Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-10-14T16:23:36-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
Será que cai mais?

Na contramão do mercado, Itaú mantém projeção para Selic em 5,0% no fim do ano

Segundo relatório da instituição, o banco seguirá observando os dados para a inflação e a taxa de câmbio do Banco Central para decidir por uma nova reavaliação

19 de setembro de 2019
13:04 - atualizado às 16:23
Banco Itaú Unibanco
Imagem: Shutterstock

Após a redução de 0,50 ponto percentual na taxa básica de juros anunciada nesta quarta-feira (18) pelo Copom, renovando a mínima histórica em 5,5% ao ano, os analistas do mercado financeiro diminuíram ainda mais as suas projeções para a Selic ao fim de 2019. Muitos acreditam que a taxa pode cair abaixo do patamar de 5%. Mas não é o que acredita o banco Itaú Unibanco.

Tendo como base as novas projeções do Banco Central para a inflação e para o câmbio, o banco acredita em um novo corte de 0,5 ponto percentual na próxima reunião, o que deve estabilizar a Selic em 5% ao ano. Pelo menos por enquanto.

O Itaú seguirá observando os dados divulgados pelo Banco Central para decidir se fará uma reavaliação, de acordo com relatório assinado pelo economista-chefe da instituição, Mario Mesquita.

"Por enquanto, esperamos outro corte de 0,50 p.p. na reunião de outubro, e iremos observar a divulgação dos dados e a evolução da comunicação do banco central, incluindo a ata da reunião (a ser divulgada na terça-feira, 24) e o relatório trimestral de inflação (a ser publicado na quinta-feira, 26), para reavaliar nossa visão", escreve o economista.

Para baixo

Na semana passada, antes mesmo da reunião do Copom, o Santanderhavia revisto o cenário econômico e cortado as projeções para a taxa básica de juros para 4,5% ao fim de 2019, acreditando que a taxa deva vigorar neste patamar até o início de 2021.

E o bancão não é o único que projeta uma Selic na casa dos 4,0% ao ano. O tom do comunicado apresentado nesta quarta-feira (18) pelo Copom deixou sinalizado que novos cortes podem vir por aí. Assim, outros analistas também passaram a projetar uma taxa entre 5% e 4,5% ao fim de 2019.

No Boletim Focus divulgado na última segunda-feira (16), o mercado havia mantido as expectativas de uma redução da Selic para 5% ao ano, até o fim de 2019, antecipando o corte de 0,5 ponto percentual da última reunião e na próxima, que ocorre em outubro. Para 2020, o mercado espera que a taxa se mantenha no mesmo patamar.

Efeitos do Copom

Com a taxa Selic mais baixa, a tendência é que o crédito também fique mais barato. E os bancos não demoraram muito para dar sinais de que devem acompanhar a decisão do Copom

O Itaú Unibanco anunciou ontem (18) que irá repassar integralmente o corte de 0,50 ponto percentual da Selic. A redução será feita no empréstimo pessoal, e, no caso de pessoa jurídica, no capital de giro.

O Bradesco também informou que reduzirá as taxas de juros de suas principais linhas de crédito a partir de segunda-feira, 23 de setembro.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

MERCADOS HOJE

Evergrande injeta temor no mercado global e bolsas têm dia de fortes perdas; Ibovespa fecha no menor nível desde novembro

Temor de que os problemas da incorporadora chinesa gerem uma reação em cadeia no mercado global afundou as bolsas nesta segunda-feira (20)

Ruído político

Congresso não participou de debate sobre aumento no IOF, revela presidente da Câmara

Arthur Lira também declarou que quer avançar com a reforma administrativa e uma solução para a questão dos precatórios ainda nesta semana

Na onda do minério

Mercado Livre (MELI34) ultrapassa Vale (VALE3) e se torna a empresa mais valiosa da América Latina

A gigante de comércio eletrônico argentina conquistou o posto após a mineradora brasileira perder R$ 43,6 bilhões em valor de mercado na última semana

Vídeos

Investir em IPOs vale a pena? Saiba as causas dessa febre do mercado

O ano de 2021 está mostrando a força do setor dos IPOs. São diversas empresas que abriram seu capital e fizeram sua oferta primária. Matheus Spiess, analista da Empiricus, explica neste vídeo sobre este cenário. Confira

desaceleração a caminho

Renda fixa: Por que a Evergrande derruba o Ibovespa, mas alivia o mercado de juros

Desempenho é oposto ao que se poderia esperar quando há pânico no mercado, diz especialista; contratos DIs para janeiro de 2022 caem de 7,09% para 7,08%

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies