🔴 AS BIG TECHS ESTÃO ‘SUGANDO’ DINHEIRO DA BOLSA BRASILEIRA? – VEJA COMO SE PROTEGER

Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @Renan_SanSousa
Esquenta dos Mercados

Dados da atividade econômica dos países devem movimentar os negócios, em meio ao medo da variante delta

O chamado PMI mede a atividade econômica, que tem apontado para uma retomada da economia para o segundo semestre

Indústria em queda
Depois do apagão das redes sociais, os dados domésticos de produção industrial devem movimentar os negócios - Imagem: Shutterstock

A semana se encaminha para o fim, de olho nos indicadores de emprego aqui e nos Estados Unidos. Enquanto o dado mais forte dos norte-americanos, o payroll, deve ser divulgado somente na sexta-feira (02), o Brasil deve ficar atento aos postos de trabalho calculados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) deste mês. 

A expectativa é de que o saldo seja positivo, de acordo com os especialistas ouvidos pelo Broadcast. A mediana das projeções aponta para abertura de 252.067 postos de trabalho neste mês. No acumulado de 2021, a mediana fica em 1,625 milhão

E a CPI da Covid avança na pressão sobre o governo federal. A Comissão antecipou para esta quinta-feira (1º) a oitiva de Luiz Paulo Dominguetti Pereira, o representante da Davati Medical Supply.

Em entrevista ao jornal Folha de São Paulo, Dominguetti afirmou que recebeu uma proposta de superfaturamento da vacina por parte do Ministério da Saúde. O depoimento vem um dia após o “superpedido” de impeachment colocar ainda mais fogo no cenário político nacional.

Apesar do cenário interno não ser favorável, o Ibovespa deve se apegar aos sinais da recuperação mundial para o segundo semestre. Os dados divulgados pelos países sobre a atividade econômica apontam para um aquecimento das atividades para os próximos meses.

A Opep+ deve se reunir ainda hoje para decidir sobre a produção de petróleo neste novo cenário de recuperação econômica. As autoridades do Federal Reserve que discursam hoje também devem ser acompanhadas de perto pelos investidores. 

Confira esses e outros destaques para o pregão desta quinta-feira (1º):

Dia de PMI

Os dados do índice do gerente de compras (PMI) em todo o mundo devem ser o grande destaque do dia. O PMI é um medidor da atividade econômica, que pode variar de 0 até 100, sendo acima de 50 expansão da atividade analisada e abaixo, retração.

Mais cedo, a China divulgou seus dados do PMI, que diminuiu de maio em relação a junho, de 52 para 51,3, o menor patamar em três meses. Já a Alemanha registrou uma elevação no indicador, de 64,4 em maio para 65,1 em junho, acima das estimativas do The Wall Street Journal. 

A Zona do Euro também registrou um aumento acima das previsões, subindo 63,4 em relação ao mês anterior. O avanço das atividades é positivo para a economia, mas o medo da variante delta, que pode obrigar os países a adotarem medidas restritivas de circulação como lockdown, coloca pressão sobre os ganhos das bolsas.

Ainda hoje, o Brasil também deve divulgar o seu PMI, juntamente com os Estados Unidos, o que deve influenciar diretamente nos índices dos dois países no pregão de hoje.

Emprego nos EUA

Os pedidos de auxílio desemprego dos Estados Unidos devem compor o panorama externo das bolsas hoje. O dado é divulgado antes do indicador mais importante da semana, a folha de pagamento (payroll), que deve sair nesta sexta-feira (02).

A expectativa é de que os pedidos caiam para 390 mil, 7 mil solicitações a menos do que na semana anterior. O emprego nos EUA estão diretamente ligados à decisão do Federal Reserve, o BC americano, de manutenção da política monetária.

A instituição financeira já anunciou que só deve alterar essa política quando os dados de emprego e desemprego estiverem próximos aos patamares pré pandemia.

Bolsas pelo mundo

O medo da variante delta do coronavírus segue pressionando os índices internacionais para baixo. Com isso, as bolsas asiáticas fecharam em baixa generalizada, juntamente com os dados fracos da manufatura chinesa. O PMI do Gigante Asiático foi o menor em três meses, o que preocupou os investidores sobre a retomada econômica do país. 

Já as bolsas europeias amanheceram em alta, após os dados do índice do gerente de compras regional animarem os negócios. Os temores envolvendo a variante delta do coronavírus devem limitar os ganhos do pregão.

Já os futuros de Nova York operam sem direção definida, à espera da divulgação do PMI dos EUA. 

Agenda do dia

  • Estados Unidos: Pedidos de auxílio desemprego (9h30)
  • Ipea: Formação bruta de capital fixo (FBCF) de abril (10h)
  • Brasil: Índice do gerente de compras (PMI) industrial de junho (10h)
  • Banco Central: Roberto Campos Neto, presidente do BC, participa de evento “Reconhecimento Inovação com Propósito no Cooperativismo Financeiro 2021” (10h30)
  • Economia: Novo Caged sobre criação líquida de postos de trabalho em maio (10h30)
  • Estados Unidos: Leitura final do Índice do gerente de compras (PMI) industrial de junho (10h45)
  • Economia: Balança comercial de junho (15h)
  • Opep+ realiza reunião ministerial e do comitê de monitoramento conjunto

Empresas

Compartilhe

BRIGA PELO TRONO GRELHADO

Acionistas da Zamp (BKBR3) recusam-se a ceder a coroa do Burger King ao Mubadala; veja quem rejeitou a nova oferta

21 de setembro de 2022 - 8:01

Detentores de 22,5% do capital da Zamp (BKBR3) já rechaçaram a nova investida do Mubadala, fundo soberano dos Emirados Árabes Unidos

FECHAMENTO DO DIA

Inflação americana segue sendo o elefante na sala e Ibovespa cai abaixo dos 110 mil pontos; dólar vai a R$ 5,23

15 de setembro de 2022 - 19:12

O Ibovespa acompanhou o mau humor das bolsas internacionais e segue no aguardo dos próximos passos do Fed

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Cautela prevalece e bolsas internacionais acompanham bateria de dados dos EUA hoje; Ibovespa aguarda prévia do PIB

15 de setembro de 2022 - 7:42

As bolsas no exterior tentam emplacar alta, mas os ganhos são limitados pela cautela internacional

FECHAMENTO DO DIA

Wall Street se recupera, mas Ibovespa cai com varejo fraco; dólar vai a R$ 5,17

14 de setembro de 2022 - 18:34

O Ibovespa não conseguiu acompanhar a recuperação das bolsas americanas. Isso porque dados do varejo e um desempenho negativo do setor de mineração e siderurgia pesaram sobre o índice.

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Depois de dia ‘sangrento’, bolsas internacionais ampliam quedas e NY busca reverter prejuízo; Ibovespa acompanha dados do varejo

14 de setembro de 2022 - 7:44

Os futuros de Nova York são os únicos que tentam emplacar o tom positivo após registrarem quedas de até 5% no pregão de ontem

FECHAMENTO DO DIA

Inflação americana derruba Wall Street e Ibovespa cai mais de 2%; dólar vai a R$ 5,18 com pressão sobre o Fed

13 de setembro de 2022 - 19:01

Com o Nasdaq em queda de 5% e demais índices em Wall Street repercutindo negativamente dados de inflação, o Ibovespa não conseguiu sustentar o apetite por risco

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Bolsas internacionais sobem em dia de inflação dos EUA; Ibovespa deve acompanhar cenário internacional e eleições

13 de setembro de 2022 - 7:37

Com o CPI dos EUA como o grande driver do dia, a direção das bolsas após a divulgação dos dados deve se manter até o encerramento do pregão

DANÇA DAS CADEIRAS

CCR (CCRO3) já tem novos conselheiros e Roberto Setubal está entre eles — conheça a nova configuração da empresa

12 de setembro de 2022 - 19:45

Além do novo conselho de administração, a Andrade Gutierrez informou a conclusão da venda da fatia de 14,86% do capital da CCR para a Itaúsa e a Votorantim

FECHAMENTO DO DIA

Expectativa por inflação mais branda nos Estados Unidos leva Ibovespa aos 113.406 pontos; dólar cai a R$ 5,09

12 de setembro de 2022 - 18:04

O Ibovespa acompanhou a tendência internacional, mas depois de sustentar alta de mais de 1% ao longo de toda a sessão, o índice encerrou a sessão em alta

novo rei?

O Mubadala quer mesmo ser o novo rei do Burger King; fundo surpreende mercado e aumenta oferta pela Zamp (BKBR3)

12 de setembro de 2022 - 11:12

Valor oferecido pelo fundo aumentou de R$ 7,55 para R$ 8,31 por ação da Zamp (BKBR3) — mercado não acreditava em oferta maior

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar