Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-08-19T15:12:27-03:00
Estadão Conteúdo
de olho no petróleo

Arábia Saudita e Rússia reafirmam corte na produção de petróleo e veem retomada da demanda

Em suas declarações iniciais, as autoridades de Arábia Saudita e Rússia destacaram a importância de iniciativa e afirmaram que veem um quadro de retomada na demanda e maior equilíbrio no mercado de energia

19 de agosto de 2020
15:12
shutterstock_1150277432
Jelgava, Letônia, 25 de setembro de 2005, estação ferroviária vista de cima com os tanques de petróleo e amônia da Russian Railways. - Imagem: Shutterstock

Ministros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (Opep+) realizam reunião virtual nesta quarta-feira, 19, a fim de tratar do acordo conjunto para corte da oferta da commodity, a fim de sustentar seus preços. Em suas declarações iniciais, as autoridades de Arábia Saudita e Rússia destacaram a importância de iniciativa e afirmaram que veem um quadro de retomada na demanda e maior equilíbrio no mercado de energia. Além disso, o ministro saudita comentou que o acordo para corte na demanda poderia ir além de abril de 2022, se necessário.

O ministro de Energia russo, Alexander Novak, qualificou a decisão de cortar a oferta adotada pela Opep+ de "justificada", diante do choque econômico provocado pela covid-19. Segundo ele, o esforço já gera um resultado "significativo".

Novak disse que é possível notar os primeiros sinais de desaceleração na alta dos estoques de petróleo, que devem recuar adiante, contribuindo para o maior equilíbrio e estabilidade do setor. Além disso, notou que ocorreu uma queda na produção de petróleo em países de fora do grupo, como Estados Unidos e Canadá, o que contribui para o reequilíbrio.

De qualquer modo, Novak ressaltou que o mercado de petróleo "segue muito volátil". Com isso, é necessário continuar a cumprir o acordo da Opep+, comentou.

Em seu discurso, o ministro da Energia da Arábia Saudita, Abdulaziz bin Salman Al Saud, afirmou que há sinais "encorajadores de retomada na demanda global" no setor energético. Ele disse que existe a expectativa de que a demanda por petróleo no quarto trimestre deste ano esteja em 97% do equivalente no pré-pandemia.

Saud citou o recuo nos estoques e a recuperação na demanda por gasolina e diesel em muitos países, como a própria Arábia Saudita. Segundo ele, porém, é importante manter a vigilância sobre o mercado e o ministro saudita disse que pode ser necessário manter o acordo de corte na oferta para além do prazo de abril de 2022.

De acordo com a autoridade saudita, o nível de cumprimento do acordo da Opep+ é "sem precedentes", tendo atingido justamente 97% do total almejado.

Após as declarações iniciais das autoridades, transmitidas online, os ministros iriam prosseguir com a reunião virtual fechada.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

fundos imobiliários

Investimento em FIIS: O que devo saber para escolher os melhores?

Analista dá 5 dicas valiosas para os investidores se darem bem com fundos imobiliários

Tendências da bolsa

AGORA: Ibovespa futuro abre em alta, mesmo com PIB do 3º tri mais fraco, puxado por Nova York e dólar avança para R$ 5,70

O resultado do PIB do terceiro trimestre veio abaixo do esperado, mas dentro do intervalo das projeções

Negócio fechado

Empiricus conclui processo de venda das empresas do grupo para o Banco BTG Pactual

O processo marca o início de uma nova fase na trajetória da Empiricus no mercado financeiro, segundo o CEO do grupo, Caio Mesquita

O melhor do Seu Dinheiro

O melhor do Seu Dinheiro: O leão da maldade contra o poupador guerreiro

Em um país habituado a ver o surgimento de reformas tributárias que só aumentam a fatura para a média da população, o PGBL surge como uma das melhores armas

A BOLSA HOJE

Esquenta dos mercados: PIB do terceiro trimestre e falas de Paulo Guedes devem dividir atenção da bolsa com ômicron nos EUA

As falas de dirigentes do Fed também são destaque hoje, com o mundo de olho na retirada de estímulos da economia norte-americana

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies