Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-01-09T08:49:47-02:00
Bruna Furlani
Bruna Furlani
Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tem passagem pelas editorias de economia, política e negócios de veículos como O Estado de S.Paulo, SBT e Correio Braziliense.
Um gestor fora de série

Retornos acima de dois dígitos em um ano ruim para Wall Street? O gestor do maior fundo de investimentos te diz como conseguir

Os resultados acima do esperado pelo mercado já fazem parte da rotina da gestora Bridgewater, que possui cerca de US$ 160 bilhões em ativos sob sua gestão. O fundo Pure Alpha tem oferecido, na média, retornos de dois dígitos ao longo de mais de 28 anos de história

8 de janeiro de 2019
16:43 - atualizado às 8:49
Ray Dalio
Perfil de Ray Dalio no site da Forbes - Imagem: Shutterstock

Em um período em que as Bolsas norte-americanas fecharam o ano no vermelho e amargaram as piores perdas em uma década, o gestor bilionário Ray Dalio, responsável pela gestão do maior fundo de investimento do mundo, - o Pure Alpha -, conseguiu uma façanha e tanto.

Ao contrário de boa parte do mercado, o fundo de Dalio foi contra a corrente e deu um banho nos concorrentes no último ano. Ele não só conseguiu fechar o ano no azul, como também obteve um ganho de 14,6% ao longo de 2018.

Mas os resultados acima do esperado pelo mercado já fazem parte da rotina da gestora Bridgewater, que possui cerca de US$ 160 bilhões em ativos sob sua gestão. O fundo Pure Alpha tem oferecido, na média, retornos de dois dígitos ao longo de mais de 28 anos de história.

Diante dos resultados positivos, Dalio deu alguns conselhos em sua conta no LinkedIn e disse que o principal erro do investidor está relacionado a portfólios desbalanceados.

"Se você fica preocupado quando a Bolsa cai e fica feliz quando ela sobe, provavelmente isso é um sinal de que o seu portfólio não está balanceado. Se o seu salário está atrelado ao desempenho da economia, você está duplamente em risco porque o seu portfólio pode sofrer uma boa queda, caso o seu salário diminua, o que é assustador", disse Dalio na publicação.

Segundo Dalio, a chave está em manter a estrutura do seu portfólio e dos salários de maneira de que elas se protejam mutuamente e estejam bem balanceadas. "Alcançar um bom equilíbrio é o mais importante", destacou.

A estratégia do gestor está em montar uma carteira diversificada, porque determinados ativos têm um desempenho específico de acordo com o crescimento econômico e inflação de um país. 

Para fazer isso, ele pensou em um mix de alocações balanceado que pudesse estar protegido contra perdas inesperadas, mas que não perdesse a rentabilidade ao longo do tempo.

Diferentes ativos têm uma performance melhor de acordo com cenários positivos ou negativos.

Uma economia aquecida e o PIB com estimativas de crescimento, por exemplo, costumam valorizar os ativos de renda variável.

Podemos citar um exemplo claro disso, analisando o que aconteceu recentemente com a Bolsa brasileira.

As últimas (e constantes) quedas na taxa Selic ocorreram na mesma época com que a Bolsa bateu recordes históricos: mais de 90.000 pontos neste ano. 

Claro que esse não foi o único motivo para essa recuperação expressiva, mas de alguma forma, contribuiu para que o movimento de mercado fosse mais favorável para as ações.

Por outro lado, os anos anteriores – com a inflação mais alta e a economia estagnada – fizeram com que as aplicações em renda fixa e títulos públicos, por exemplo, tivessem uma atratividade maior.

Mas, ao ter investimentos diversificados, você pode aproveitar a melhor rentabilidade de acordo com o mercado, mesmo com a alta volatilidade.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Alta da Selic, bons números da Weg, IPO do Nubank e dividendos da Gerdau: veja o que marcou o mercado hoje

Há cerca de um mês, o presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, afirmou que a autoridade não mudaria o “plano de voo” a cada novo dado da economia brasileira. Mas, veja só, a realidade obrigou a instituição a recalcular a rota: há pouco, o Copom elevou a Selic em 1,50 ponto percentual, ao […]

Referência em SP

Na corrida do setor de saúde, Rede D’Or (RDOR3) garante fôlego com a compra do Hospital Santa Isabel

O ativo está avaliado em R$ 280 milhões. Porém, conforme explica a empresa, seu endividamento líquido será deduzido na conta final da transação

Ser conservador compensa

Como ficam os seus investimentos em renda fixa com a Selic em 7,75%

Agora até a poupança ganha da inflação projetada. Veja como fica o retorno das aplicações conservadoras de renda fixa agora que o Banco Central elevou a Selic mais uma vez

MUDANÇA NOS JUROS

COMPARATIVO: Veja o que mudou no novo comunicado do Copom sobre a Selic

Veja o que ficou igual e o que mudou no comunicado do Copom a respeito da Selic; a taxa básica de juros foi elevada ao patamar de 7,75% ao ano

CRYPTO NEWS

Sobrevivendo aos altos e baixos do bitcoin: veja sete ensinamentos para os ciclos de criptomoedas

Manter a saúde mental e financeira é um desafio para os investidores do mundo cripto, especialmente em meio ao bull market atual

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies