Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-08-26T12:05:29-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro

Bolsonaro tem 29,4% de ótimo e bom e 39,5% de ruim e péssimo, segundo pesquisa CNT/MDA

Pesquisa também mostra que 53,7% desaprovam presidente e para 72,7% foi inadequada indicação do filho para embaixada nos EUA. Para 88%, país ainda está em crise

26 de agosto de 2019
11:43 - atualizado às 12:05
Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro - Imagem: Alan Santos/Presidência da República

As avaliações negativas superam as positivas tanto com relação ao governo quanto ao desempenho pessoal do presidente Jair Bolsonaro, segundo a última rodada da pesquisa da CNT, feita pela MDA, entre 22 a 25 de agosto.

O governo de Bolsonaro tem 29,4% de ótimo e bom, 39,5% de ruim e péssimo e outros 29,1% de regular. Na rodada feita em fevereiro, a avaliação negativa somava 19%, a positiva estava em 39% e a nota regular em 29%. Pesquisa Datafolha de julho tinha mostrado uma divisão de 33% em avaliações positivas, negativas e regulares.

Sobre a avaliação do desempenho pessoal do presidente, 41% dos entrevistados aprovam, outros 53,7% desaprovam e 5,3% não opinaram. Em fevereiro, a desaprovação era de 28% e a aprovação de 57%.

Na avaliação da CNT, o governo de Jair Bolsonaro tem encontrado dificuldades que têm sido percebidas pela população, sobretudo em relação à demora na recuperação da economia. Entretanto, ainda há expectativa entre os brasileiros de que seu governo possa resolver os problemas do país, a depender da forma com que as soluções sejam apresentadas, debatidas e tratadas.

Embaixada nos EUA

Para 72,7% foi inadequada a postura do presidente Bolsonaro indicar um de seus filhos, o deputado federal Eduardo Bolsonaro, à embaixada dos Estados Unidos.

Meio Ambiente

Como a pesquisa foi feita entre os dias 22 a 25 podemos inferir que captou o impacto das notícias envolvendo o desmatamento e incêndios na Amazona. Para 93,5% a preservação do meio ambiente é muito importante e 69% avaliam que deve haver equilíbrio entre a preservação do meio ambiente e o desenvolvimento econômico. Para 83,4% dos entrevistados, o aquecimento global é uma realidade.

Está melhor ou pior?

Para 88% dos entrevistados, o Brasil ainda está em crise econômica e 33% não acreditam na melhora do cenário econômico. Para 54% dos entrevistados a crise só terminará em 2020.

Para 31,7%, já é possível perceber melhorias em relação aos governos anteriores, enquanto 30,3% afirmam já ser possível perceber pioras em relação aos governos anteriores.

Para 42,5% dos entrevistados, a segurança pública e a economia (44,5%) continuam de forma semelhante aos governos anteriores. A percepção de 41,4% da população é que o atual governo está combatendo melhor a corrupção, na comparação com os governos anteriores.

Sobre as ações para os mais pobres, 47,2% avaliam que estão piores do que nos governos anteriores.

Onde o governo acertou:

  • Combate à corrupção: 29,6%
  • Segurança / mais policiamento nas cidades / combate ao crime organizado / combate ao tráfico de drogas: 27,5%
  • Final do horário de verão: 18,1%
  • Redução do número de ministérios: 16,1%
  • Avanços na Reforma da Previdência: 15,1%
  • Decreto da liberação de posse e porte de arma / liberação das armas: 10,1%
  • Acordo com Mercosul e União Europeia: 8,5%

Onde o governo errou:

  • Decreto da liberação da posse e porte de arma / liberação das armas: 39,1%
  • Uso de palavras ofensivas e comentários inadequados: 30,6%
  • Contingenciamento de verbas da educação: 28,2%
  • Deixar os filhos dar opinião sobre integrantes e ações de seu governo: 24,4%
  • Avanços da Reforma da Previdência: 16,7%
  • Escolha dos ministros: 10,3%
  • Uso desnecessário de redes sociais: 10,3%

O que vem pela frente?

Os entrevistados também foram questionados sobre o que esperam para os próximos 6 meses e a visão é otimista.

  • Emprego: vai melhorar: 36,6%, vai piorar: 28,0%, vai ficar igual: 32,9%
  • Renda mensal: vai aumentar: 28,3%, vai diminuir: 16,8% vai ficar igual: 50,8%
  • Saúde: vai melhorar: 31,3%, vai piorar: 27,9%, vai ficar igual: 38,6%
  • Educação: vai melhorar: 30,8%, vai piorar: 29,3%, vai ficar igual: 36,7%
  • Segurança pública: vai melhorar: 37,8%, vai piorar: 26,8%, vai ficar igual: 32,9%

Emprego e renda

Entre os entrevistados, 63,6% afirma estar empregados, enquanto 11,6% afirmam estar desempregados ou procurando emprego. Entre os que têm ocupação, 50,2% temem ficar desempregados, sendo que para 55,7% essa preocupação é maior que há um ano.

Com relação à renda, 61,1% afirmaram que sua renda continua igual em relação ao ano passado e 34,2% consideram que a oferta de emprego está melhorando, mas em ritmo lento.

Lava Jato e Moro

Para 51% dos entrevistados, a operação Lava Jato está beneficiando o Brasil. Para 20,3%, não está beneficiando nem prejudicando o Brasil e para 16,8%, está prejudicando o Brasil.

Sobre as supostas mensagens trocadas entre o atual ministro da Justiça, Sergio Moro, enquanto ele atuava como juiz, e procuradores da Operação Lava Jato, como Deltan Dallagnol, terem sido obtidas de forma ilegal (hackeadas), 47,2% consideram que ainda assim elas deveriam ser usadas, porque o importante é o seu conteúdo.

Mas em função do teor dessas mensagens, 68,3% não concordariam com a soltura de condenados pela operação Lava Jato. Para 52% Moro não deve deixar o cargo de ministro da Justiça.

Previdência

Mais da metade dos entrevistados, 52,7%, disse ser contra a reforma da Previdência aprovada pela Câmara dos Deputados. E para 45,4%, as mudanças aprovadas beneficiarão os mais ricos.

Questionados sobre o que priorizar após a Previdência, 24% citam uma reforma do código penal, com revisão de penas. As reformas política e tributária aparecem com percentual na casa de 21% cada.

A íntegra da pesquisa pode ser encontrada aqui. Foram realizadas 2.002 entrevistas, entre os dias 22 e 25 de agosto, em 137 municípios de 25 unidades da Federação. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

O Ibovespa na contramão do mundo, o impulso das commodities, a pressão dos servidores públicos e tudo o que agitou os mercados nesta terça

Nada como uma perspectiva de aperto monetário para segurar o desempenho dos ativos de risco. E nesta terça-feira (18), os mercados financeiros americanos voltaram do feriado colocando nos preços a expectativa dos investidores com a alta dos juros e a redução dos estímulos monetários nos Estados Unidos. O resultado foi uma disparada nos juros futuros, […]

Fechamento Hoje

Ibovespa sobrevive a mar vermelho no exterior e consegue fechar em alta; avanço nos retornos dos Treasuries pesa nos juros e no câmbio

Principal índice da B3 lutou para se manter no lado positivo ao longo de todo o pregão, com ajuda das commodities; dólar, porém, também fechou em alta

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies