,10 por ação do trimestre anterior.

Os investidores com ações da estatal no dia 12 de agosto terão direito aos dividendos, que serão pagos no dia 4 de outubro.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Entre a cruz e a espada

Bitcoin se aproxima da “Cruz da Morte”: O que isso significa para a criptomoeda?

O bitcoin tocou essa linha imaginária no último final de semana, o que deve determinar o futuro da moeda para os próximos meses

Buscando confiança

Números de abril mostram melhora do IRB, mas queda da ação mostra que desconfiança persiste

Estratégia de rever contratos, principalmente no exterior, diminuiu as receitas fora do Brasil, mas ajudou sinistralidade e resultado final

Economia dos eua

Dirigente do Fed admite inflação alta, mas defende contínuo apoio monetário

Presidente da distrital do banco admitiu que as leituras recentes de inflação estão “altas” e devem ser monitoradas de perto

Aperto monetário

Vem aí uma alta de 1 ponto na Selic? Por que o mercado elevou as projeções para os juros após a ata do Copom

Juro básico da economia pode subir para 5,25% ao ano já em agosto se o Copom decidir apertar o ritmo de elevação da Selic para conter as pressões inflacionárias

Novo passo

PDG lança Vernyy, nova unidade de negócios de prestação de serviços imobiliários

Construtora está diversificando atividades como parte do seu plano de recuperação judicial

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies