Menu
2019-10-14T16:23:36-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
Cursando jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
Será que cai mais?

Na contramão do mercado, Itaú mantém projeção para Selic em 5,0% no fim do ano

Segundo relatório da instituição, o banco seguirá observando os dados para a inflação e a taxa de câmbio do Banco Central para decidir por uma nova reavaliação

19 de setembro de 2019
13:04 - atualizado às 16:23
Banco Itaú Unibanco
Imagem: Shutterstock

Após a redução de 0,50 ponto percentual na taxa básica de juros anunciada nesta quarta-feira (18) pelo Copom, renovando a mínima histórica em 5,5% ao ano, os analistas do mercado financeiro diminuíram ainda mais as suas projeções para a Selic ao fim de 2019. Muitos acreditam que a taxa pode cair abaixo do patamar de 5%. Mas não é o que acredita o banco Itaú Unibanco.

Tendo como base as novas projeções do Banco Central para a inflação e para o câmbio, o banco acredita em um novo corte de 0,5 ponto percentual na próxima reunião, o que deve estabilizar a Selic em 5% ao ano. Pelo menos por enquanto.

O Itaú seguirá observando os dados divulgados pelo Banco Central para decidir se fará uma reavaliação, de acordo com relatório assinado pelo economista-chefe da instituição, Mario Mesquita.

"Por enquanto, esperamos outro corte de 0,50 p.p. na reunião de outubro, e iremos observar a divulgação dos dados e a evolução da comunicação do banco central, incluindo a ata da reunião (a ser divulgada na terça-feira, 24) e o relatório trimestral de inflação (a ser publicado na quinta-feira, 26), para reavaliar nossa visão", escreve o economista.

Para baixo

Na semana passada, antes mesmo da reunião do Copom, o Santanderhavia revisto o cenário econômico e cortado as projeções para a taxa básica de juros para 4,5% ao fim de 2019, acreditando que a taxa deva vigorar neste patamar até o início de 2021.

E o bancão não é o único que projeta uma Selic na casa dos 4,0% ao ano. O tom do comunicado apresentado nesta quarta-feira (18) pelo Copom deixou sinalizado que novos cortes podem vir por aí. Assim, outros analistas também passaram a projetar uma taxa entre 5% e 4,5% ao fim de 2019.

No Boletim Focus divulgado na última segunda-feira (16), o mercado havia mantido as expectativas de uma redução da Selic para 5% ao ano, até o fim de 2019, antecipando o corte de 0,5 ponto percentual da última reunião e na próxima, que ocorre em outubro. Para 2020, o mercado espera que a taxa se mantenha no mesmo patamar.

Efeitos do Copom

Com a taxa Selic mais baixa, a tendência é que o crédito também fique mais barato. E os bancos não demoraram muito para dar sinais de que devem acompanhar a decisão do Copom

O Itaú Unibanco anunciou ontem (18) que irá repassar integralmente o corte de 0,50 ponto percentual da Selic. A redução será feita no empréstimo pessoal, e, no caso de pessoa jurídica, no capital de giro.

O Bradesco também informou que reduzirá as taxas de juros de suas principais linhas de crédito a partir de segunda-feira, 23 de setembro.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

debate sobre fake news

Em reação ao Twitter, Trump assina decreto que questiona poder de empresas de tecnologia

Plataforma havia inserido um alerta de notícia falsa em um tweet do presidente dos EUA; ação da empresa cai

balanço da estatal

Eletrobras tem lucro líquido de R$ 307 milhões no 1º trimestre

Estatal também reportou lucro líquido atribuído aos sócios da empresa controladora de R$ 300,15 milhões, montante 78,53% menor na comparação com o mesmo período do ano passado

fique atento

Receita paga nesta sexta-feira as restituições do 1º lote do Imposto de Renda 2020

Estão sendo depositados R$ 2 bilhões para 901.077 contribuintes

promessa

Se aparecer uma terceira vaga no STF, Augusto Aras entra fortemente, diz Bolsonaro

Segundo o presidente, o atual procurador-geral da República não deve ser indicado para nenhuma das duas vagas que serão abertas

de olho na crise

Senado aprova linha de crédito para profissionais liberais

Medida serve para reduzir os impactos financeiros do setor na pandemia

efeitos da pandemia

França e Itália têm queda de 5,3% do PIB no primeiro trimestre

Retração da ambas as economias evidenciam os impactos da crise do novo coronavírus

de olho no balanço

Hering e Marisa divulgam resultados do trimestre; confira

Hering registrou lucro líquido de R$ 5,043 milhões; Marisa, por outro lado, registrou prejuízo líquido de R$ 107,1 milhões; veja outros números

tentativa de esfriar os ânimos

Alcolumbre se reúne com Bolsonaro e prega ‘pacificação’

Reunião ocorreu horas após o Bolsonaro ameaçar descumprir decisões do Supremo

Exclusivo SD Premium

O erro de Michael Jordan – ­ e como levar dezenas de fundos imobiliários com um clique

O que me parece fazer mais sentido agora é buscar uma boa dose de diversificação e, na atual conjuntura, um belo fundo de fundos imobiliários (famosos FoFs) é uma opção bastante adequada

Sextou com o Ruy

Davi vs Golias: as vantagens de ser um pequeno investidor

Você, investidor comum, possui uma enorme vantagem contra os fundos de investimento bilionários na hora de encontrar as melhores oportunidades de investimento em ações

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements