Menu
2019-04-24T13:48:15-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Popularidade

Bolsonaro tem pior avaliação entre presidentes em começo de mandato

Pesquisa CNI Ibope capta 35% de ótimo e bom para o presidente agora em abril e percepção sobre o noticiário envolvendo o governo ajuda a explicar o resultado

24 de abril de 2019
13:04 - atualizado às 13:48
Bolsonaro na chuva
Presidente Jair Bolsonaro. - Imagem: Print Twitter Jair Bolsonaro

A pesquisa Ibope encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostra que Jair Bolsonaro tem a pior avaliação entre presidentes eleitos em início de mandato. Para 35% da população sua gestão é “ótima ou boa” em abril, contra 34% em março e 49% em janeiro.

Para dar base de comparação, Fernando Henrique Cardoso tinha 41% em março de 1995, Luiz Inácio Lula da Silva mostrava 51% em março de 2003, e Dilma Rousseff marcava 56% em 11 março.

popularidade bolsonaro

A pesquisa também permite fazer algumas inferências dos motivos que levam a essa queda de popularidade. Notadamente um noticiário percebido como negativo pela população e uma agenda pouco popular, a reforma da Previdência, como a mais lembrada.

Para 39% dos entrevistados, o noticiário recente tem sido mais desfavorável ao governo, enquanto 23% consideram que tem sido mais favorável.

A reforma da Previdência é a notícia mais lembrada por 12%, seguida por suas viagens internacionais (7%), o 13º salário para os beneficiários do Bolsa Família (4%) e reajuste de combustíveis (4%).

A esses tópicos podemos somar as diversas polêmicas envolvendo o governo, como queda de ministros, como o da Educação, e outros temas envolvendo seus filhos, o vice-presidente, Hamilton Mourão, o filósofo Olavo de Carvalho e suas trocas de farpas nas redes sociais. São coisas que geram ruído e deixam a percepção de desorganização dentro do governo.

Ainda assim, 51% dos entrevistados aprovam a maneira de governar e o mesmo percentual diz confiar no presidente. O que não deixa de ser uma boa notícia. Para 45%, o restante do governo poderá ser "ótimo/bom".

Bolsonaro já disse, mais de uma vez, que não acredita em pesquisas, afinal nenhum instituto captou sua chance de vitória ao longo do período eleitoral.

Ainda assim, essas sondagens podem ajudar o governo a direcionar melhor seus esforços de comunicação, que ainda parecem restritos à uma base fiel de eleitores, na casa dos 20%, que ajudou a eleger o presidente, mas não conversam com o resto dos “votos”, que vieram da onda anti-PT que marcou as eleições.

O presidente parece perder popularidade dentro dessa faixa “menos fiel”, mas que ainda segue acima dos 20% “mais fies” que sempre o apoiaram.

Essa base continua sendo corretamente cativada. É com ela que o presidente fala por suas redes sociais, mas seria interessante ver uma ampliação para outros públicos, notadamente mulheres e residentes do Nordeste, onde sua aprovação se limita a 25% e 58% não confiam nele.

Tentar melhorar a comunicação e a percepção parecer ser a saída no momento, já que o lado econômico não deve gerar notícias positivas tão cedo. Empresários e mercados seguem aguardando a reforma da Previdência para contratar e fazer investimentos e nada indica que termos esse marco aprovado e gerando resultados no lado real da economia tão cedo.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

CORONAVÍRUS

Xi Jinping alerta para a ‘grave situação’ criada pela disseminação ‘acelerada’ do novo coronavírus

Até agora, as autoridades disseram que a doença já infectou mais de 1.300 pessoas e matou 41. Mas a Comissão Nacional de Saúde anunciou que 237 pacientes estão em condições graves

ECONOMIA

‘Recessão profunda torna retomada lenta’, diz economista do Insper

“Um ponto a se considerar é que, somando com os resultados de 2018, já são quase 1,2 milhão de empregos desde a crise. O mercado de trabalho demorou para responder, porque a recessão foi muito profunda, mas está respondendo”, falou Sergio Fripo

AINDA SOBRE A 'CAIXA-PRETA'

TCU dá 20 dias para BNDES explicar auditoria milionária da ‘caixa-preta’

Após um ano e dez meses focado em oito operações com as empresas JBS, Bertin, Eldorado Brasil Celulose, a auditoria não apontou nenhuma irregularidade

DE OLHO NA VALE

Vale paga multas ao governo mineiro, mas questiona cobranças do Ibama

De acordo com dados da Semad, foram aplicados até o momento 11 autos de infração em decorrência do rompimento da barragem no dia 25 de janeiro de 2019

OLHO NAS STARTUPS

Volume de aportes em startups do País cresce 80% e atinge US$ 2,7 bi em 2019

O número de aportes, por sua vez, cresceu 8,3% na comparação com 2018, mas não bateu recordes – em 2017, foram 263 investimentos no País, mas com valor individual menor, totalizando US$ 905 milhões

ACORDOS

Bolsonaro assina 15 acordos com a Índia e fala que comércio poderá superar US$ 50 bilhões até 2022

O principal acordo assinado é o de cooperação e facilitação de investimentos (ACFI), segundo o jornal Folha de S.Paulo

MAIS LIDAS DO SEU DINHEIRO

MAIS LIDAS: O sonho da aposentadoria rápida

Caro leitor, O que te assusta mais: o coronavírus ou a fila do INSS? Não tenho dúvidas de que a nova doença foi o assunto da semana no mundo todo, mas o desejo de se aposentar rápido – e sem depender do governo – foi o que bombou aqui no Seu Dinheiro.  O projeto Aposente-se aos […]

DE OLHO NA TECNOLOGIA

Toyota investe US$ 394 milhões em companhia de táxi aéreo elétrico, Joby Aviation

Parecida a um drone, a aeronave tem capacidade para quatro passageiros mais o piloto, possui seis hélices, um alcance de 150 milhas (aproximadamente 240 km) e pode voar até 200 milhas por hora (cerca de 320 km/h)

POLÍTICA

Em Davos, Doria se ‘afasta’ de Bolsonaro

Nesses 12 meses de intervalo, o clima entre os dois não apenas esfriou como houve troca de farpas tendo como pano de fundo o cenário político de 2022

EMPREGO

Em 1º ano, Bolsonaro gera mais vagas que Temer, mas fica atrás de Lula e Dilma

Com a economia ganhando tração a partir do segundo semestre do ano passado, o Caged registrou saldo positivo de 644.079 vagas com carteira assinada em 2019

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements