Menu
2019-10-15T09:34:10-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Na margem

Aprovação de Bolsonaro tem variação positiva em outubro

Pesquisa XP Ipespe captou aumento de 30% para 33% de “ótimo e bom” para o presidente, dentro da margem de erro. Privatizações são desaprovadas por 55% da população

15 de outubro de 2019
9:34
Jair Bolsonaro
Imagem: Valter Campanato/Agência Brasil

A última rodada da pesquisa XP Ipespe com a população capturou uma melhora na avaliação positiva do governo Jair Bolsonaro, mas dentro da margem de erro. O percentual de ótimo/bom subiu de 30% em setembro para 33% agora em outubro.

Pela primeira vez desde junho, as anotações ruim/péssimo tiveram variação negativa, caindo de 41% em setembro para 38% na sondagem feita entre os dias 9 e 11 de outubro, com mil entrevistas. A margem de erro é de 3,2 pontos percentuais. Em janeiro, a avaliação positiva marcava 40% e a negativa 20%.

A expectativa positiva para o restante do mandato de Bolsonaro também indicou alta, mas dentro da margem de erro. Na rodada de outubro, 46% esperam que o restante do governo seja ótimo e bom, enquanto 43% tinham a mesma expectativa em setembro.

Governos regionais

Os entrevistados também avaliaram as administrações de governadores e prefeitos. Para 25%, a atuação dos governadores é ótima ou boa, enquanto 39% disseram ser regular e 29% anotaram péssima ou ruim.

No caso dos prefeitos a avaliação negativa (ruim ou péssimo) ficou em 34% e a positiva (bom ou ótimo) em 29%. Outros 35% avaliaram como regulares os governos municipais.

Privatizações

Na rodada de outubro, os entrevistados foram novamente questionados sobre privatizações. O percentual dos que se dizem contrários caiu de 58% em julho para 55% agora em outubro. Os favoráveis subiram de 33% para 39%.

Também foi feita uma pergunta sobre a sintonia percebida entre Jair Bolsonaro e seu ministro da Economia, Paulo Guedes. Para 35% existe alguma sintonia entre os dois, 34% responderam que não há sintonia e 19% afirmaram perceber muita sintonia.

Questionados sobre quem é o maior responsável pela atual situação econômica, as indicações para o governo Lula (31%) e Dilma (19%) seguem liderando a percepção. Mas pelo segundo mês seguindo, o próprio governo Bolsonaro aparece com 12% das respostas, o dobro do registrado no começo do ano.

 

 

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Negócio fechado

Petrobras assina venda de sua fatia de 50% no campo terrestre de Rabo Branco

O campo teve produção média em 2020 de 131 barris de petróleo por dia (bpd).

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

O Fundo Verde e a tragédia grega do Brasil

Ao despertar a fúria de Zeus por ter entregue o fogo do Olimpo aos mortais, Prometeu foi acorrentado e punido: durante o dia, uma águia devorava seu fígado; durante a noite, o órgão se regenerava — um ciclo de tormento eterno. Tragédias gregas, infelizmente, costumam ser úteis ao falarmos sobre o Brasil. Reformas econômicas demandam […]

FECHAMENTO

Commodities amenizam a queda da bolsa, mas exterior negativo e nova crise em Brasília falam mais alto

As commodities mais uma vez tentaram salvar a bolsa brasileira de um dia no vermelho, mas o exterior negativo e a cautela em Brasília falaram mais alto

Presidente otimista

EUA devem ter retomada econômica mais rápida em quase 40 anos, diz Biden

Segundo o democrata, o foco de seu governo se manterá em criar empregos e combater a pandemia de covid-19

Gestão na crise

Brasil vive uma espécie trágica de dia da marmota, diz Verde Asset

Navegar os mercados locais vem sendo uma odisseia extremamente complexa e nada indica que vai melhorar, diz a gestora de Luis Stuhlberger

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies