🔴 DÓLAR A 5,38 E PODE SUBIR MAIS – VEJA COMO PROTEGER O SEU PATRIMÔNIO

Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Política

O caso Bebianno vai respingar na reforma da Previdência?

Custo desse desgaste político em termos de votos para aprovação de reformas ainda não está claro

Eduardo Campos
Eduardo Campos
18 de fevereiro de 2019
11:32 - atualizado às 11:58
Gustavo Bebianno
Gustavo Bebianno - Imagem: Wilton Junior/Estadão Conteúdo

O noticiário do fim de semana e desta segunda-feira continua girando em torno de um único personagem, o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Benianno. No mercado, o que se tentar medir é qual será o custo dessa “crise” em termos de votos para a aprovação das reformas, como a da Previdência.

No momento, ainda não há como “cravar” uma posição sobre o tema. Há uma fatura em aberto e o tamanho dessa conta passa por uma possível “troca de chumbo” entre o ministro que está para ser exonerado e o governo Jair Bolsonaro.

Segundo um consultor político com larga experiência aqui em Brasília, o vazamento de informações e a troca de acusações podem impactar a relação do governo com o Congresso, mas isso é difícil de antecipar, ainda que seja fato que o Bebianno, enquanto ex-presidente do PSL, tenha informações que podem ser duras.

Foi noticiado, que Bebianno cairia atirando, ou seja, poderia usar informações sensíveis que teria contra o governo. Em conversa com a “Folha de S.Paulo”, no entanto, Bebianno negou que atacará o presidente, mas disse que não vai sair “ com pecha de bandido, de patrocinador de laranjais ou de traidor”.

Para esse consultor, a situação é grave, principalmente pelo desconforto causado pela atuação do “núcleo familiar” no episódio.

Foi pelo “Twitter”, que Carlos Bolsonaro chamou o ministro de mentiroso, negando que ele tenha tido contato com o pai.

Também circulam informações que o núcleo militar do governo estaria amplamente insatisfeito com essa situação. Na sexta-feira, o vice, general Hamilton Mourão, falou que Bolsonaro vai “botar ordem” nos filhos.

Com 55 deputados, o PSL forma relevante bancada no Congresso, mas não se sabe quem lidera o partido e se Bebianno teria algum grau de influência relevante sobre os parlamentares.

Por ora, o grande articulador da reforma pelo governo na Câmara do Deputados é Rodrigo Maia (DEM-RJ), que já chamou para si o trabalho de formar a base necessária à votação. Maia já demostrou seu descontentamento com o episódio, ao falar, na semana passada, que Bolsonaro é presidente e não mais deputado ou presidente da associação dos militares.

Durante a campanha e mesmo depois de definida a eleição a grande preocupação sempre foi com a articulação política do novo governo, que vinha para inaugurar uma “nova política”, sem o famigerado “toma lá, dá cá”. O episódio envolvendo Bebianno soma mais dúvidas e fortalece apenas a oposição, que vai usar as ferramentas que tem da ir minando o governo.

Compartilhe

ELEIÇÕES 2022

Guedes se alinha a Bolsonaro e sobe tom da campanha — veja as indiretas que o ministro mandou para Lula

14 de setembro de 2022 - 15:58

Falando para uma plateia de empresários cariocas, ele se comprometeu com o Auxílio Brasil de R$ 600, reivindicou a autoria do Pix e considerou equivocadas as projeções de analistas para a inflação

ELEIÇÕES 2022

O que Bolsonaro, Lula e Ciro querem para o Brasil? Confira o programa de governo dos presidenciáveis

13 de setembro de 2022 - 19:21

Os três já apresentaram seus planos para o país: um prioriza transformar o Brasil em uma potência econômica, o outro foca na restauração das condições de vida da população e o terceiro destaca aspectos econômicos e educacionais

ELEIÇÕES 2022

Vão fatiar: Lula e Bolsonaro querem desmembrar Economia e ressuscitar ministérios de outras áreas — veja a configuração

13 de setembro de 2022 - 14:11

Caso o petista vença, a ideia é que o número de ministérios passe dos atuais 23 para 32. Já Bolsonaro, que na campanha de 2018 prometeu ter apenas 15 ministérios e fazia uma forte crítica ao loteamento de cargos, hoje tem 23 e também deu pastas ao Centrão

ELEIÇÕES 2022

Avanço de Ciro e Simone na pesquisa BTG/FSB ajuda Bolsonaro a forçar segundo turno contra Lula

12 de setembro de 2022 - 10:35

Em segundo turno, porém, enquanto Lula venceria em todos os cenários, Bolsonaro sairia derrotado em todas as simulações da pesquisa BTG/FSB

ELEIÇÕES 2022

Propaganda barrada: ministro do TSE atende pedido de Lula e proíbe Bolsonaro de usar imagens do 7 de setembro em campanha; veja qual foi o argumento

11 de setembro de 2022 - 16:43

O ministro viu favorecimento eleitoral do candidato e atendeu a um pedido da coligação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para barrar as imagens

DE OLHO NAS REDES

Lula vs. Bolsonaro: no ‘vale tudo’ das redes sociais, quem está vencendo? Descubra qual dos candidatos domina a batalha e como isso pode influenciar o resultado das eleições

11 de setembro de 2022 - 7:00

A corrida eleitoral começou e a batalha por votos nas redes sociais está à solta; veja quem está ganhando

ELEIÇÕES 2022

‘Bolsonaro não dormiu ontem’: Lula comemora liderança nas pesquisas e atribui assassinato de petista a presidente ‘genocida’

10 de setembro de 2022 - 15:01

O candidato do PT afirmou que o presidente não consegue convencer a população mesmo com gastos eleitoreiros altos

ELEIÇÕES 2022

Bolsonaro é o candidato com maior número de processos no TSE — veja as principais acusações contra o presidente

10 de setembro de 2022 - 10:37

Levantamento mostra que o candidato à reeleição é alvo de quase 25% das ações em tramitação na Corte até o início de setembro

ELEIÇÕES 2022

7 de setembro ajudou? A distância entre Lula e Bolsonaro é a menor desde maio de 2021, segundo pesquisa Datafolha

9 de setembro de 2022 - 20:21

Levantamento foi feito após as manifestações do Dia da Independência, feriado usado pelo atual presidente para atos de campanha, algo que nunca tinha acontecido na história recente do Brasil

ELEIÇÕES 2022

Um novo significado de ‘imbrochável’: Jair Bolsonaro explica coro em discurso de 7 de setembro

9 de setembro de 2022 - 9:48

Em transmissão nas redes sociais, Jair Bolsonaro explicou que o coro seria uma alusão ao fato de resistir a supostos ataques diários contra seu governo

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar