Menu
2019-07-22T16:05:44-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Fala povo

O que Bolsonaro fez de bom? Quase 60% da população não sabe ou acha que presidente não fez nada

Pesquisa Datafolha mostra que para 39% Bolsonaro não fez “nada” em seis meses e outros 19% “não sabem”

22 de julho de 2019
11:02 - atualizado às 16:05
jair Bolsonaro, emburrado
Jair Bolsonaro - Imagem: Shutterstock

Para praticamente seis em cada 10 brasileiros, o presidente Jair Bolsonaro não fez nada digno de nota ou se fez, eles não sabem. Esse foi o resultado de uma sondagem do Datafolha, que perguntou o que o presidente fez de melhor nos seis primeiros meses de mandato e deixou as respostas livres, ou seja, não apresentou opções a serem escolhidas.

Para 39%, Bolsonaro não fez “nada” e outros 19% disseram “não saber”. O quesito mais lembrado espontaneamente foi segurança, com 8%, seguido da reforma da Previdência, com 7%. Fim da corrupção teve 4%. As demais citações como política externa, ministros, Bolsa Família, fim do horário de verão, nomeação de Sergio Moro e rodovias ficaram na margem de erro, de 2 pontos percentuais. Foram ouvidas 2.860 pessoas com mais de 16 anos em 130 cidades.

Entre os que votaram em Bolsonaro no segundo turno, 17% disseram não ter visto nada de muito positivo. O percentual dos que responderam “nada” sobe a 45% entre mulheres e aqueles com ensino fundamental, vai a 46% entre negros, a 47% no Nordeste, para 52% dos que se identificam com religiões de matrizes africanas e chega a 76% entre o grupo que avalia o governo como ruim ou péssimo.

Questionados sobre o que o presidente teria feito de pior, 21% citaram o decreto das armas, 19% disse “não saber” e outros 18% disseram “nada”. A reforma da Previdência teve 12%, e o quesito imagem pública, que inclui declarações desnecessárias, uso de palavras ofensivas postura com relação aos filhos e articulação política, ficou com 9%.

O mesmo Datafolha tinha captado, no começo do mês, uma divisão simétrica na avaliação da população com relação ao presidente. Para 33%, Bolsonaro faz um trabalho ótimo ou bom, outros 33% classificam como ruim ou péssimo e 31% dão nota regular.

O presidente diz não acreditar nos institutos de pesquisa, pois erraram os resultados de sua eleição. Ainda assim, os números sugerem que o governo está se comunicando mal com a população e até mesmo com o terço do eleitorado que é defensor do presidente.

Será interessante ver se o Datafolha voltará às ruas após a esperada liberação das contas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

O anúncio era para ter sido feito na última quinta-feira, para coroar os 200 dias de governo, mas acabou postergado e deve acontecer nesta quarta-feira. A conferir, também, se será feita mudança na multa de 40% que incide sobre demissão sem justa causa, alteração que pode gerar mais repercussão negativa que a eventual liberação do saldo total ou parcial de contas ativas e inativas.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Pressão para todo lado

Comissão inicia discussões sobre a Reforma Administrativa; relator afirma que Bolsonaro precisa manifestar seu apoio

A comissão especial formada na Câmara dá hoje o pontapé inicial na discussão da reforma administrativa. A primeira reunião é cercada de forte pressão para definir a lista das categorias de Estado a serem incluídas na Proposta de Emenda à Constituição (PEC). O crescimento desse movimento é uma das preocupações do relator do projeto, deputado […]

Matéria-prima salgada

Commodities vão inflacionar o mercado de carros, diz presidente de consórcio que reúne Fiat, Jeep, Peugeot e Citroën

Além da pandemia e da falta de chips, o executivo vê com preocupação o movimento inflacionário das commodities usadas pelo setor

MERCADOS HOJE

Dólar fica abaixo dos R$ 5 pela primeira vez em um ano; confira as razões para a queda da moeda

Entrada de fluxo estrangeiro no país é acompanhada de alguns critérios técnicos e uma melhora na percepção de risco.

Ampliando investimentos

GM amplia em 75% investimentos em carros elétricos e automáticos até 2025

A projeção da empresa é de que seu Ebit fique entre US$ 8,5 bilhões e US$ 9,5 bilhões na primeira metade do ano

Análise do presidente

Para Bolsonaro, derrubada ou perda da validade da MP da Eletrobras provocará caos

A MP não tem consenso entre líderes e corre o risco de ser derrubada ou ter a votação adiada

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies