🔴 AS BIG TECHS ESTÃO ‘SUGANDO’ DINHEIRO DA BOLSA BRASILEIRA? – VEJA COMO SE PROTEGER

Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Balanço

Pintou o sete! Lucro do Itaú bate em R$ 7,034 bilhões no segundo trimestre, alta de 10,2%

O número impressiona, mas ficou dentro do esperado pelos analistas. Itaú segue como o mais rentável entre os grandes bancos brasileiros, com um retorno de 23,5% no trimestre

Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
29 de julho de 2019
19:50 - atualizado às 19:57
Agência do banco Itaú
Agência do Itaú Unibanco - Imagem: Reprodução/Estadão Conteúdo/Itaci Batista

Itaú Unibanco alcançou um novo patamar quando se fala em lucro de bancos. O resultado da maior instituição financeira privada do país bateu nos R$ 7,034 bilhões no segundo trimestre. Trata-se de uma alta de 10,2% em relação ao mesmo período do ano passado.

O número impressiona, mas já era esperado pelos analistas. A projeção média para o lucro do banco era de R$ 7,038 bilhões, de acordo com dados da Bloomberg.

O Itaú também manteve por mais um trimestre a posição de mais rentável entre os gigantes do varejo bancário. O retorno sobre o patrimônio foi de 23,5%, bem acima dos 21,6% obtido no segundo trimestre do ano passado. Se considerarmos apenas as operações do banco no Brasil, a rentabilidade sobe para impressionantes 24,6%.

Mas como o lucro veio apenas dentro do previsto, é possível que a reação dos investidores na bolsa amanhã não seja boa. A seguir eu conto por quê.

Crédito ainda lento

Apesar do lucrão, o crédito segue em um ritmo mais lento que o esperado no Itaú. O banco encerrou junho com R$ 659,7 bilhões em financiamentos, o que representa um avanço de 2% no trimestre e de 5,9% em 12 meses. Ou seja, segue abaixo da projeção de crescimento feita pela instituição para este ano, que varia de 8% a 11%.

As linhas voltadas a pessoas físicas e micro, pequenas e médias empresas continuam puxando o crescimento do Itaú, enquanto que as companhias de maior porte seguem com o pé no freio ou recorrendo a outras opções, como captações no mercado de capitais.

A margem financeira com clientes, que inclui a receita do banco com a concessão de crédito, aumentou 5,8% em relação ao segundo trimestre do ano passado e 6,7% no semestre. Em ambos os casos, também em um ritmo inferior à expectativa de um avanço entre 9% e 12%. De todo modo, o banco manteve todas as projeções para o ano.

Assim como aconteceu com Bradesco e Santander, foi a tesouraria do Itaú que ajudou a engordar as margens, com um resultado de R$ 1,6 bilhão – alta de 17,2% na comparação com o mesmo período de 2018.

Mais provisões

Também chamou a minha atenção o aumento de 12,3% nas despesas para cobrir os custos com crédito, como as provisões para calotes. O banco creditou esse avanço à alta na concessão de crédito para pessoas físicas no período.

A boa notícia é que os índices de inadimplência se mantêm sob controle e encerram junho em 2,9%, uma queda de 0,1 ponto percentual no trimestre e um avanço também 0,1 ponto se comparado com o índice de 12 meses atrás.

Ajudinha da XP

Assim como os concorrentes, o Itaú também vem encontrando dificuldades para ampliar as receitas com tarifas. Os ganhos com prestação de serviços e o resultado com Seguros atingiu R$ 10,7 bilhões, uma alta de 3,5% na comparação com o segundo trimestre do ano passado.

No acumulado do semestre, o avanço nas receitas com serviços foi de 2,3%, mais próximo do piso da projeção do banco para o ano, que varia de entre 2% e 5%.

A compra da participação de 49,9% na XP Investimentos já rende frutos para o maior banco privado brasileiro. Entre os fatores que contribuíram positivamente com as receitas, o Itaú destacou a assessoria econômico-financeira e corretagem, com o impacto do investimento na corretora.

Vai ter PDV

Do lado das despesas, o crescimento foi de 3,3% e atingiu para R$ 12,7 bilhões. A expectativa do banco é de um aumento de 3% a 6% nos gastos neste ano.

Junto com o balanço, o Itaú anunciou o lançamento de um programa de desligamento voluntário (PDV) para todas as empresas controladas pelo banco.

Quem aderir ao programa pode optar por dois pacotes de benefícios:

  1. pagamento de 0,5 salário por ano trabalhado (limitado a 6 salários) e manutenção do plano de saúde por 60 meses;
  2. pagamento de 0,5 salário por ano trabalhado (limitado a 10 salários) e manutenção do plano de saúde por 24 meses.

Compartilhe

MAQUININHA DE LUCRO

PagSeguro (PAGS34) dispara após balanço e puxa ações da Cielo (CIEL3); veja os números do resultado do 2T22

25 de agosto de 2022 - 17:28

A lucro da PagSeguro aumentou 35% na comparação com o mesmo período do ano passado e atingiu R$ 367 milhões

FIM DE TEMPORADA

Nos balanços do segundo trimestre, uma tendência para a bolsa: as receitas cresceram, mas os custos, também

19 de agosto de 2022 - 16:18

Safra de resultados financeiros sofreu efeitos do aumento da Selic, mas sensação é de que o pior já passou

Investidores gostaram

Nubank (NU; NUBR33) chega a subir 20% após balanço, mas visão dos analistas é mista e inadimplência preocupa

16 de agosto de 2022 - 12:03

Investidores gostaram de resultados operacionais, mas analistas seguem atentos ao crescimento da inadimplência; Itaú BBA acha que banco digital pode ter subestimado o risco do crédito pessoal

BALANÇO

Inter (INBR31) reverte prejuízo em lucro de R$ 15,5 milhões no segundo trimestre; confira os números

15 de agosto de 2022 - 21:01

No semestre encerrado em 30 de junho de 2022, o Inter superou a marca de 20 milhões de clientes, o que equivale a 22% de crescimento no período

BALANÇO DA HOLDING

Lucro líquido da Itaúsa (ITSA4) recua 12,5% no segundo trimestre, mas holding anuncia JCP adicional; confira os destaques do balanço

15 de agosto de 2022 - 19:52

Holding lucrou R$ 3 bilhões no segundo trimestre e vai distribuir juros sobre capital próprio no fim de agosto

Resultados

Nubank (NUBR33) tem prejuízo acima do esperado no 2º tri, e inadimplência continuou a se deteriorar; veja os destaques do balanço

15 de agosto de 2022 - 18:42

Prejuízo líquido chegou a quase US$ 30 milhões, ante uma expectativa de US$ 10 milhões; inadimplência veio dentro do esperado, segundo o banco

Bife suculento

Marfrig (MRFG3) anuncia R$ 500 milhões em dividendos e programa de recompra de 31 milhões de ações; veja quem tem direito aos proventos e os destaques do balanço

12 de agosto de 2022 - 13:15

Mercado reage positivamente aos números da companhia nesta sexta (12); dividendos serão pagos em setembro

Balanço

Oi (OIBR3) sai de lucro para prejuízo no 2T22, mas dívida líquida desaba

12 de agosto de 2022 - 6:45

Oi reportou prejuízo líquido de R$ 320,8 milhões entre abril de junho, vinda de um lucro de R$ 1,09 bilhão no mesmo período do ano anterior

Balanço do 2º tri

Cenário difícil para os ativos de risco pesa sobre o balanço da B3 no 2º trimestre; confira os principais números da operadora da bolsa

11 de agosto de 2022 - 19:56

Companhia viu queda nos volumes negociados e também nas principais linhas do balanço, tanto na comparação anual quanto em relação ao trimestre anterior

BALANÇO

Apelo de Luiza Trajano não foi à toa: Magazine Luiza tem prejuízo de R$ 135 milhões no 2T22 — veja o que afetou o Magalu

11 de agosto de 2022 - 19:26

O Magalu conseguiu reduzir as perdas na comparação com o primeiro trimestre de 2022, mas em relação ao mesmo período de 2021, acabou deixando o lucro para trás

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar