Menu
2019-03-28T23:03:47-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Balanço

Lucro da JBS cai para apenas R$25,2 milhões em 2018 com adesão a ‘Refis’ do Funrural

No quarto trimestre, a JBS reverteu o prejuízo do mesmo período do ano anterior e teve lucro de R$ 563,2 milhões, mas resultado ficou abaixo das projeções dos analistas

28 de março de 2019
23:03
JBS
Imagem: shutterstock

A adesão ao programa de regularização tributária de débitos do Funrural pesou no balanço da JBS. O frigorífico registrou lucro líquido de R$ 25,2 milhões em 2018. O resultado representa uma queda de 95,3% em relação ao ano anterior, em que a JBS foi afetada pela delação premiada do empresário Joesley Batista.

O impacto do Refis do Funrural no lucro da JBS, no total de R$ 2,4 bilhões, foi contabilizado no balanço do terceiro trimestre do ano passado. Mas a empresa só vai pagar efetivamente essa dívida ao longo de 19 anos e 8 meses.

Sem considerar esse efeito, o lucro ajustado do frigorífico em 2018 foi de R$ 1,6 bilhão, alta de 201%.

A receita líquida da companhia no ano passado foi recorde e atingiu R$ 181,7 bilhões, um aumento de 11,3% comparado a 2017.

Trimestre abaixo do esperado

Nos três últimos meses do ano, o resultado da JBS foi de R$ 563,2 milhões, revertendo o prejuízo de R$ 451,7 milhões do mesmo período de 2017.

Apesar da melhora, o lucro ficou abaixo da estimativa média dos analistas, que apontava para um resultado de R$ 1,235 bilhão, de acordo com dados da Bloomberg.

A geração de caixa operacional do frigorífico aumentou 19,4% em relação ao quarto trimestre do ano passado, para R$ 3,4 bilhões. A geração de caixa livre - descontando o efeito da venda de ativos realizada em 2017 - cresceu 41,3%, para R$ 1,6 bilhão.

Dívida pesa menos

A dívida líquida da JBS encerrou o ano passado em R$ 47,2 bilhões. Apesar da alta de 4,3% em relação ao fim de 2017, o nível de alavancagem da empresa em reais caiu de 3,38 vezes para 3,18 vezes.

Em dezembro, a companhia contava com R$ 16,4 bilhões em disponibilidades, considerando as linhas de crédito pré-aprovadas. Esse valor representa mais de cinco vezes o endividamento de curto prazo, segundo a JBS.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

BANCÕES EM ALTA

Lucro do Banco do Brasil sobe 44,7% no 1º trimestre e atinge R$ 4,9 bilhões

O Banco do Brasil (BB) registrou lucro líquido ajustado de R$ 4,9 bilhões no primeiro trimestre deste ano, 44,7% maior que os R$ 3,4 bilhões reportados em igual período de 2020 e 32,9% superior ao resultado obtido nos últimos três meses do ano passado. “O lucro recorde para um trimestre é resultado de uma estratégia […]

Vol é vida?

Lucro líquido da B3 cresce 22,5% e atinge R$ 1,25 bi no 1º trimestre

O lucro líquido recorrente atingiu R$ 1,4 bilhão, alta de 15,5% frente ao mesmo período do ano passado e de 15,2% na comparação com o trimestre anterior

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

O Carnaval fora de época da Ambev e mais…

O varejo tem várias datas importantes: dia das mães, dia dos pais, dia das crianças, dia dos namorados, Black Friday, Natal… Há uma data comemorativa em quase todos os meses, e todas são aguardadas com ansiedade pelo setor — afinal, qualquer impulso nas vendas é bem vindo. Pois para a Ambev, a coisa funciona um […]

FECHAMENTO DO DIA

Balanços e commodities metálicas ditam o ritmo e Ibovespa fecha em alta; dólar volta à casa dos R$ 5,20

Com a agenda de indicadores fracas e um Copom sem grandes surpresas, os investidores se debruçaram nos números do trimestre e no novo recorde do minério de ferro.

Queda no apetite

Fed sinaliza risco de tombo nos preços de ativos em relatório de estabilidade

O banco central dos EUA demonstrou preocupação com um possível declínio no apetito ao risco dos investidores norte-americanos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies