Menu
2019-07-01T19:57:15-03:00
Estadão Conteúdo
A volta da tesoura

Opep decide estender cortes na produção de petróleo por mais nove meses

Pacto é selado em meio a fraturas geopolíticas que têm se aprofundado entre os membros do cartel

1 de julho de 2019
20:29 - atualizado às 19:57
opep
OPEP - Imagem: Andrei Moraes/Seu Dinheiro

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) concordou, nesta segunda-feira, em continuar a limitar a produção da commodity por mais nove meses, em uma decisão que já era esperada por grande parte dos agentes do mercado.

O pacto vem em meio a fraturas geopolíticas que têm se aprofundado entre os membros do cartel, embora autoridades da Opep tenham apontado que a concordância de extensão dos cortes na produção foi "inequívoca".

No fim de semana, às margens da reunião de cúpula do G20, no Japão, o presidente russo, Vladimir Putin, revelou que havia fechado um acordo com a Arábia Saudita para manter os cortes em seus níveis atuais, de cerca de 1,2 milhão de barris de petróleo por dia, mas ainda havia dúvida se o prolongamento da menor oferta de óleo seria por mais seis ou nove meses.

De acordo com o ministro de Petróleo da Arábia Saudita, Khalid al-Falih, com a manutenção do acordo, o segundo semestre será melhor para o mercado de petróleo, que deve ficar "ainda mais uniforme".

Ele disse que os cortes tiveram de ser mantidos para evitar fortes ondas de volatilidade nos preços da commodity e ressaltou que a extensão por nove meses é um reconhecimento de que a demanda por energia deve se enfraquecer no primeiro semestre de 2020.

Falih afirmou, ainda, que alguns membros que não integram a Opep irão adotar a extensão de nove meses, embora não tenha especificado os países. Na terça-feira, Viena voltará a ser a sede de discussões sobre o acordo da Opep, agora por um grupo de dez países liderado pela Rússia, que é signatário do pacto com o cartel.

"O presidente Vladimir Putin e o príncipe herdeiro Mohammad bin Salman dão apoio a essa cooperação entre a Opep e a Opep+", disse Falih, referindo-se ao nome informal recebido pelos signatários do acordo de redução da oferta de petróleo.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Após vacinação e apoio fiscal

Economia dos EUA está “em ponto de inflexão” positivo, diz Powell, do Fed

Economia norte-americana está prestes a começar a crescer muito mais rapidamente, afirmou presidente do banco central norte-americano em entrevista

nos estados unidos

Remuneração de CEOs cresceu em meio à pandemia

Recuperação do mercado de ações impulsionou ganhos de executivos em 2020, que tiveram remuneração média de US$ 13,7 mi no período

Após estremecimentos

China quer parceria estratégia com Brasil, diz chanceler asiático

Chanceler chinês, Wang Yi, falou com o novo ministro das Relações Exteriores do Brasil, Carlos Alberto Franco França.

entrevista

Bittar reafirma que Guedes sabia de acordo para destinar verba a emendas

Apontado como um dos artífices da “maquiagem” no Orçamento, o senador Marcio Bittar diz que não chegou sozinho ao valor de R$ 29 bilhões em emendas

Apesar da pandemia

Saúde perde espaço em emendas parlamentares

Números mostram estratégia dos parlamentares para destinar recursos para obras e projetos de interesse eleitoral em seus redutos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies