Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-08-02T05:56:15-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Grande tacada

Gestora de fundos criada por Paulo Guedes tem retorno de seis vezes com investimento na Afya

Fundo da Crescera, que teve o ministro como sócio até a ida dele para o governo, investiu pouco mais de R$ 600 milhões e detém hoje 37,5% do capital do grupo de educação voltado a cursos de medicina Afya. Essa participação agora é avaliada em aproximadamente R$ 3,6 bilhões

2 de agosto de 2019
5:55 - atualizado às 5:56
Paulo Guedes
Guedes é fundador da Bozano Investimentos, que mudou de nome para Crescera após a ida dele para o governo - Imagem: Alan Santos/PR

Se ainda é cedo para avaliar o trabalho de Paulo Guedes no governo, o ministro da Economia acaba de passar com louvor em um teste dos tempos em que atuou como gestor de fundos. O investimento realizado na Afya, grupo de educação voltado a cursos de medicina, obteve até o momento um retorno que já chega a seis vezes o capital investido.

Você não leu errado. O dinheiro investido pela gestora criada por Guedes na Afya, que abriu o capital no mês passado na bolsa americana Nasdaq, multiplicou-se por seis.

O aporte na empresa de educação foi realizado pelo fundo captado em 2015 pela Bozano Investimentos, que mudou de nome para Crescera após a ida de Paulo Guedes para o governo Bolsonaro.

A gestora investiu pouco mais de R$ 600 milhões e detém hoje 37,5% do capital da Afya, uma empresa criada neste ano a partir da união da NRE Educacional, maior grupo de faculdade de Medicina do país, com a Medcel, marca de cursos digitais preparatórios para provas de residência médica.

Depois do IPO (sigla em inglês para oferta pública inicial de ações) da empresa na Nasdaq, essa participação – que ainda não foi vendida – passou a ser avaliada em aproximadamente US$ 960 milhões (R$ 3,6 bilhões).

Os cálculos do retorno obtido pela Crescera foram feitos a meu pedido por uma fonte do mercado de “private equity”, como são conhecidos os fundos investem na compra de participações em empresas, com o objetivo de vendê-las com lucro no futuro. Os números têm com base as cotações de quarta-feira do dólar e das ações da Afya na bolsa americana.

Ou seja, quem deixou seu dinheiro aos cuidados do “Posto Ipiranga” de Bolsonaro não tem do que reclamar. Infelizmente, esse é um tipo de aplicação restrita aos chamados investidores profissionais, que detêm pelo menos R$ 10 milhões para investir.

Isso porque, como toda aplicação com perspectiva de retornos elevados, o risco também é altíssimo. Além disso, não há liquidez. Ou seja, os investidores só têm os recursos devolvidos depois do prazo de duração do fundo, o que costuma levar de oito a dez anos.

O fundo tem entre os principais cotistas a Previ, fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil, o BNDES e o grupo de mídia alemão Bertelsmann, além do dinheiro de famílias milionárias.

A gestora que tinha o ministro entre os sócios se especializou em investir em empresas na área de educação, como a Abril Educação e a Ânima. Apesar dos bons resultados para os cotistas, a atuação de Guedes no mercado de compra de participações em empresas atraiu a atenção do Ministério Público.

Em outubro, logo depois do primeiro turno das eleições presidenciais, o MP do Distrito Federal abriu uma investigação para investigar supostas irregularidades nos investimentos realizados nas empresas HSM, de educação executiva, e na Enesa, de engenharia. Procurado, o MP informou que as investigações continuam em andamento e correm em sigilo.

Taxa de performance no bolso

O desempenho final do investimento do fundo de Paulo Guedes na Afya só será conhecido quando a participação for vendida. A gestora optou por não se desfazer de seus papéis no IPO (sigla em inglês para oferta pública inicial de ações).

A decisão se mostrou correta. A ação da Afya estreou no dia 19 de julho valendo US$ 19. Na última quarta-feira, os papéis já haviam se valorizado para o patamar de US$ 28,50.

Mas nem todo o retorno obtido com esse investimento vai parar no bolso dos cotistas. Os gestores de private equity cobram dos investidores uma taxa de performance quando o retorno ultrapassa o indicador de referência (benchmark).

Pelos cálculos da minha fonte, a Crescera deve levar para casa aproximadamente R$ 820 milhões pelo desempenho acima da meta obtido pelo fundo. Ainda assim, a rentabilidade líquida para os cotistas deve ficar em algo como 4,6 vezes o capital investido.

A dúvida que fica é se Paulo Guedes terá direito a uma parte do que a Crescera tem a receber, já que o investimento na Afya foi feito quando ele fazia parte do quadro de sócios. Ele deixou a gestora em dezembro, depois de aceitar o convite de Jair Bolsonaro para assumir o Ministério da Economia. Eu procurei a Crescera, mas a gestora informou que não tem por hábito comentar assuntos ou negócios que ainda não tenham sido finalizados.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Cliente difícil

Barrada na alfândega: Carne de unidade da BRF não é mais bem vinda na China

País asiático suspende compra de produtos suínos e de aves processados na unidade de Lucas do Rio Verde (MT), alegando problemas no transporte

Esquenta dos Mercados

Pré-mercado: cautela antes da decisão do Copom e risco fiscal devem dividir atenção com balanços do dia

Em meio ao exterior positivo, bolsa brasileira deve lidar com cenário interno de incertezas quanto ao teto de gastos

Preparar para decolagem

Renovação total: Gol faz acordo para adquirir aviões novos; veja os detahes

Presidente da companhia aérea afirma que movimento é uma antecipação à esperada retomada da demanda por viagens após a pandemia

EXCLUSIVO

Inter lança família de fundos temáticos com entrada a partir de R$ 100; conheça os produtos

A Inter Asset lança hoje a Innova, família de fundos de investimento temáticos. O fundo de cannabis da Vitreo estreia o produto

De olho no Banco Central

Copom decide juros nesta quarta; veja como ganhar dinheiro com apostas no sobe e desce da Selic – e quando vale a pena

Opções de Copom, derivativos lançados no ano passado pela B3, permitem ao investidor apostar nas decisões de juros do Banco Central, protegendo a carteira de surpresas ou lucrando com cenários pouco prováveis

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies